Zero Motorcycles mostra novas motos para 2013

1
1272

Zero Motorcycles mostra novas motos para 2013Fotos: Divulgação

As motos elétricas também têm o seu espaço no Salão de Colônia, principal evento de motocicletas que ocorrerá até o próximo domingo (7), na Alemanha. Representando os segmentos de moto movida por energia limpa, a americana Zero Motorcycles revelou a sua linha de motocicletas para 2013.

Zero Motorcycles mostra novas motos para 2013

Os modelos apresentados pela empresa, que serão comercializados ano que vem, são: Zero S, Zero DS (foto acima), Zero XU, Zero MX (versão cross) e a Zero FX (que substitui a X).  De acordo com a empresa, os modelos top de linha, S e DS, podem ter autonomia de mais de 200 km em deslocamentos urbanos. Na estrada, o rendimento cai para 113 km. O melhoramento nas motos ocorreu após as mudanças dos conjuntos de bateria, que passaram de 6 e 9 kWh, para 8,5 kWh e 11,4 kWh de capacidade. Assim, a Zero S com bateria de 8,5 kWh proporciona uma autonomia de 166 quilômetros em cidade e 85 em estradas, ou seja, uma autonomia média de 113 quilômetros.

As novas motos da Zero Motorcycles virão ainda equipadas com um carregador rápido de formato CHAdeMO, que, segundo a marca, permite recuperar 95% da carga da bateria em apenas uma hora. Caso optemos pelo carregador convencional, o tempo de carregamento passa para 5,5 horas (versão de 8,5kWh) e 7,4 horas (versão de 11,4kWh).

Zero Motorcycles mostra novas motos para 2013

As versões, S e DS custarão US$ 15.995 (cerca de R$ 32.350), a partir de janeiro de 2013, nos Estados Unidos. Existem configurações mais simples das versões S e DS que apresentam performance inferior, custam US$ 13.990 (cerca de R$ 28.292). Já a FX (foto acima) e a XU, modelos mais simples, custam de US$ 7.995 (cerca de R$ 16.168), enquanto a MX, modelo off-road, vale US$ 9.495 ( cerca de R$19 201).

1 COMENTÁRIO

  1. Finalmente a Zero está trazendo um pouco de design para suas motos, tecnologia ela já tem, mas, as motos eram feias de ferrar, pelo jeito a linha 2013 ameniza esse problema, espero que venham para o Brasil, não pelas mãos do grupo Izzo e sim por representação própria, representantes sempre queimam a imagem do fabricante, basta observar a ressurreição da Harley e Triumph depois que se livraram dos representantes, teria uma moto elétrica numa boa, só precisam de estrutura e preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


quatro + = 10