24.4 C
São Paulo
quarta-feira, 26 janeiro 2022
spot_img

História da Honda

A história começou no dia 24 de setembro de 1948 quando foi fundada a Honda Motor Co. Ltd. Naquele ano, o Japão se erguia após ser devastado pela Segunda Guerra Mundial. Em meio ao processo de reconstrução, Soichiro Honda soube identificar uma oportunidade de negócio: era crescente a necessidade de um meio de transporte rápido e barato. Somando sua experiência de exímio mecânico a um capital inicial de 1 milhão de ienes e o trabalho de 34 funcionários, ele inaugurou sua fábrica de motores na cidade Hamamatsu.

O primeiro invento foi o motor auxiliar para bicicletas (batizado de A-type), que seria a gênese para o primeiro protótipo da HONDA, a motoneta Dream D (98 cc) com motor de dois tempos, fabricada em 1949. O nome Dream foi dado em referência ao sonho de Sochiro em construir uma motocicleta completa. Foi neste mesmo ano que Takeo Fujisawa, seu inseparável companheiro, iniciava um importante papel no desenvolvimento da empresa. Ao cuidar da área comercial e financeira, liberava o fundador para o desenvolvimento mecânico e tecnológico dos produtos.

Em 1951 a moto vendia cerca de 130 unidades por dia, comprovando o sucesso da empresa em apostar neste tipo de veículo. Nesta época o sucesso da empresa se devia ao espírito empreendedor de superar desafios e buscar o aperfeiçoamento constante para garantir a satisfação de seus clientes. No ano seguinte a empresa lançou a F-Type, uma motocicleta de 50cc, que em menos de um ano alcançava a marca de 6.500 unidades vendidas por mês. Porém, o produto que marcaria para sempre a história da HONDA chegou uma década mais tarde: a Super Cub, a motocicleta mais vendida de todos os tempos. Em 2008, o modelo bateu a marca de 60 milhões de unidades vendidas em 160 países ao redor do mundo.

Ampliando seu campo de atuação, em 1953, a HONDA decidiu investir na fabricação de produtos de força tipo H, para usos gerais. Em contrapartida, o mercado de motocicletas crescia a um ritmo acelerado com exportação a diversos países. Para atender à demanda crescente de clientes em todo o mundo, a empresa cruzou a fronteira para inaugurar, em 1959, sua primeira unidade no exterior: a American Honda Motor Co., nos Estados Unidos, onde popularizou o uso da motocicleta. De lá, espalhou-se rapidamente para diversos países europeus, iniciando a produção fora do Japão em 1963 na Bélgica. Foi ainda neste ano que a HONDA ingressou no segmento automobilístico com o lançamento do carro esporte S500 (primeiro automóvel esporte do Japão) e do caminhão leve T360. Pouco depois, em 1966, foi a vez do pequeno automóvel N360 estrear no mercado. Seguindo a filosofia de “produzir onde há mercado”, os anos 70 foram decisivos para a expansão rumo às Américas do Sul e Central.

N360

T360

Talvez o fato mais importante na história da HONDA tenha sido o lançamento do Honda CIVIC em 1972, automóvel que se transformou num dos mais vendidos da história da indústria automobilística.

Outro fato importante ocorrido nesta década foi a fabricação pioneira do motor de automóveis CVCC (Combustão Controlada por Vortex Composto), que reduzia a emissão de gases poluentes à índices bem baixos. A iniciativa antecipou os rígidos requisitos da lei americana “Clean Air Act” em 1975. Os anos 80 marcaram a expansão da empresa para polos promissores, como Índia, China e Indonésia, além do lançamento de outro grande sucesso da montadora, o HONDA ACCORD.

A década de 90 começou muito bem para montadora, o modelo ACCORD se tornou o carro mais vendido no mercado americano. Também eram anunciados os cintos de segurança pré-tensionadores e o airbag para passageiros em seus modelos de carros.

Em 2003 a HONDA comemorou duas marcas históricas: o modelo Civic atingiu a marca de 15 milhões de unidades produzidas desde seu lançamento e a montadora rompeu a barreira de 50 milhões de veículos produzidos no mundo.

Nas últimas duas décadas, intensificaram-se as pesquisas tecnológicas que resultaram no desenvolvimento do quadriciclo, da primeira motocicleta com airbag do mundo, dos automóveis híbridos, do jato executivo Honda Jet, do versátil robô humanoide Asimo e até de um equipamento que ajuda o deslocamento de idosos – o auxiliar experimental de caminhada. Coincidindo com seu aniversário de 60 anos em 2008, a HONDA anunciou ter produzido sua motocicleta de número 200 milhões.

 

A marca no Brasil

Até a segunda metade da década de 60, praticamente não existia mercado para motocicletas no Brasil. Só em 1968 o governo autorizou as importações, mas as alíquotas eram muito elevadas. A aposta no mercado brasileiro concretizou-se no dia 26 de outubro de 1971, quando começou a funcionar a Honda Motor do Brasil Ltda., responsável pela importação e distribuição dos produtos HONDA no país. No início eram somente motocicletas, dois anos mais tarde também os produtos de força como geradores, motores estacionários e moto bombas.

Desde as primeiras importações, a empresa estruturou sua Divisão de Peças Originais, o que garantia peças para reposição de seus produtos. Em 1974, comprou um terreno de 1 milhão e 700 mil metros quadrados em Sumaré, no interior do estado de São Paulo, para instalar a fábrica de motocicletas. Um ano depois, o governo vetou a importação de motocicletas e o efeito foi drástico. Não havia alternativa, era hora de começar a produzir motocicletas no Brasil. A HONDA antecipou seu projeto e construiu sua fábrica em Manaus (AM). A maior vantagem para a fábrica que se instalava no Brasil era o fato de Manaus ser uma zona franca, ou seja, isso permitia importar equipamentos do Japão de alta tecnologia com custos competitivos em relação aos produzidos no Brasil. A HONDA investia no país e apostava no crescimento do mercado. Lançou vários modelos novos: o primeiro foi a CG 125, moto urbana de mecânica simples.

Em 1977 já eram fabricadas 34 mil motocicletas no mercado nacional e a HONDA respondia por 79% desse total. No início da década de 80, a produção nacional média anual atingiu 185 mil unidades. Em 1981, foi produzida a primeira motocicleta movida a álcool do mundo, na fábrica de Manaus. No mesmo ano, foi constituído o Consórcio Nacional Honda (CNH), que iniciou suas atividades no país. Foi ainda nessa década que ocorreu o lançamento da moto CB 400.

A partir de 1992 começaram as importações de automóveis para o Brasil. A princípio, com a comercialização do HONDA Accord, e em seguida do Accord Wagon, Civic Sedan, Civic CRX, Prelude e o Civic esportivo hatchback. Animada com as perspectivas do mercado brasileiro, a empresa decidiu realizar um sonho antigo: construir uma fábrica de automóveis no terreno que mantinha há mais de 20 anos na cidade de Sumaré.

No dia 3 de junho de 1996 começaram as obras da nova fábrica, que foi inaugurada em 6 de outubro de 1997, com capacidade para produzir 15 mil unidades do modelo Civic Sedan por ano. Pouco depois, em 2 de março de 1998, foi inaugurado o Centro Educacional de Trânsito Honda (CETH), em Indaiatuba, São Paulo, onde são realizados cursos de formação de Instrutores – para pilotos de motocicletas e quadriciclos, e pilotagem On e Off-road, palestras educativas e test-drives, dirigidos para motociclistas profissionais de órgão públicos e empresas privadas. Ainda neste ano, ocorreu o lançamento da C100 Biz, um dos maiores sucessos da marca e uma das portas de entrada para o segmento de duas rodas do mercado brasileiro. Nessa década a HONDA introduziu no mercado vários modelos de motocicletas como o NX 350 Sahara,

CBX 750 F Indy,

XL 125 S,

C100 Biz,

um dos maiores sucessos da marca e uma das portas de entrada para o segmento de duas rodas do mercado brasileiro. Em 2002, a montadora japonesa além de comemorar a produção de 2.000.000 de unidades do modelo CG125, motocicleta líder do mercado brasileiro em todos os tempos, lançou a sétima geração do modelo CIVIC. A HONDA superou a marca de 12 milhões de motocicletas produzidas no país. O primeiro milhão foi alcançado em 1987.

Líder em vendas, a HONDA detém atualmente mais de 76% de participação no mercado brasileiro, segundo dados da Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares). Hoje sua fábrica de Manaus tem capacidade para produzir uma motocicleta a cada oito segundos. Além disso, os modelos CIVIC, CITY e FIT estão entre os mais vendidos em suas categorias no mercado brasileiro. A marca no mundo A HONDA é a segunda maior montadora japonesa, perdendo apenas para a Toyota, sendo a maior produtora de motocicletas do planeta, além de vender mais de 3.3 milhões de veículos anualmente em quase 150 países ao redor do mundo. Hoje a produção de motocicletas é realizada em 32 fábricas distribuídas em 22 países. Há ainda unidades de pesquisa e desenvolvimento localizadas nos Estados Unidos, Alemanha, Itália, Tailândia, China e Índia. Em 2009 a HONDA comercializou 9.6 milhões de motocicletas.

 

Curiosidades:

● A HONDA é atualmente a sétima maior montadora do planeta e a primeira produtora de motores de força do mundo, com produção anual de 4.7 milhões de unidades.

● A HONDA mantém, no Japão, um dos mais avançados Centros de Testes de Impacto (Crash Test) do mundo. Por contar com uma área coberta de 41 mil metros quadrados, os testes podem ser realizados em qualquer condição climática e reproduzem com fidelidade e precisão os impactos de colisões mais comuns envolvendo veículos de vários tamanhos em diferentes velocidades e direções.

Artigo anteriorTRX 420 Fourtrax
Próximo artigoCG 150 Fan

Related Articles

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


sete × = 21

 

Stay Connected

22,566FãsCurtir
3,137SeguidoresSeguir
19,100InscritosInscrever
- Advertisement -spot_img

Latest Articles