24.4 C
São Paulo
sábado, 16 outubro 2021

São Paulo disponibilizará mais de 3 mil novas bicicletas

Foto: cottageregressiva.blogspot / Bicicletário do Rio de Janeiro

Algumas empresas em São Paulo começaram a investir em uma nova forma de transporte público (na verdade, bem antiga mas pouco utilizada). Nada de ônibus, metrô, trem ou carro. A moda para este ano serão as bicicletas.

Os bancos Itaú e Bradesco foram algumas das instituições que tiveram essa iniciativa e prometem iniciar o serviço de empréstimo de bikes nos próximos meses. Em um primeiro momento, disponibilizarão 3,3 mil unidades na Capital que ficarão dispostas em 300 pontos da cidade, a não mais de um quilômetro de distância de cada um. O convênio com a prefeitura terá validade de três anos, podendo ser renovado.

Os bancos devem adotar um sistema parecido com o já realizado no Rio de Janeiro. Lá, os ciclistas podem ficar com a bicicleta por até uma hora. Em São Paulo, será permitido somente 30 minutos. Após esse período, o usuário será tarifado. O valor do empréstimo ainda não foi definido. No Rio, o usuário pode optar por pagar uma mensalidade de R$ 10 e utilizar a bike sempre que quiser. Caso opte por experimentar o serviço por apenas um dia, a taxa é de R$ 5.

Outras incorporações a entrar neste segmento são a AES Eletropaulo e a Ambev. Elas já fizeram contato com a prefeitura e afirmaram que pretendem apresentar uma proposta. Entretanto, até então não revelaram o número de bicicletas nem o modelo que serão emprestadas.

 

Foto: 1000dias.com / Bicicletário da estação Vila Madalena

Mas este não é um serviço inédito em São Paulo. O metrô já disponibiliza 17 bicicletários, onde o usuário pode estacionar a sua bicicleta gratuitamente ou pegar emprestada uma bike. Para utilizar o serviço, basta o interessado comparecer a um dos pontos levando documento de identidade, CPF e comprovante de residência para efetuar o cadastro. É necessário que o ciclista tenha um cartão de crédito com limite mínimo de R$ 350,00 para pré-autorização. Será confeccionado uma carteirinha com os dados do usuário (custo de R$ 25) e carregado o documento com R$ 25 de crédito no sistema. Gasto total, R$ 50. A partir daí, o ciclista poderá andar com a bike por até uma hora gratuitamente antes de guardá-la em um dos bicicletários. A cada hora a mais é debitado R$ 2 do cartão.

O metrô também disponibiliza uma forma alternativa de empréstimo para quem não tem cartão de crédito. Clique aqui e sabia saiba como. No link  você também poderá conferir a localização e os horários de funcionamento dos bicicletários.

Related Articles

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


um − = 0

 

Stay Connected

22,566FãsCurtir
2,981SeguidoresSeguir
18,600InscritosInscrever
- Advertisement -spot_img

Latest Articles