Yamaha XJ6 N: Seduzindo pela razão, e não pela emoção

38
6489
Yamaha XJ6 N

Deem uma olhada na minha cara de entusiasmo quando soube que a moto do mês seria a Yamaha XJ6 NGrumpy Cat Yamaha Pois é, não sei se foi meu lado criança quando fala de comida sem nunca ter experimentado: “não quero porque não gosto”, ou meu lado velho e ranzinza, semelhante ao Paulo Francis quando dizia: “não vi e não gostei”.

Yamaha XJ6 N: Seduzindo pela razão, e não pela emoção

A verdade é que sempre achei a Yamaha XJ6 N uma moto mediana e sem graça. Sem apelos estéticos ou tecnológicos que me atraíssem. Achava que era uma moto colocada no mercado apenas para completar o line-up da marca e ter uma participante no segmento de media cilindrada das naked. Principalmente pelo fato dela chegar substituindo um ícone que era a FZ6.

Yamaha XJ6 N
Fotos: Edgar Rocha

Quando você olha as opções do mercado neste segmento, você encontra motores potentes, ABS de série (em alguns casos opcional), painéis completíssimos, chassis em alumínio e com formato deltabox, suspensões invertidas, lanternas e piscas em LED e muito esmero no design e nos acabamentos.

Farol XJ6 N

Quando você  olha a Yamaha XJ6 N, não vê nada disto! Aí você imagina que uma moto tão aquém de suas concorrentes (levando em conta os aspectos citados acima) deva vender pouco. Ledo engano, ela é a vice-campeã de vendas com 3.565 unidades emplacadas, perdendo a liderança por apenas 714 motos. Mas se ela é tão desprovida de qualidades, conforme falei, porque vende tanto? A resposta é: preço.

Yamaha XJ6 N

Por apenas R$ 27.850,00 você tem uma moto quatro cilindros, um valor bem mais barato que muita monocilíndrica de cilindrada semelhante. Mas será que somente o preço fala mais alto neste caso? Não, a XJ6 N possui qualidades que estão fora de nosso alcance de visão e precisam ser experimentados.

Confesso que aos poucos a Yamaha XJ6 N foi me ganhando e minha fisionomia de tédio foi se alterando para um largo sorriso. Conforme os quilômetros passavam, começava a olhá-la com outros olhos e entender mais o seu sucesso.

XJ6 N

A Yamaha XJ6 N é básica e sem excessos

Já de início preciso avisar: se você procura fortes emoções e “aquela” resposta bruta que somente uma quatro cilindros pode lhe dar, esqueça. A Yamaha XJ6 N é básica e sem excessos.

Escape XJ6 N

O design é… digamos… legal. Sem ousadias ou soluções criativas. Sem faixas ou cores berrantes e sem detalhes exclusivos ou apêndices. Simples até demais para quem concorre em um mercado tão competitivo.

Motor Yamaha XJ6 N

Ao montar na moto, você já se sente em uma moto menor. Tem muita 250cc com bem mais “espaço” e porte que nossa XJ. Requereu certa adaptação, mas não foi de toda ruim. A posição de pilotagem é bem confortável e a ergonomia foi bem respeitada. Nada de pernas encolhidas em demasia, corpo muito inclinado para frente ou esforço excessivo nos braços.

Painel Yamaha XJ6 N

O painel é simples, possui boa visualização e tem todas as informações necessárias e básicas. Surpreendeu-me achar um marcador de temperatura do líquido de arrefecimento do motor, mas com toda certeza faltou um indicador de marchas e um capricho maior no design. Os comandos são simples, de bom tato e precisos. Nada de mais.

XJ6 N

Yamaha XJ6 N e seu motor quatro cilindros

O motor suave, liso e silencioso. Sem vibrações, entrega a potência delicadamente tornando a pilotagem segura e sem sustos. O giro sobe lentamente acompanhado de um ronco gostoso de ouvir. Seu câmbio é bem curto nas primeiras marchas e com curso do pedal bem pequeno.

Manopla XJ6 N

A sexta marcha é bem longa e devido ao grande torque do motor, permite baixar a velocidade e giro (ficando em sexta marcha ) e andar suavemente sem trancos.

Manopla XJ6 N

Seu motor tem muito torque e é muito elástico. Pode-se diminuir muito o giro e retomar a velocidade (bem lentamente, diga-se de passagem) sem necessidade de troca de marchas. Mas se você quiser aproveitar todos os quase 78 cv, tem de elevar o giro bastante, acima dos 8.000 rpm utilizando bem as trocas de marcha.

XJ6 N Teste

Acima desta rotação, a Yamaha XJ6 N muda e começa a se comportar com bem mais performance, mas nesta hora os freios, as suspensões  e o chassi não acompanham o ritmo do motor. O conjunto foi feito para ser bom e não ótimo, e quando solicitamos mais de todos os componentes, apenas o motor se apresenta a altura.

Moto Yamaha

Os freios são a disco, duplo na dianteira e simples na traseira. Mas teria como ser diferente? Lógico que não. É o mínimo que se espera da uma moto naked de 600 cm³. Quer saber se freia bem? Sim. Dá conta do recado, mas sempre dentro daquela média baixa. Não tem ABS nem como opcional, não tem disco em forma de margarida ou ao menos tem malha de aço na linha de freio. Nada que a coloque acima da média.

Teste XJ6 N

O chassi em tubos de aço tipo Diamond mantém bem a rigidez do conjunto e as suspensões calibradas na medida certa entre o conforto e a performance média. Sim, esta é a palavra, mediana, regular.

Yamaha XJ6 N

Bem, acho que vocês já entenderam… Sabe quando você passa de ano com média 5?

XJ6 N frente

A Yamaha XJ6 N é uma moto que cumpre o papel dela e ponto. Não te provoca fortes emoções nem te cativa pelo design, acessórios, ou pelas cores.

Yamaha XJ6 N: Seduzindo pela razão e não pela emoção

Não te seduz pela performance, ronco, tecnologia embarcada ou extravagâncias, mas tenho que admitir que ela é extremamente prazerosa de pilotar, com uma entrega calma e linear de potência onde você doma a moto com facilidade e sem sustos.

Yamaha XJ6 N

Tem um conjunto muito bem acertado e ideal para pilotos iniciantes e medianos. A moto que eu recomendaria para os que desejam um “upgrade” de sua 250/300 e que vai ensinar muita gente a pilotar.

XJ6 N

Seu conjunto básico me conquistou, e acho que vai continuar conquistando muitos consumidores, que poderão ter uma excelente naked média de quatro cilindros, com uma excelente ciclística  e com claras limitações de performance.

Tabela Avaliação Yamaha XJ6 N

38 COMENTÁRIOS

  1. Um lixo de moto! Faz só barulho e não tem bom desempenho para umá 4cc e no preço absurdo de R$34,000!
    Além de ser a moto mais visada para roubo! O seguro é outro absurdo de caro!

    • tão fraca? não se engane, investindo cerca de 5 mil nela vc deixa ela mais forte que tds as motos 600 da linha honda, e na boa, ela vai continuar com o ms conforto de pilotagem

  2. “Quando você olha as opções do mercado neste segmento, você encontra motores potentes, ABS de série (em alguns casos opcional), painéis completíssimos, chassis em alumínio e com formato deltabox, suspensões invertidas, lanternas e piscas em LED e muito esmero no design e nos acabamentos.”

    De que moto do segmento você está falando exatamente?
    Como é não de se estranhar deve estar fazendo referência à Hornet… só se for e com muitas ressalvas:

    1º Motores potentes, a Honda deve explicar como é feita essa medição de torque e potência dessa moto (CB600F), porque quem já experimentou as 600’s Naked’s disponíveis em nosso mercado, ficou no mínimo com a pulga atrás da orelha pensando “102cv????”. NA RODA NUNCA!!!!! O que vejo é uma moto extremamente preguiçosa em baixa e que teve seu fôlego todo concentrado dos 8000rpm em diante, daí a impressão de esportividade (mas nada absurdo como dizem por aí).

    2º ABS de série? Sim, a partir do momento que você adicionar R$4000 ao preço da moto, terá ele de série! Me fala qual modelo tá saindo com ABS de série, a Monster???

    3º Painéis completíssimos, de fato se há um trunfo na CB600F atual é o painel, porque o modelo imediatamente anterior tinha um painel “cabeçudo” e de péssima visualização e que não oferecia nada além que o da XJ oferece.

    4º Chassis em alumínio e com formato deltabox, ta aí um “põe preço” danado da Honda. Me diz, qual a vantagem do alumínio empregado em um modelo que não é nem 10kg mais leve que seu concorrente com chassi tubular de aço? Todos os demais modelos da categoria, usam o aço, a Honda usa o alumínio, o modelo da Honda é R$5000 mais caro que os demais… lógico né?

    5º supensões invertidas, uma pergunta aqui: o que faz uma suspensão invertida (sem opção de regulagem) que não faz uma suspensão convencional? Resposta: mero apelo estético ao colocar as bengalas douradas! A ER6N é autoridade nesse assunto e olhe suas suspensões!

    6º Lanternas e piscas em LED e esmero nos acabamentos, a XJ6 apareceu aqui em 2010, a mesma até então. O recente facelift não é considerável porque nem de longe mudou a identidade da motocicleta. De lá pra cá suas concorrentes já trocaram de roupa pelo menos 1 vez, na maioria das vezes adotando uma rabeta semelhante, grupo ótico semelhante, asas laterais semelhantes, ou seja, o sonho dos designers desse segmento era ter desenhado uma XJ6 para a marca deles. Em design é difícil bater de frente com a Yamaha, veja a R1 e R6, há quantos anos tem o mesmo design assistindo suas rivais trocarem de roupa desesperadamente…

    Mas agora entendi o tipo de matéria que vocês estão escrevendo na hora que um leitor perguntou aqui qual moto dessa categoria tem indicador de marcha e vocês responderam Kawasaki ZX-6R (???????????). Fala sério!

  3. OK, É uma ótima moto sim, eu fiquei entre a Suziki bandit, Kawazaki ER6N, Honda Hornet, e Yamaha XJ6.

    Por muitos motivos optei pela XJ6, já andei com ela 3.500Kms não me arrependo em nada da escolha que fiz!

    Um ponto negativo a observar é que a direção não esterça muito e fica meio difícil para manobrar ela parada. E tambem é meio gastona, faz cerca de 16Kms por litro, ainda mantenho a boa e pra toda hora CG fan 150.

    Segue galeria

    http://www.flickr.com/photos/99119140@N07/sets/7215763826666450

    • Ailton, tenho uma xj6f, ela é ótima pra viajens longas!!! Não cansa, apenas o normal de uma viajem desse porte. Já fui 2 x do
      Rio ao Parana com a minha 1200km. Nas duas viajens ida e volta terminei sem grande cansaço.
      E cheguei bem disposto.

      Valeu aí.

  4. OLA TENHO UMA 150 CC QUERIA UMA MOTO MELHOR ,ESTOU COM DUVIDAS QUERO XJ POR SER MAIS EM CONTA E CUSTO TAMBEM E BOM QUEM TEM APROVA A XJ ,PQ MINHA RENDA NAO E TAO ALTA QUERIA PODER PEGAR 600 PARA MANTELA SEM PRECISAR VENDE-LA

  5. Faz teeeempo que a Yamaha trabalha para a Honda Brasil, assim como um dia a Suzuki foi parceirona!! Agora a Suzuki parece que criou vergonha na cara, vamos ver quando a Yamaha fará isso. Ótimas e belas motos ela tem sim.

  6. Seria interessante disponibilizar essas imagens em melhor resolução (papel de parede). há algum link de acesso as mesmas?
    Parabens pelas imagens!

  7. pelo amor de Deus q moto q e perfeita??? a xj6 e uma moto econômica e fácil de pilotar na minha opinião uma moto para a vida toda. os caras ficam querendo q as motos hj em dia seja perfeitas sera q comprarão o teste da xj6?? hum! fala serio.

    • Olá, não compre uma moto só por um ”indicador de marcha” isso você compra no mercado livre ou em qualquer outro lugar, e não passa de 200~300 reais. A XJ6 é a moto mais em conta hoje no Brasil (comparação as médias cilindradas), e que consome menos, tem as Kawasaki’s mas se você procura em uma moto média um ronco ”parecido” com uma 1000 elas não vão lhe satisfazer, pois só tem 2 cilindros. Já a XJ6 tem um ronco mais ”cheguei” kk

  8. A impressão que dá ao se pensar que a Yamaha substituiu a FZ6 pela XJ6 é que o presidente da Yamaha trabalha para a Honda…De qualquer forma, a Honda e a Suzuki agradecem, pois memo a “velha” bandit tem mais potência, um painel mais completo e o mesmo dessa novidade.

    • Já viu alguma Bandit andando na frente de uma XJ? Já viu a Suzuki ter um desempenho melhor? A Yamaha nunca vendeu mais FZ6 do que Hornet, XJ6 é a segunda mais vendida, e não podemos culpar a marca. O país que mais vende Hornet é o Brasil.

      • Lucas, procure no youtube o canal do LucasMindful, ele tem uma Bandit 650N e pode ver nos vídeos dele que tem rolés com uma XJ6 que ele deixa o cara passar e vai buscar em seguida… A Bandit anda na frente da XJ em altas velocidades, de arrancada a XJ se sai melhor pelo elevado peso da Bandit, apenas por isso. Não subestime a Bandit, ela anda bem.

    • A Bandit tem mais potencia e também tem BEM mais peso! Só faz valer a potência extra acima de 200km/h…
      A Honda agradece tanto a Yamaha que vai copiá-la e lançar uma naked 600cc de “baixo custo” (CB 650F) e uma 800cc mais arisca assim como a Yamaha fez… Daqui a pouco deve chegar por aqui a Fazer 800, que já existe lá fora a anos e com certeza vai ser melhor em todos os aspectos do que a Hornet 800 assim como acontecia nas Fazer e Hornet 600cc.

  9. Parabéns, pela matéria.
    Acredito que a moto seja muito boa mesmo.
    O que me preocupa e o seguro alto e índice de roubo ser elevado.
    Estou com muita duvida não sei se compro esta maquina ou uma motocicleta alemã.
    Quem tiver sugestões avise.

  10. Em primeiro lugar, respeito a opinião apresentada, e parabenizo pelo trabalho dos jornalistas do best riders, mas segue um questionamento.
    Eu atualmente vivo a dúvida de qual moto comprar nesta categoria.
    E acompanhei no mês passado a avaliação da Er-6n.
    O que não consigo entender é a nota dada a xj-6n após as críticas. A er-6n teve notas parecidas e foi só elogiada.
    Não entendo a lógica.

    • Olá Diego,
      Obrigado pelo comentário.
      A ER6N teve notas mais altas que a XJ6N. Ambas são muito boas, porem com propostas diferentes. Desde a motorização, equipamentos e performance.
      A maior critica na matéria foi quanto a moto ser muito espartana e sem apelo visual ou de equipamentos ( de serie e opcionais).
      Não posso admitir uma moto desta categoria não ter ABS nem mesmo como opcional.
      Abraços

  11. Boa noite, li a matéria e senti que nunca deverei compra uma XJ melhor uma 125 cc! A impressão foi ruim mas para o que a moto é não poderia ser diferente (PREÇO) Abrço!
    Mentalidade que eu sempre tive, se é para comprar uma monocilindrica de média cilindrada, prefiro ficar com a minha Biz e o tempo passou fui para uma Hornet e hoje estou de CB 1000r, pode não ser top mas ruim não é!

  12. Concordo com o Edgar Rocha.
    Para uma moto com especificações médias, construída para ser “barata” ela é perfeita.
    Entretanto não concordo com a Yamaha. O preço sugerido por ela é exagerado para uma moto que tem um único atributo digno de comentário – o motor tetracilíndrico.
    OK! Todos nós sabemos que todas as montadoras de carros e motos do mundo cobram o que os consumidores “locais” estão dispostos a pagar.
    A XJ6 é “barata”?
    Com certeza ela pode ser mais “barata” que mesmo assim a Yamaha Brasil vai continuar tendo lucro.

    • Concordo, barata ela realmente não é, tive uma factor e definitivamente não aprovei o sistema de carbuaração do motor, que pode ser bom, durável mas não funciona direito, tive três biz, duas 100cc e uma 125cc, sendo uma de cada novas! E o funcionamento era muito superior, tive um breve contato com a 125cc injetada e era perfeito, para uma marca como a YAMAHA, por que não trás motos melhores, todos sabemos que possui ótimas motocilcetas la fora, no fundo eu acho que os donos das marcas são amigos e fazem jogadas ou “Pegadinhas do malandro”!

  13. Essa moto é muito agil e bonita é muito boa, quem tem gosta , logico que tudo isso é relativo , mas se fosse uma avaliação de uma moto da Honda tudo seria qualidades (vejam teste da falcon), pela avaliaçao parece que essa moto é mais sem graça que nem abacate sem açucar!

    • gostei do teste, concordo com o Edgar em praticamente tudo, mas o q Allan falou é uma regra há muitos e muitos anos, a citação sobre a Falcon foi oportnua, só um leigo total compraria uma Falcon zero KM, e se no lugar dos diapasões tivesse uma asinha no tanque os comentários seriam diferentes??? (não estou questionando o Edgar, afinal, já disse logo de cara o q penso sobre o teste dele, a XJ6 tem proposta diferente, não nasceu pra ser esportiva, veloz, rápida… para o trânsito urbano eu comrparia ela, com certeza. se eu morasse na Europa e tivesse as estradas de lá pra passear, com certeza iria de Brutalle, rsrsrsrrsrs)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


cinco − = 1