Suzuki GSX1250FA – A “Bandida” do Bem

10
360

Suzuki_GSX1250FA

Foto: Roberto Severo

Suzuki GSX1250FA – A “Bandida” do Bem

A proposta era simples: fazer uma viagem ao sul do país, a bordo de uma moto confiável, rápida e segura, e escrever sobre isso. Sabia que o risco de uma má escolha da montaria sempre estaria a espreita, escondido nas curvas, nos buracos de estradas ruins, no orvalho da pista de rodagem, no trânsito, entre outros vilões. O destino também deveria ser escolhido a dedo para propiciar além de belas fotos, uma estadia agradável conferindo um merecido descanso a cavaleiro e montaria.

Suzuki_GSX1250FA_1

Aqui começa nossa jornada entre a cidade de São Paulo e o belíssimo Costão do Santinho em Santa Catarina, este foi o trajeto de quase 1500km. (ida e volta) que percorremos, eu e a grandona da Suzuki:

Saí aproximadamente às 10:00hs da manhã de São Paulo, e via BR116 rumei ao sul do país. O motorzão da FA não faz feio em nenhuma das 6 marchas, carregou seus 247kg de peso, mais piloto e passageiro, fácil, fácil. A retomada é excelente e seus 98 cavalos (a 7500rpm) mostram os dentes acima dos 3.500rpm (110km/h), quando seus 1255 centímetros cúbicos injetados explodem de maneira lisa e com ronco delicioso. O escarpamento, apesar de lembrar os modelos antigos da Suzuki produzem um ronco bastante agradável.

Suzuki_GSX1250FA_2

Suzuki_GSX1250FA_3

Segundo a Suzuki, este modelo regula inteligentemente o tempo de injeção que determina a quantidade de combustível que chega aos cilindros, calculando e ajustando de acordo com o regime de RPM, marcha engatada, posição do acelerador, temperatura e pressão do ar de admissão. Parte da leitura é feita através de um sensor de oxigênio instalado no sistema de escape. Esse sensor analisa a composição dos gases do escapamento e permite que o sistema de gerenciamento do motor possa ajustar o fornecimento de combustível para uma queima mais completa, reduzindo, assim, a emissão de poluentes.

Suzuki_GSX1250FA_4

Para se ter uma boa ideia, segue uma tabela de aceleração do modelo “de fábrica” da FA:

Aceleração
0-100 = 3.4s
0-140 = 5,9s
0-200 = 13,7s

Retomadas
60-100 = 3,9s
100-140 = 4,2s
140 – 180 = 5,6s

Freios

O freio ABS (simples na traseira e duplo na dianteira) fizeram seu papel exemplarmente quando foram exigidos, sob chuva ou sob sol. Vale dizer que no percurso total, peguei quase 600km, de chuva fortíssima, e a moto em nenhum momento se mostrou insegura, ou perdeu a aderência, seja traseira, ou dianteira, mesmo em situações de frenagem brusca em pista molhada. Ultrapassagens eram feitas de forma rápida e segura. A Suzukona parecia uma pluma singrando pela estrada.

Suzuki_GSX1250FA_5

Ciclística

Sua ciclística propicia curvas em alta velocidade e confere muita segurança para retomadas em retas. Só se mostrou um pouco desajeitada para manobras “curtas” no trânsito e estacionamento. É peixe de rio largo mesmo, não se contenta com riacho ou igarapé.
Suzuki_GSX1250FA_6

Chegando em Santa Catarina, andei com passageiro no seco, e a moto se mostrou bastante agradável também. Rodei com aproximadamente 170kg extras, entre tripulantes e bagagem, tudo tranquilo, a moto praticamente desconheceu a carga extra. A suspensão não “curte” muito buracos, afinal não é a proposta da moto, porém não chega a incomodar. O painel é de fácil entendimento e bastante intuitivo.

Filme Oficial da Suzuki 1250FA:

Ergonomia

Fiz poucas paradas, justamente para verificar a qualidade ergonômica do conjunto, a cada 250km. fazia um pitstop e avaliava, homem e máquina. A postura de pilotagem é boa e mesmo assim propicia uma aerodinâmica adequada para enfrentar o vento, o banco é largo e confortável (tanto garupa quanto piloto), com alça lateral o que ajuda tanto na segurança do piloto, quanto para amarrar bagagem.

Suzuki

Todo Aquiles tem um calcanhar

O ponto fraco foi o consumo, que não foi tão legal. Está certo que fui em um ritmo forte, mas a moto fez aproximadamente 20km/l. O que a faz um pouco beberrona. 4 cilindros é isso, e se o piloto se animar um pouco enrolando o cabo, acaba por gastar muito com “cachaça” para a grandona.
Suzuki_GSX1250FA_8

Costão do Santinho

Não posso deixar de falar do meu destino: o Costão do Santinho (google it!), é parada obrigatória para os motociclistas que quiserem conhecer um super resort em Santa Catarina. De lá é possível passear de moto para as mais belas praias da região a poucos quilômetros. Fazer trilhas, e se mimar bastante no regime “all inclusive”. Depois é só re-calibrar os pneus por causa do aumento de peso corporal e rumar serra acima! Todas as imagens da matéria são do resort.

Suzuki_GSX1250FA_9

Suzuki_GSX1250FA_10

Retorno

Como todo retorno, a viagem parece maior do que a volta, desta vez fiz o percurso a noite e gastei doze horas. o conjunto ótico se mostrou muito bom, inclusive com serração e chuva (haja água). Peguei um terrível congestionamento na serra próximo a São Paulo, mas a moto reagiu bem novamente, se mostrando ágil apesar do seu corpanzil carenado (FA = Fairing).

Suzuki_GSX1250FA_11

Os espelhos instalados na carenagem, na ponta de hastes a frente do gudião são excelentes, não somente pela posição, quanto pelo formato que propicia uma ótima visão traseira, além de ser possível fechar as hastes deixando a moto mais compactas para efetuar algumas manobras de estacionamento, por exemplo.

Suzuki_GSX1250FA_12

Finalmente chegando a cidade de São Paulo sem trânsito, de madrugada (cheguei próximo das três da manhã) a bela da Suzuki não mostrou nenhum ruído diferentes, ou desgaste por causa do longo périplo. Estacionei a moto na garagem, cansado, afastei e fiquei olhando alguns segundos. Que bela moto! Disse silenciosamente obrigado piscando prolongadamente com os olhos, e fui descansar.

Suzuki_GSX1250FA_13

Conclusão

Apesar de sofrer um tanto na cidade, chega a ser uma “600” super-crescida com problemas de articulação para manobras “curtas”.

Repito, nos 1500km rodados intensamente, não houve uma falha mecânica, elétrica ou funcional da moto que me colocasse em situação de insegurança e perigo. Se você é amante de mototurismo e quer uma moto versátil para a estrada, sua “road bike” é a “bandidona”. Rápida, confiável, confortável e principalmente amiga do bolso para aquisição (o consumo é outra história). Por R$ R$ 42.900,00 (sugerido) é possível levar para casa um brinquedo de duas rodas capaz de fazer quase tudo bem e sem passar nenhuma vergonha com um motor muito potente e confiável. O que se pode querer mais?

Suzuki_GSX1250FA_14

Características Técnicas

FICHA TÉCNICA

  • Motor 4 tempos, refrigeração liquida, DOHC, 4 cilindros
  • Cilindrada 1255 cc
  • Diâmetro x curso 79 mm x 64 mm
  • Sistema de arranque Elétrico
  • Transmissão 6 velocidades
  • Potência 98cv (7500RPM)
  • Comprimento total 2130 mm
  • Largura total 790 mm
  • Altura total 1235 mm
  • Distância entre eixos 1485 mm
  • Distância ao solo 135 mm
  • Altura do banco 805 – 825 mm
  • Peso a seco 257 kg
  • Suspensão frente Telescópica hidráulica com mola helicoidal.
  • Suspensão trás Por alavancas, amortecedor hidráulico com mola helicoidal.
  • Travões (freios) frente/trás Duplo disco / Disco
  • Pneus frente 120/70 ZR17 M/C (58W), tubeless
  • Pneus trás 180/55 ZR17 M/C (73W), tubeless
  • Tanque de combustível 19 L

Keep riding!

Suzuki_GSX1250FA_15

10 COMENTÁRIOS

  1. Acho muito engraçadas essas avaliações… Todas as motos que tive nunca atingiram o consumo que falam. Tenho uma FA (fairing + ABS) que faz 10 na cidade e 12 na estrada. Passeando maneirinho, consegue 15/l, mas aí seria melhor uma 250 ou 300, que fazem 25/l.
    20 km/l??? É cabeça de bacalhau, nunca vi. Mas de resto, a moto é tudo isso que foi dito. Excelente. E pra falar de preço, hoje está por 33k, zerada nas lojas. 10 paus mais barata. Quem pagou 42 está lascado.

  2. Eu tenho uma 750F quando o assunto é consumo sou do tipo que faz todos os testes, Motores 4cl só são econômicos se souber aproveitar o motor, por exemplo nunca ir mais q 4000rpm em marchas fortes, minha moto aceita 6ª a 30KM/h viajando com uns colegas de xRe minha moto fez 23.2 Km/l andando a 110 em media.

  3. Melhor que Gsx 1250 fa , somente a Hayabusa !! Já tive a Bandit 1200 S e a Hayabusa. A Bandit bebia mais, porque acima dos 120 km/h ela bebe mesmo!

  4. Tem um equivoco neste consumo, pois ela não faz (com gasolina brasileira) mais que 17km\l, andando entre 100 km\h e 120 km\h, enrolando o cabo cai para 12 ou 13 km\l. Numa viagem longa considere 15 km\l de média para ter uma segurança de autonomia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


sete + = 8