Veja qual naked se adapta melhor a você

23
2296

O mercado das 250 cilindradas naked (isso inclui a linha Honda 300) está mais aquecido do que nunca. Depois de lançar a CBX 250 Twister em 2002, o segmento passou por pouca evolução e concorrência. A Honda transformou a Twister em CB e aumentou a cilindrada para 300. Nesses 10 anos, a Kasinski teve a Comet 250 melhorada significamente e o preço rebaixado para poder participar desse mercado. A Yamaha lançou a Fazer 250 em 2006 e deu um face-lift em 2010, recebendo um visual mais moderno e freio a disco traseiro. Resumindo, um mercado muito significativo dominado pela Honda e com a Yamaha tentando aparecer. Kasinski e sua “velha” Comet sobrevivem graças a um modelo bonito, bicilíndrico e diferenciado. Mas agora temos mais um jogador no campo. A Dafra, que vem adotando políticas mais agressivas comercialmente, trouxe, além da Roadwin, a Next 250 para enfrentar esse velho trio que já não inova a mais de dois anos.

Para isso, fizemos um resumo das principais características para ajudar você na escolha da sua próxima naked 250. Encontramos uma observação bem interessante ao pesquisar sobre as motos: os modelos da Kasinski e da Dafra podem ser encontrados na concessionária pelo mesmo valor de tabela das marcas. Na Honda, essa realidade é um pouco diferente. O preço praticado ficou R$ 310,00 mais caro. Já a moto da Yamaha foi o oposto. Diversas concessionárias de São Paulo estão dando um desconto e oferecem o modelo por R$ 479,00 a menos que o valor de tabela.

Honda CB 300 R


Sendo um sucesso de vendas, a Honda CB 300 R faz jus ao seu reconhecimento. De design simples, mas moderno, lembra as suas irmãs maiores, CB 600 F Hornet e CB 1000. Com uma característica mais esportiva, vem dotada de um motor com maior cilindrada e relação de marchas curtas, sendo bastante ágil para o dia a dia com torque sempre presente. A falta da sexta-marcha torna as suas respostas rápidas, mas sacrifica o conforto e o consumo em condições de rodovia. O motor ausente de vibração casa muito bem com o câmbio de engates perfeitos. As suspensões são firmes e chegam a ser desconfortáveis em relação a Next e a Fazer, ajuste esportivo que sacrifica o conforto. Os freios são muito bem dimensionados e contam com a assistência do C-ABS como opcional.

Pilotando a CB temos bastante prazer. Justinha, ágil e com comandos macios e precisos é uma opção acertada. Já os preços de tabela R$ 11.690,00 na versão sem ABS e R$ 13.390,00 na versão com C-ABS são bem salgados. Preço de mercado: R$ 12.000,00 (sem ABS).

Yamaha Fazer YS 250


Reformulada em 2011, a Fazer 250 é o segundo modelo mais vendido da categoria. Dona de um visual moderno, conta com recursos ausentes na Honda, como lanterna de led e um acabamento mais esmerado. O seu motor de 250 cilindradas é o mesmo desde o lançamento em 2006 e prima pela robustez e economia de combustível, apesar de ser um tanto áspero. Também herdado do lançamento é o câmbio de 5 velocidades que apresenta engates duros e difíceis. Priorizando o conforto, ela possui suspensões macias, guidão alto e pedaleira adiantada, garantido mais conforto que qualquer outro modelo desse segmento.

Apesar disso, ela é bem neutra nas curvas e passa bastante segurança. A Yamaha é uma opção bem sensata, pois não custa mais que as rivais e não deve muito em desempenho para a Honda, além de ter o conjunto mais equilibrado. O que pesa contra ela são detalhes que não deveriam existir em uma moto com seis anos de mercado, como o freio dianteiro “borrachudo” e o câmbio de engates difíceis. Preço de tabela é de R$ 11.279,00. Preço de mercado: R$ 10.800,00.

Kasinski Comet GT 250


Lançada em 2005, desde então a Comet é reconhecida pelas suas dimensões avantajadas e porte que lembram uma moto de 600 cilindradas. De lá para cá, recebeu melhorias em diversos pontos e, principalmente, teve o seu preço reduzido. O problema é que quando ela chegou em sua melhor forma, o projeto já não convenceu tanto. A posição de pilotagem é atípica, com o banco distante do guidão, em que o piloto fica com os braços mais esticados. Esterça pouco e o conforto não é a sua prioridade, principalmente o garupa. Contudo, é a única no comparativo com motor bicilíndrico, o que a torna a melhor opção para andar em rodovias, visto consegue atingir maiores velocidades.

Indicada para quem pretende viajar só ou roda pouco diariamente, pois sem dúvida o design e a motorização a colocam um passo adiante. Freios, suspensões, câmbio etc., são medianos em comportamento. Preço de tabela e de mercado: R$ 10.990.

Dafra Next 250


A Dafra chega forte no segmento das 250 cilindradas. Para isso, traz itens importantes para o público que busca diferenciação, como um design muito atraente, rodas descentralizadas e motor refrigerado a água com injeção eletrônica, além de um câmbio de 6 marchas. Painel com iluminação azul, lanterna traseira de led, luz de posição e acabamento esmerado fazem a diferença.

O motor é bem elástico e o desempenho lembra o da Fazer, assim como a dificuldade em engatar as marchas, às vezes, como na Comet. Os freios são muito bons. O conjunto ciclístico não beira a precisão da Fazer e da CB, mas é bem equilibrado, tendo as suspensões um pouco mais rígidas do que gostaríamos. Preço de tabela e de mercado: R$ 10.190,00.


23 COMENTÁRIOS

  1. Eu tenho uma fazer 250 e estou plenamente satisfeita. Em relação a concessionárias, já estão amplamente difundidas. Ela tem torque suficiente e satisfatório para andar no trânsito. Ela é uma moto pra quem precisa de velocidade aliada à economia. É muito confortável e seus acessórios são ótimos. Mas em duas coisas eu concordo: seu freio dianteiro é meio borrachudo e seu câmbio um pouco seco. Mas foi só rodar um pouco que estes itens não fizeram mais diferença, me apaixonei pela moto.

  2. estou pesquisando a varios dias sobre motos 250 pois estou querendo trocar minha cg 150 a qual gosto muito eu me apaixoneia primeira vista pela comet 250 até fazer um test drive e vi que não é bem aquilo tudo mas é muito bonita ..continuando depois de tempo de pesquisa em preço, qualidade, designe, e ciclistica decidi que vou ser proprietario de uma next 250 se ela vai perder valor de revenda? só o tempo dira mas eu vou de next valeu!!!!!!!!!!!!

  3. Estarei comprando minha moto nova esta semana e optei pela Fazer 250 pois achei que no momento é a de melhor custo beneficio.Na verdade eu fiz o teste em todas as aqui mencionadas e para mim a melhor para se pilotar foi a Next e sob um contexto geral é uma moto de 1° mundo , mas ainda assim fico com um pé atrás pois até pouco tempo eu tinha uma apache 150(excelente moto)que respondeu em todas as expectativas , mas o pós-venda é horrivel e a assistencia tecnica chega a ser deplorável , é quase impossível alguem ter uma moto da DAFRA e manter um bom relacionamento com a assistencia tecnica e concessionaria.Mas o pior foi ver minha moto chegar a uma desvalorização de quase 50% do valor pago (comprei a vista)em um ano de uso!! Isto mesmo! Em apenas um ano eu perdi quase 50% do valor empregado na moto.Acredito que muitos aqui como eu estão fazendo suas pesquisas para definir qual moto comprar sob um preço justo e que responda as suas necessidades e ai fica uma simples pergunta o quanto vocês dão valor ao seu dinheiro?

  4. Quem tem Comet 250 chega a rir destes comparativos e os respectivos comentários. É tanta desinformação, preconceito e porque não dizer, despeito !

    Motor, desempenho, ciclística, design, porte e principalmente, prazer em pilotar, nem tem comparação.

    Quem não for de Comet, tudo bem, a gente te espera , somos compreensivos !

    • A Comet é uma excelente moto amigo, e claro que os dois cilindros fazem toda a diferença quando se anda nas BRs ou demais estradas rápidas.

      Porém para o trânsito das cidades ela não é a mais indicada.
      Seu porte avantajado só atrapalha, apesar de ser muito bonita e imponente…

      Em velocidade ela bate todas com folga (exceto a Ninjinha, que não sei pq não está neste comparativo), mas não é só isso que o pessoal busca.

      Ela fica devendo em conforto (quem já andou numa Next e numa Fazer nota fácil a diferença), fora que ela é beberrona pra andar na cidade, “malemá” faz 22-25 km/l, enquanto a Next chega a fazer de 32 a 35 km/l…

      Resumindo: Se você vai pegar estrada direto, vá de Comet.
      Se vai ficar na cidade, não vale a pena.

  5. Senhores, acompanho estes comparativos por muito tempo e vejo que cada um tenta puxar a sardinha para o lado que mais lhe agrada, mas vou ser bem realista em meu relato, eu tinha uma CG150 e queria uma de cilindrada maior, sou uma pessoa gosta de motos e não por marcas, então resolvi fazer os testes em todas antes de comprar, rodei na CB300, ótima moto, gostei do acabamento e da potência, rodei na Fazer, ótima moto, a mais confortável que rodei perde para a CB300 em potência e final, rodei também na Comet, tenho que ser realista até antes de rodar era meu sonho, mas como sou um cara grande ela não me caiu bem meu braço ficou doendo devido a posição mais esportiva mas em relação de velocidade, quando estava rodando (fiz o teste em um trecho de BR) me assustei quando estava a 160KM e foi rápido, não tive a oportunidade de rodar na Next mas a vi recentemente e achei muito bonita e preço justo.
    Então vai o que acho:
    A melhor é a CB300 mas o preço não é justo, mas em relação de revenda e peças de reposição é vantagem.
    Logo após vem a Fazer, só perde devido a potência, ganha em conforto e economia, o valor é justo, mas não se encontra assistência em qualquer lugar.Já morei em várias cidades e posso afirmar.
    A Comet é uma classe a parte que deve ser analisada pelo seu uso, para o dia a dia não é legal, mas para a estrada é ótima.
    A Next só posso falar da beleza, mas ainda vou ver se enrolo o cabo dela.
    Mas este é meu relato cada uma tem um gosto, espero que tenha ajudado.
    Sse procura conforto e economia vá de Fazer, potência e conforto em cidade vá de CB300, se é para pegar estrada vá de Comet, lembrando que desconheço a assistência técnica da Kasinsk, e a Next eu esperaria para ver o mercado e a moto como se sai. Um grande abraço a todos e lembrem-se que o importante é rodar de moto, independente de qual for, este é o prazer que eu tenho.

  6. Boa Noite.

    Concordo plenamente com o Felipe Luiz. E em relação ao freio da Fazer ser borrachudo, não vejo isso. Já vi em vários fóruns o pessoal reclamando dos freios, tanto da Fazer quanto da Lander. Tenho uma Lander a um ano e não vejo isso. Acho eles muito eficiente.
    Em relação a CB 300 acho realmente que seria a ultima da lista. Primeiro pelo seu visual, que não é nada agradável (gostos a parte). E em segundo lugar seus recall, algo muito comum na honda. Lembram?

    CG 150 Corrente de comando
    Biz 125 Solda do quadro
    Broz 150 acelerador
    XRE Freios (ABS) e Coxins
    CB300 Coxins e agora freio dianteiro.

    Esses são alguns que eu lembro agora.

    Concluindo, a Fazer é a mais indicada. E vale lembra ao pessoal que compra penssando em bota 200kmh nessas motos, que são 250.

  7. Levem em consideração esses itens:

    – Preço do seguro (descarta CB e Fazer, e o da Comet tbm não é nada barato)
    – Visado para roubo (descarta CB e Fazer)
    – Assistência Técnica (descarta Comet, e qualquer outro lixo da kasinski)
    – Pós-venda (descarta Comet, e qualquer outro lixo da kasinski)

    A Next se sobresai nos itens preço do seguro e visado para roubo.
    A assistência técnica e pós-venda, só o tempo dirá..

    mas no geral, não quero ficar com o c* na mão ao dirigir uma moto visada, mesmo tendo seguro.. e tbm tenho dó do meu dinheiro em gastar essa fábula com seguros. Tenho uma mirage 150cc beirando os 27.000 km então posso dizer com propriedade que kasinski NUNCA MAIS!!

    Trocarei de moto até o final do ano, e estou tendendo fortemente para a Next.. se eu não pegar a Next, talvez pegue uma Teneré 250.

      • Ao contrário meu caro…
        Possuo uma Mirage 250 com apenas 15000km rodados e estou desesperado para passar adiante essa tranqueira…não é uma moto para o dia a dia e sim para ficar em uma vitrine somente para exposição..quebra demais e suas peças são complicadas de encontrar…

  8. Minha ordem de chegada é: 1o. Fazer, 2o. Next 250, 3o. CB 300R, 4o. Comet. Aproveitando o gancho do Filipem: como anda o projeto KTM BRASIL??? Nunca mais saiu nem uma virgula a respeito. Será que já melou?…

  9. Achei legal o camparativo apesar de curto, tenho duvidas sobre qual 250 comprar(primeira moto) e estou fazendo algumas analizes, cheguei a cogitar a d-tracker porem elas se nao acabaram estão para. Estou esperando que a KTM de mais noticias da Duke 200 pois pelo que andei lendo parece ser uma moto fantastica, porem o preço dela na italia já esta em 10k(reais), gostaria de ver por quanto ela viria e se viria. Entrei em contato com a KTM via site e nao obtive noticias, se alguem souber de algo, fico feliz em saber.

    abs!

  10. Algumas coisa me chamaram a atenção e postarei aqui, organizadamente:

    CB300: Pra mim é uma moto muito grotesca no sentido do design. Ela me lembra muito a CG Titan em muitos detalhes como setas(herdados da CG), lateral central, farol e rabeta. A carenagem em plástico preto e o péssimo acabamento dos detalhes em alumínio mostram que ela é o que é pela marca.

    Achei interessante que foram os únicos que falaram das relações de marchas curtas, coisa que me incomodou quando andei, deveria ser um pouco mais longa, coisa de 5 a 10 km/h em cada uma das três primeiras marchas.
    Estranho foi a suspensão com ajuste de carga, coisa que ainda não achei, pois ela é convencional igual ao da Bros.

    Minha classificação: 4º lugar

    Fazer 250: Seu acabamento, seu conforto, sua relação desempenho x consumo, durabilidade e relação custo x benefício são superiores a qualquer uma deste comparativo. Realmente, os engates do câmbio é duro, mas não achei impreciso. Os freios poderiam ser menos borrachudos, mas são eficientes. Seus itens de série são úteis como protetores de bengala, paralama traseiro e suspensão monocross com cinco regulagens de pré carga. A concepção do motor é a melhor para a cilindrada, pois tem pistão forjado e cilindro revestido em cerâmica. Tem o melhor e mais bonito painel de instrumentos.
    Pra ela faltam as setas na cor branca/transparente, esse laranjado está bem tosco.

    Minha classificação: 1º lugar

    Comet 250: Seu motor deve ser o mais esportivo de todos, tal qual, sua posição de pilotagem. Com certeza está segmentado para quem quer esportividade, pois tem motor pra isso, só a relação de marchas são longas demais. Está claro que ela prima pela esportividade.
    Deveria mudar o painel pois atualmente se encontra defasado, coisa que há dois ou três anos atrás não era. A relação de marcha deveria ser mais curta, coisa de 10 km/h em cada marcha. O farol, ao meu gosto, deveria ser diferente.

    Minha Classificação: 3º lugar

    Next 250: uma moto moderna, linda e que veio pra ficar. Vai incomodar muito, desde que o brasileiro deixe de ser bitolado em Honda que prima mais pelo marketing do que pela engenharia. Tem todos os atributos para vender, só falta provar que aguenta os trancos do brasileiro, relaxado, diga-se de passagem.
    Completa e barata, excelente receita, mas acho que ainda deveria custar uns 500 reais a menos. Veremos no que vai dar.
    Única coisa que deveria mudar é o conta-giros, bem defasado. Deveria ser mais parecido com a da Roadwin.

    Minha Classificação: 2º lugar

  11. Achei bom o acabamento da Next, fora ser refrigerada a água. Alguém confirma que ela tem revestimento em cerâmica nas paredes do cilindro como a Fazer?.

    PS: Na parte sobre a CB300 diz “A falta da quinta-marcha”. No caso sería a falta da sexta marcha.

  12. Acho que essa moto vai fazer muito sucesso aqui no brasil, eu tenho uma YBR factor queria trocar por uma FAZER ou CB mas vi essa moto e pretendo compra-la, vou esperar até o final do ano pra ver como se sai, estou pesquisando muito sobre a marca SYM, já vi que essa marca já é reconhecida mundialmente e ja ganhou vários prêmios de qualidade e na europa e asia ela faz sucesso alem de vender para os EUA e Canada. Essa moto muito linda da uma visão de 600cc fora os detalhes de no tanque na regulagem 6 marchas e Refrigeração líquida o valor tambem e a marca tambem não muito visida, acho que vale a pena, a única coisa que me deixa meio assim são as peças de reposição, Kit relação e o pneu é nacional mas tem as pastilhas de freios e outras coisas. Mas acho que vale a pena.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


3 × = vinte sete