Viagem de Motos à Africa: Guiné Bissau

0
755

Por Fausto Malheiros

roteiro

Alô amigos!!!!

Começaremos o ano com muitos lugares interessantes para conhecer, outros nem tanto, a miséria está muito presente na Africa. Vamos neste ano de 2015 seguir pela África, de Norte a Sul, começando pela fronteira européia do mediterrâneo até seu o extremo sul,  a África do Sul.

ruta guine Vamos percorrer em Guiné Bissau pouco mais de 600 Km. Uma rota onde cruzaremos todo o país, da divisa com Senegal até Serra Leoa e suas Ilhas. Sua malha rodoviária tem apenas 3.900 km, mas em sua maioria é de terra, então a recomendação de aventuras pra essa região é que sejam realizadas sejam realizadas em motos de suspensão trail, caso contrario deixara de conhecer vários destinos.

Quando ir:

Dezembro e Janeiro são os meses mais secos, frescos e a melhor época para visitar. Em fevereiro a temperatura também é agradável e pode divertir-se no colorido Carnaval de Bissau. Viajar pode tornar-se mais complicado durante a época das chuvas (Junho a Outubro), quando as estradas secundárias ficam inundadas e viajar de transportes públicos para locais remotos é um desafio. De Março a Maio são os meses mais quentes, com temperaturas (dia) a chegarem aos 34º e níveis de umidade muito altos, as temperaturas máximas durante o dia raramente descem dos 30º durante o ano. As principais rotas seguem as seguintes cidades:

• Bissau/Bafatá/Gabú/Piche;

• Bissau/Buba/Canchungo/Cacheu/S. Domingos. Cartões de débito e de crédito não são largamente usados, e como tem poucos bancos fora de Bissau, sua capital, dinheiro em espécie é a melhor opção. US dólares, francos franceses ou francos CFA são os que deve ter, habitualmente pode pagar o alojamento com qualquer uma destas moedas, alguns hotéis em Bissau aceitam cartões de crédito, mas não muitos.

São Domingos é a primeira cidade em Guiné vindo do Senegal, ela não oferece muito, mas a 50 km rumo ao litoral está Varela. Esta aldeia tem as melhores praias do continente. Alguns visitantes acampam na areia, mas se prefere dormir debaixo de um teto, existem quartos virados para o mar, e um hotel a cerca de 1 km da água. Varela tem a única praia de areia branca no “mainland” de Guiné-Bissau. É uma pequena vila litoral perto da fronteira com o Senegal, a norte do rio Cacheu. Varela tem somente um resort turístico perto da praia e outro abandonado. Há também uma pensão “humble” chamada “Chez Helene”, e uns hotel de bangalôs limpos e arejados. A praia de Varela é a perder de vista, enorme, de areia branca, sem ninguém, mar imenso, calor, água a 30 graus. Nosso próximo destino é Bissau (Quinhamel – Ilha Boloma). O acesso a Bissau pode ser feito por duas vias: a somente por terra, como assinalada no roteiro acima, ou a pela balsa. Há noticias de que a ponte sobre o rio Cacheu já está pronta apenas aguardando sua liberação.

A Capital do País em menos de meio século já viu de tudo. Da venda de escravos em 1687, Porto Livre em 1869 à capital do pais desde 1941. A cidade é calma e tem como seus principais pontos turísticos os seus palácios, museus e catedrais, o Centro Artístico Juvenil, com trabalhos de jovens artistas locais, onde se pode também, observar os artesãos trabalhando. Quanto aos mercados, o Mercado Central tem coloridas bancas de fruta, panos tradicionais e souvenirs. Já o mercado de Bandim tem menos artesanato, mas ganha nos produtos frescos. Sua principal avenida é a Amílcar Cabral, e uma curiosidade é que, o ao passar em frente ao Palácio Presidencial, não fotografe! É proibido e você não vai querer se protagonista de uma perseguição policial em Bissau.

aguardando a balsa rio cacheu
Fila para a balsa do Rio Cacheu.
na balsa
Acomodações VIP da balsa – sem seguro.

Ainda na região de Bissau tem Quinhamel, vale bem o desconforto da viagem – cerca de 40 km – sobre pista de terra batida e piso ondulado. A paisagem desta região é deslumbrante. O banho de rio e a refeição de ostras compensam uma viagem pouco cômoda. Aqui está instalado um bar onde os visitantes aproveitam para saborear as ostras compradas na aldeia. De Bissau se tem acesso às ilhas do arquipélago de Bijagós.

bijagos

Falar de turismo na Guiné-Bissau é falar do arquipélago dos Bijagós, o principal destino turístico do país. Com as suas 40 ilhas e ilhotas, Bijagós, é considerado o alvo do turismo guineense. Bubaque, Rubane e Maio são as ilhas mais conhecidas. Outros pólos de atração são as ilhas Formosa, das Galinhas e de Orango. Este Arquipélago rodeado de águas calmas, povoadas de peixes, moluscos e mariscos, num mar que ainda não sabe o que é a poluição, é a maior atracção turística da Guiné-Bissau e um dos locais mais bonitos do continente africano. Os Bijagós oferecem ao turista um conjunto rico em paisagem, etnografia e magia.

Nas suas aldeias transitam homens e mulheres de rara beleza. Nos seus canais passeiam grupos de turistas encantados. A população, cerca de 20 mil habitantes, sendo na sua maioria  de Bijagó, ocupa apenas 20 ilhas. Para quem gosta de coisas diferentes, uma viagem no Sambuia, barco que faz as ligações entre Bubaque e Bissau é um autêntico espetáculo. Porcos, galinhas, vacas e outros animais, acompanham os donos para serem transacionados no mercado. Um animado conjunto musical toca durante toda a viagem e todos dançam ao ritmo da música africana: passageiros e tripulação. O vinho de palma corre e escorre farto. As coisas ficam um pouco feias quando após muita dança e vinho de palma o mar começa a ficar agitado.

bubaque-02
Ilha de Bubaque

bubaque-05

A ilha de Bubaque tem sua única cidade com o mesmo nome. 48 Km/2 de vida selvagem, tem praticamente a metade de seu território tomado pela maré alta. Show da natureza. A ilha de Rubane, considerada um paraíso para os pescadores é uma das mais belas do arquipélago dos Bijagós. Aqui está instalado o Acaja Club, unidade especialmente montada para dar toda a assistência aos que gostam desta atividade desportiva. Este Clube é constituído por diversos Bangalôs, construídos com materiais característicos da região, a combinar com a paisagem circundante.

rubane
Praias do arquipélago de Bijagós

Abaixo vamos destacar alguns destinos interessantes do Arquipélago de Bijagós, isso levando em consideração que é o destino mais procurado pelos turistas de Guiné-Bissau.

• Não existem sistemas de pagamentos de cartões de crédito, câmbios nos bancos ou casas de câmbio em Bissau. Não existem bancos nos Bijagós e apenas se consegue trocar dinheiro nos melhores hotéis.

• Diferença horária: +2 horas do que no Brasil;

• Clima: A temperatura raramente baixa dos 28º/30ºC durante todo o ano, sendo os meses de Dezembro e Janeiro os menos quentes. A estação das chuvas é de Junho a Outubro, sendo o resto do ano a estação seca;

• Saúde: Embora nos Bijagós na estação seca existam poucos mosquitos, é aconselhável a profilaxia da malária e obrigatória a vacina da febre amarela. Recomenda-se o consumo de apenas bebidas engarrafadas, incluindo a água;

• Vestuário: Roupa leve e confortável. Se for na estação das chuvas, a umidade é muita e prepare-se para trocar de roupa várias vezes ao longo do dia. Para as ilhas, é conveniente levar um casaco e camisetas para os passeios de barco, que se podem prolongar até ao anoitecer.

Onde comer:

• Dos poucos restaurantes em Bubaque destaca-se o Dora, e junto ao Porto das Pirogas, o Sibita. • No resto dos Bijagós, apenas nos acampamentos de pesca.

Onde ficar:

• Em Bubaque: Kasa Afrikana, www.kaza-africana.com; Lodge Les Dauphins, www.lesdauphins.com; Hotel Le Calypso, e-mail calypsohotel@neuf.fr; e Hotel da Dora, tel. (+245) 82 11 75;

• Em Rubane: Ponta Anchaca, tel./fax: (00221) 9935161, www.lamaisonbleue.org/Maisons_Anchaca.htm e Club Tarpon, www.abtarponclub.com;

• Em João Vieira: Chez Claude www.bijagos-joaovieira.com; • Em Orango: Orango Parque Hotel, tel. 00871 761273221, e-mail orangotel@sol.grelecom.gw ;

• Em Ancorai (Unhocomozinho): Acunda Fishing Camp, www.diattacounda.com;

• Em Quéré: Mille Vague Fishing Camp, e-mail decouverte.bijagos@free.

resort
Resort Ponta Anchaça, um dos mais recomendados

Atividades no arquipélago:

• Para visitar os Parques Nacionais convém marcar estadias no Hotel Parque de Orango ou no acampamento de pesca Chez Claude, em João Vieira. No Parque de Orango, as estrelas são os hipopótamos, mas existe uma fauna e flora riquíssima. No Parque de João Vieira e Poilão a principal atração são as tartarugas na época da eclosão dos ovos;

• Em Bubaque deve-se visitar a praia de Bruce, no extremo oposto da ilha, e é possível organizar viagens de barco pelas ilhas. As tabancas são sempre lugares interessantes de visitar;

• A pesca desportiva é a principal atração turística dos Bijagós e, em Bubaque e Rubane, pode-se alugar nos resorts de pesca, barco e equipamento para um dia de emoções garantidas;

• O trekking é possível, mas convém ter atenção, pois existem bastantes lugares sagrados, onde apenas iniciados podem entrar. É preciso também não esquecer que os Bijagós são lugares selvagem e que existem alguns animais que devemos evitar, a saber: crocodilos do Nilo, pitons africanas e mambas verdes (muito venenosas);

O arquipélago é um destino imperdível. Seguindo nosso destino, esta Bafatá, a 150 km a este de Bissau. Uma das maiores cidades da Guiné-Bissau, com uma população de 10.000 habitantes, a cidade natal de Amílcar Cabral é um local surpreendentemente calmo. Como marca do passado colonial do país, casas antigas de estilo português ladeiam as ruas estreitas. A cidade está construída sobre um monte, virada para o rio Geba e a área envolvente é agradável para andar de bicicleta. As ruínas de Geba, um importante posto comercial português, encontram-se a cerca de 12 km para oeste. Uma boa opção em Bafatá é hospedar-se no Hotel Cape. Esta localizado a 9 km da cidade, é uma “aldeia hotel”. É constituído por 17 bangalôs duplos, todos com casa de banho privativa e ar condicionado, luxo em Guiné. Um bangalô central de maiores dimensões inclui a sala de jantar, o bar e a zona de lazer. Disponibiliza Atividades como a caça, de novembro a maio, no maior parque de caça de Guiné com mais de 3000ha, tambem o “bird watching”, passeios em rios infestados de crocodilos e passeios organizados às florestas. Uma forma de aproveitar, civilizadamente esse mundão pouco civilizado.

area DE ÇAÇA
Área de caça

Mais adiante esta Gabu com seus mais de 120 mil hábitantes. É uma cidade movimentada e um excelente ponto de partida para explorar o leste da Guiné-Bissau. Localiza-se a quatro horas de viagem de Bissau e há abundante oferta de parques naturais e desertos. Leve os seus binóculos, pois observar a vida selvagem é um passatempo comum. Algumas áreas são também aconselháveis para caminhadas. Não deixem de conhecer o Restaurante e a Boate JOMAV, referência em Gabu Buba.

Para quem se diverte mais com o esplendor da floresta tropical e as emoções dos safaris, Buba é uma boa sugestão. A estrada a partir de Bissau não é má e a região possui pista de aviação de terra batida. Recomenda-se uma viagem romântica de barco pelo Rio Grande de Buba. Durante a viagem o turista poderá saborear uma refeição de ostras, molusco abundante sobre as raízes dos paletúvios.

Vacinas aconselhadas:

• Febre-amarela (exigência de certificado de vacinação);

• Cólera (exigência de certificado para provenientes de zonas de risco);

• Febre tifóide;

• É aconselhável a profilaxia contra a Malária (Paludismo) antes, durante e após a viagem. Consulte o seu médico sobre as melhores medidas profiláticas. A água deve ser considerada imprópria e deve ser previamente fervida antes do consumo. Os serviços de saúde são muito raros e normalmente exigem pagamento imediato. Os medicamentos são extremamente raros.

Documentos Necessários: É necessário um visto de entrada na Guiné-Bissau, o qual poderá ser requerido junto das Embaixadas do País.

Documentação Necessária: Passaporte válido, respectivo impresso e fotografias.

• Vistos: Passaporte Urgente (48 horas) 40 -100 euros

• Passaporte Normal (2 semanas) 75 euros

Encerramos aqui este artigo, mas seguiremos em nossa saga rumo a África do Sul no próximo artigo. Este continente é imenso, muita coisa está por vir. Contribua com sua experiência por aquele mundo enviando sua sugestão, pois é carente de informações confiáveis na Internet.

Abraços

Fausto Malheiros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


6 − um =