24.4 C
São Paulo
quinta-feira, 23 setembro 2021
spot_img

Pedrosa fora de Assen. Rossi correrá com chassi 2012 na Holanda

Pedrosa deve voltar somente em Mugello, na Itália.

Fotos: divulgação/MotoGP

Dani Pedrosa não deve correr em Assen no próximo fim de semana e seu substituto será o japonês Hiroshi Aoyama. O espanhol da Honda HRC confirmou na segunda-feira(20/06) que provavelmente retornará as pistas na etapa italiana, em Mugello, dia 3 de julho, mas ainda existe uma pequena possibilidade de Pedrosa correr em Assen.Curiosamente, Aoyama é piloto da Honda Gresini, mesma equipe de Marco Simoncelli, piloto italiano que se envolveu no acidente que tirou o espanhol do Mundial de Motovelocidade.

Dani Pedrosa está fora do MotoGP desde 15 de maio, quando sofreu uma queda após ser fechado por Simoncelli. Desde então ficou de fora das corridas na Catalunha e em Silverstone. Na última quinta feira passou por nova cirurgia para corrigir um pequeno fragmento de osso que se moveu durante sua recuperação.

“Já passaram alguns dias desde a operação e me sinto muito melhor. Não sinto as dores que tinha antes da operação e a evolução foi muito boa. Já comecei a reabilitação e estou muito otimista. Noto melhorias todos os dias e isto é muito bom porque quero mesmo voltar à moto o mais depressa possível. Para ser franco, vai ser muito difícil estar em Assen, mas acredito que estarei bem para Mugello, estou concentrado em trabalhar para melhorar todos os dias e ver até onde posso chegar. Quero voltar o mais depressa possível, mas quero fazer as coisas como deve ser”, declarou Pedrosa.

Ducati trabalhando na GP11.1

Enquanto isso a Ducati tem uma novidade  para a corrida em Assen. Valentino Rossi, piloto da equipe, vai utilizar o chassi da moto de 2012 já neste domingo na Holanda. A moto já vinha sendo testada por Rossi e terá um sistema de transmissão mais moderno, facilitando a troca de marchas, que é considerado o grande trunfo da Honda na temporada 2011.

Em 2012 os motores passarão para 1000cm³ e as equipes já vem realizando testes. Em Assen, a Ducati usará os propulsores antigos, com 800cm³. A máquina levou o nome de GP 11.1, pois tem o chassi da GP12 com motor da GP11.

“Filippo (engenheiro de equipe), os rapazes da Ducati e os pilotos de testes trabalharam duro e isso nos possibilita dar um novo passo. Não tivemos a chance de testar a 800cm³ desde Estoril, então faremos isso durante o fim de semana de corrida”, explicou Rossi.

“Teremos que focar em dois trabalhos: fazer ajustes básicos na nova parte técnica e encontrar um acerto geral para o sábado. Teremos de fazer um bom trabalho na pista para poder tirar maior proveito da máquina”, completou.

Segundo Fillipo, o objetivo é melhorar os resultados da atual temporada e já desenvolver a moto do ano que vem. Valentino Rossi está apenas em quarto no mundial, com 68 pontos. Longe do líder Casey Stoner com 116 pontos. Nick Hayden, companheiro de equipe de Rossi, está na sexta colocação com 60 pontos.

“Nós decidimos isso para acelerar o desenvolvimento e dar aos nossos pilotos uma base potencialmente melhor para o atual campeonato. Considerando que Valentino nunca andou na GP 11.1, pode levar algumas corridas para que o time tire vantagem desse potencial. A Ducati continuará estudando inovações, tanto para este ano quanto para o próximo”, declarou Filippo.

Hayden só usará a nova Ducati em Laguna Seca no final de julho. Em Assen, a moto terá um novo pacote de atualizações. “É claro que a Ducati está trabalhando duro. Estou ansioso para usar a GP 11.1 o mais cedo possível”, disse o norte-americano.

Related Articles

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


3 × oito =

 

Stay Connected

22,520FãsCurtir
2,951SeguidoresSeguir
18,500InscritosInscrever
- Advertisement -spot_img

Latest Articles