Yamaha NMax 160 ABS: Yamaha quer 20% do segmento Scooter

21
973

Yamaha NMax 160 ABS: Equipado com motor de 155 cm3 de 15,1 cv e freios ABS de série, modelo chega às lojas em maio por R$ 11.390.

1237_495SCOOTER_NMAX02
Farol com lâmpadas de LED e bolha de proteção são destaques positivos no modelo

TEXTO: Arthur Caldeira / Agência INFOMOTO
FOTOS: Divulgação

YZF_R1

Com novo scooter NMax, Yamaha quer 20% do segmento

Apresentado no Salão Duas Rodas 2015, o scooter Yamaha NMax chega às lojas em maio deste ano com um preço competitivo: R$ 11.390 – seu principal concorrente, o Honda PCX custa a partir de R$ 10.814.

O novo modelo marca o retorno da Yamaha ao crescente segmento de scooters de entrada, do qual estava fora desde 2012 com a descontinuação do Neo 115. O novo NMax tem a missão de conquistar 20% do segmento para a fábrica japonesa. “Como o mercado brasileiro de motocicletas está instável, fica difícil prever um número exato de vendas”, declarou Helio Ninomiya, gerente de marketing da Yamaha Motor do Brasil.

Em 2015, a venda de scooters teve crescimento em um setor de duas rodas em queda, chegando a cerca de 38.000 unidades.

1283_504SCOOTER_YamahaNMax_6
Novo Yamaha NMax quer 20% do segmento de scooters – que em 2015 foi de cerca de 38.000 unidades

Para atingir esse objetivo, o novo scooter Yamaha traz um motor monocilíndrico de 155 cm³, quatro válvulas e refrigeração líquida. Sua potência máxima é de 15 cv a 8.000 giros e torque máximo de 1,4 kgf a 6.000 rpm com transmissão continuamente variável, o câmbio CVT. Batizado de Blue Core, o propulsor oferece o sistema variável de abertura de válvulas (inédito em scooters) e pistão forjado – segundo informações, o consumo deve girar em torno de 40 km/l.

1237_495SCOOTER_NMAX12
Com motor de 155cc, o scooter Yamaha NMax tem potência máxima de 15 cavalos
1283_504SCOOTER_YamahaNMax_4
Transmissão CVT garante praticidade e facilidade de pilotagem

Além disso, o NMax conta com freio a disco em ambas as rodas de 13 polegadas e sistema ABS de série – um diferencial em relação ao PCX que tem tambor na roda traseira e oferece apenas o sistema de freios combinados. A Yamaha ainda ressalta o uso de pneus mais largos que as concorrentes: 110/70-13, na dianteira; e 130/70-13, na traseira.

1283_504SCOOTER_YamahaNMax_5
Novo Yamaha NMax chega às lojas em maio com preço sugerido de R$ 11.390 com freios ABS de série
1237_495SCOOTER_NMAX03
Rodas de 13 polegadas e sistema de freios ABS são itens de série no NMax

Com farol e lanterna de freio de LED, o NMax tem painel 100% digital e design inspirado no TMax, o esportivo scooter de 535 cc da Yamaha também à venda no Brasil. No quesito praticidade, o NMax oferece 25 litros de capacidade de carga sob o banco, que carrega facilmente um capacete fechado e outros objetos pequenos. Descanso lateral e cavalete central são de série.

1237_495SCOOTER_NMAX08
Painel com tela de LCD traz computador de bordo que informa o consumo instantâneo de gasolina
1237_495SCOOTER_NMAX07
Guidão recebeu uma capa que valoriza o design do scooter que oferece porta objetos atrás do escudo
1237_495SCOOTER_NMAX06
Chave com sistema de segurança também é usada para abrir o compartimento sob o banco
1237_495SCOOTER_NMAX05
Sob o banco há espaço para um capacete fechado e pequenos objetos como a capa de chuva ou jaqueta

Quando chegar às lojas, em maio, o NMax terá também revisões a preço fixo. “Dessa forma, o consumidor sabe quanto irá gastar para manter seu scooter”, destaca Ninomiya. Outro atrativo, destaca o gerente de marketing, será o seguro fixo para as regiões da Grande São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas e Baixada Santista. Sem análise de perfil, o seguro irá custar R$ 1.850.

1283_504SCOOTER_YamahaNMax_3
Yamaha vai oferecer revisões a preço fixo e seguro de R$ 1.850 para o novo NMax

O NMax chega às concessionárias em maio em três opções de cores: branco e vermelho metálicos, além de um elegante cinza fosco. O sistema ABS é de série e o preço sugerido de R$ 11.390.

1237_495SCOOTER_NMAX10
O modelo pesa 127 kg (a seco) e mede 1.955 mm de comprimento

Primeiras impressões

Durante o evento de lançamento do novo NMax e também da naked MT-03, foi possível dar algumas voltas na pista do autódromo Velocittà, em Mogi Guaçu (SP). Embora não seja o ambiente ideal para avaliar um scooter, foi possível notar o bom torque em baixos giros do NMax, fruto do comando de válvulas variável que altera o ângulo e a geometria das válvulas de admissão de acordo com a rotação do motor. O par máximo de 1,47 kgf.m é atingido a 6.000 giros e é superior o oferecido pelo PCX, que tem 1,36 kgf.m. A potência de 15,1 cv também é superior ao concorrente da Honda, que tem 13,1 cv.

1283_504SCOOTER_YamahaNMax_2
Neste primeiro contato, o motor de 155 cc com comando variável mostrou bom torque em baixos giros

Outro destaque vão para os bons freios, com sistema ABS. Com discos de 230 mm nas duas rodas, oferecem frenagem segura e o sistema anti-travamento somente precisou atuar em situações exageradas. Mas o ABS mostra mesmo sua eficácia em pisos de baixa aderência ou molhados.

Com banco largo e confortável, o NMAx permite bom apoio para os pés em duas posições, tanto na plataforma como mais esticados. Os pneus largos e as suspensões rígidas garantiram estabilidade na pista, mas ainda é preciso avaliá-los nas nossas mal cuidadas ruas e avenidas.

1283_504SCOOTER_YamahaNMax_1
Suspensões firmes e pneus largos garantiram estabilidade na pista
1237_495SCOOTER_NMAX11
O garupa conta com alça de apoio com boa empunhadura e pedaleira retrátil
1237_495SCOOTER_NMAX04
Tampa do tanque, que tem capacidade para 6,6 litros, fica no túnel central e tem padrão aeronáutico
1237_495SCOOTER_NMAX01
Túnel central diminuiu a praticidade e sacrifica o conforto do piloto

Ficha Técnica – Yamaha NMax 160 ABS

Motor: OHC, monocilíndrico, 155,1 cm³, quatro tempos, quatro válvulas, arrefecimento líquido.
Potência: 15,1 cv a 8.000 rpm
Torque: 1,47 kgf.m a 6.000 rpm
Diâmetro e curso: 58 mm x 58,7 mm
Alimentação: Injeção eletrônica
Transmissão: CVT
Suspensão dianteira: garfo telescópico com 100 mm de curso
Suspensão traseira: sistema bichoque com 90 mm de curso.
Freio dianteiro: disco simples de 230 mm de diâmetro com pinça simples e ABS
Freio traseiro: disco simples de 230 mm de diâmetro com pinça simples e ABS
Pneus: Dianteiro 110/70-13 e traseiro 130/70-13.
Quadro: Underbone em tubos de aço
Dimensões: 1.955 mm de comprimento, 740 mm de largura, 1.115 mm de altura;
Distância entre-eixos: 1.350 mm
Distância mínima do solo: 135 mm
Altura do assento: 765 mm
Peso a seco: 120 kg
Peso em ordem de marcha: 127 kg
Tanque: 6,6 litros
Cores: Branca metálica, vermelha metálica e cinza fosco
Preço público sugerido: R$ 11.390

>>Visite a nossa loja de motos

21 COMENTÁRIOS

  1. Tinha uma PCX 2013 a primeira que saiu e troquei agora pela Nmax. Olha não dá nem pra comparar o conforto de pilotagem os freios td na Nmax é melhor. Só achei o compartimento debaixo do banco menor que da PCX.

  2. Olá amigos, gostaria de saber se a Nmax aguenta uma viajem de 200km e qual a velocidade máxima que ela alcança na estrada?
    Estou em dúvida se compro a Nmax ou Pcx.
    Agradeço quem responder!!!

    • Bom dia!
      Eu acredito que aguenta a viagem tranquilo nunca apesar de nunca ter feito viagem longe com a minha. Sobre a velocidade máxima eu já fiz um teste logo que comprei e sem o motor estar amaciado e alcancei em uma descida 125km não passou disso não sei de cortou, ja na reta ficou entre 110 a 115 e em uma subida ficou entre 95 a100.
      Lembrando que sou pesado tenho 95kk.
      Tem estava na dúvida entre PCX e NMax mas 9 em cada 10 comparativos que pesquisei deram vitória a NMax e decidi por ela.

  3. Tenho uma Nmax comprada a menos de trinta dias e a suspensão é MUITO DURA, chega a ser desconfortável. A vibração do motor em baixa também incomoda, o resto é show. Façam um teste driver numa rua de paralelepípedo antes de comprar. Eu não fiz e me arrependi.

    • A suspensão tem 7 níveis de regulagem. Tinha uma PCX modelo 2015 que foi roubada e com o dinheiro do seguro estava aguardando a NMax, e vou te falar uma coisa: a suspensão é SHOW perto da PCX. Claro que é mais dura que de uma moto más nem se compara com PCX ou Lead. E não senti vibração no motor não, a minha está com 600KM.

      • A suspensão da Nmax não tem regulagem. Fiz a revisão de 1.000 KM e questionei o mecânico e ele disse que não tem. A vibração do motor é sentida claramente no guidão em baixa velocidade e melhora com o aumento da mesma. Para quem não teve outra moto ou scooter talvez ache normal, mas incomoda. Façam um teste driver antes de comprar e não se limitem a rodar só no asfalto, peguem uma rua de paralelepípedos.

      • Tem razão. Questionei o mecânico da CC ele confirmou. Em seguida, questionei o vendedor. O mesmo disse que a informação que a fábrica tinha passado era equivocada, porque é um modelo acima da 160 que tem esse recurso. Enfim, eu estou indo para o trabalho todo dia e pego ruas esburacadas e já tive a PCX 2015, e posso te falar que mesmo não tendo regulagem dá um SHOW na PCX. Se for pelo mesmo preço, eu não voltaria a comprar a PCX, nem o modelo 2016. Claro, a não ser que a Honda faça algo que tenha o mesmo preço, freios ABS de fábrica e um motor melhor, porque do modelo 2015 para o 2016 ainda temos menos CV, ou seja, a moto ficou mais fraca ainda em vez de melhorar. Em contrapartida ganhamos autonomia, mas, para quem roda em SP maior autonomia não me incomoda: rodo a semana inteira com 1 tanque,e no computador de bordo tá acusando média de 39KM / litro. Claro que eu ando na manha então isso pode influenciar.

    • Aguenta sim uma viagem de 200KM de boas. E outra: só por custar o mesmo preço da PCX e vir com ABS já vale a troca. Alias, te digo que ABS em moto deveria ser obrigatório: você só saberá que faz falta quando precisar usar. Eu estava na mesma dúvida que vc e fiz a compra pela Yamaha. Não me arrependo de forma alguma, já que ela tem mais potência e é mais segura. Eu e a patrôa na PCX ela sofria em subidas… Isso ainda no modelo 2015 que tem mais CV que a 2016. Com a NMAX vou de boa. Eu sou gordinho e a patroa um pouco cheinha então estamos no limite de 165KG da moto, e ela vai de boas. Ah, e diferente da Honda a Yamaha te deixa fazer um test drive. Boa sorte!

  4. qual a capacidade em kg máxima de carga. Na estrada pode viajar por quantas horas sem parar. Nao existe ainda bolha tipo da que a GIVI que fez padronizada para a Lead? Suporte para bauleto existe? Pilotei na estrada sem garupa e gostei do desempenho. Achei um pouco dura quando passa em pequenos defeitos do asfalto que é comum no Brasil, infelizmente.

    • No manual diz 168KM. Tempo de viagem também não tem: a NMAX (assim como a PCX) tem um sistema de economia de combustível quando detecta que a moto está em velocidade de cruzeiro (depois de X minutos em velocidade constante) regulando torque e tensão da transmissão para economizar combustível e a correia CVT. Na NMAX não sei mas eu fui daqui ao Guarujá com uma Honda Lead e não tive problemas com perda de performance. Fui também do ABC pra Vinhedo inúmeras vezes e também não tive problemas com desempenho. Aliás, viajar de Scooter é show… Melhor somente com as Big Trails.

  5. Hoje fui a uma concessionaria Yamaha para conhecer a NMax e a moto me surpreendeu em tudo! Excelente acabamento, ergonomia, motor e freios. O visual também é fantástico. Estava na duvida entre ela e a PCX mas vou de Yamaha com certeza. Quanto ao seguro, ha uma parceria da montadora com a Mapfre ate dia 06/07/16 onde o valor é fixo em R$750,00 independente de perfil, é só solicitar ao vendedor.

  6. Amigo, vc acha q quem quer mesmo o NMax vai deixar de comprar por 900, 1000 a mais? Eu comprei o NMax, apesar de gostar do PCX não há como comparar as tecnologias e a segurança do NMax. Prefiro pagar 900 a mais e o ABS me salvar a vida se eu precisar, do q economizar 900 e morrer!!! Segurança em primeiro lugar!

    • Oi Silvio, com certeza segurança e tecnologia são diferenciais dela. Você chegou a fazer seguro para ela? Os valores são esses mesmo?

      Abraços,

      • Caro Diogo, essa informação do seguro a R$ 1800,00 não procede, a não ser que esse valor esta sendo praticado em São Paulo (Capital), pois aqui na Região do Ribeirão Preto meu seguro ficou em R$ 716,00 reais pela Porto Seguro.
        Abç Mateus

  7. O seguro da PCX para São Paulo sai por R$ 900,00 (parceria da Honda com a Porto Seguro). A Nmax 160 com um seguro na ordem de R$ 1.800,00 é praticamente proibitivo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


7 + cinco =