S 1000XR, Multistrada 1200 DVT: aventureiras roubam a cena

0
664

S 1000 XR, Multistrada 1200 DVT, entre outras: fabricantes apostam em estradeiras de alto desempenho, design agressivo e conforto para rodar em qualquer tipo de estrada, desde que seja asfaltada.

s1000Xr_destaque
Três modos de pilotagem e assistente de troca de marchas são atrativos na BMW S1000XR

S1000RR
TEXTO: Cicero Lima / Agência INFOMOTO
FOTOS: Divulgação

Aventureiras do asfalto

A edição deste ano do Salão Duas Rodas, realizada entre 7 e 12 de outubro em São Paulo, revelou uma tendência já verificada nos salões europeus: uma grande quantidade de novas motos destinadas ao turismo. Quem observou os estandes dos fabricantes europeus notou o lançamento de modelos equipados com motores potentes, mas com suspensões de longo curso e até mesmo um visual aventureiro. Marcas como BMW, Ducati e MV Agusta notaram que muitos motociclistas buscam modelos mais esportivos e bonitos do que as big-trails, mas também não querem as tradicionais sport-touring com suas enormes carenagens que mais parecem motos de pista.

Essa nova demanda dos consumidores acabou gerando uma nova categoria de motos: as esportivas aventureiras. São motos que entregam o conforto da posição de pilotagem ereta sem abrir mão da esportividade do motor. Na parte ciclística, essas aventureiras do asfalto contam com suspensões de longo curso para enfrentar estradas secundárias que podem ter buracos, valetas ou lombadas, seja na Europa ou no Brasil, mas passam bem longe da terra. Conheça os principais modelos desse “novo” segmento:

BMW S 1000XR

A receita alemã para agradar a esse consumidor é a S 1000 XR. Montada em Manaus, a moto compartilha o motor de quatro cilindros da superesportiva S 1000RR, porém amansado: ao invés de 200 cv, na nova XR o motor oferece 160 cv de potência. Além disso, a nova XR traz suspensões de longo curso e uma posição de pilotagem mais ereta.

O modelo conta ainda com preparação para GPS, aquecimento de manoplas, suporte de malas laterais e assistente de troca de marchas, itens que proporcionarão mais conforto em uma longa viagem. O preço sugerido é de R$ 68.900, bem próximo da R 1200GS. “O perfil desse cliente é outro. Ele é mais esportivo e vai usar a moto na estrada”, acredita a gerente de marketing da BMW Motorrad, Luciana Francisco.

s1000Xr
BMW S 1000XR oferece muita eletrônica embarcada e até aquecedor de manopla

Ducati Multistrada 1200 DVT

A italiana Ducati apresentou uma nova versão da Multistrada 1200, agora equipada com guidão mais largo e maior curso de suspensão, além de um novo motor mais potente. Segundo o fabricante, o modelo é feito para quem gosta de se divertir nas curvas, mas não abre mão de encarar estradas ruins. Para isso a Multistrada oferece diferentes modos de pilotagem, controle de tração, freios ABS, piloto automático, assento com regulagem de altura e faróis de LED. Seu motor de dois cilindros também atinge a potência de 160 cavalos. Completa o conjunto as malas laterais, parabrisa elevado, protetores de mão e tanque com capacidade para 20 litros.

multistrada
Para encarar longas distâncias a Ducati Multistrada oferece motor com 160 cv e tanque de 20 litros

A nova Multistrada só vai desembarcar no Brasil em 2016 e o preço ainda não foi definido. Entretanto, aprimorado, o modelo tem tudo para repetir o sucesso da antecessora, uma das motos mais vendidas da Ducati em todo o mundo.

multistrada_2
Protetor de mão, preparação para GPS e muita eletrônica são atrativos da Ducati Multistrada

Herança esportiva

Conhecida pelas suas motos superesportivas, a também italiana MV Agusta, mostrou a Turismo Veloce, a primeira sport-touring da marca. Apesar da nomenclatura, o modelo tem suspensões de longo curso e o mesmo porte de outras aventureiras esportivas.

mv_agusta_TurismoVeloce1
MV Agusta Turismo Veloce tem o conforto que falta nas esportivas, mas mantém o DNA da marca

Equipada com motor de três cilindros, 798 cm³ e 115 cavalos de potência máxima, a Turismo Veloce tem malas laterais de série, e tanque de combustível com 16 litros de capacidade. Um poderoso sistema de freios, disco duplo na dianteira e simples na traseira, traz sistema ABS e RLM (Rear Wheel Lift-Up Mitigation) que impede a roda traseira de levantar durante a frenagem. O modelo vai começar a ser vendido no início de 2016 e ainda não tem preço definido. À época do seu lançamento na Europa, o presidente mundial da MV Agusta, Giovanni Castiglioni, afirmou que a inspiração foi o Porsche Panamera. “Ela foge do lugar comum, tem alto desempenho e tecnologia embarcada, além de ter um desenho marcante, que traduz, ao mesmo tempo, agressividade e conforto”, resumiu Castiglioni.

mv_agusta_TurismoVeloce2
MV Agusta malas laterais, suspensão de maior curso e guidão elevado para atender um novo consumidor

SUV em duas rodas

Entre os japoneses, a Yamaha mostrou estar “antenada” a essa tendência e mostrou a MT-09 na versão Tracer. O modelo, avaliado em R$ 45.990, oferece a esportividade do motor de três cilindros (847 cm³ e 115 cv) embalado em um visual arrojado e suspensões de longo curso. A Tracer ainda traz parabrisa e banco bipartido para aumentar o conforto se comparada à naked MT-09, modelo no qual a moto é baseada.

yamaha_tracer
A Tracer da Yamaha é uma versão da MT-09 equipada para longas viagens

Segundo Marcio Hegenberg, diretor comercial da Yamaha Brasil, a Tracer é a SUV das motos. Ou seja, assim como nos carros desse segmento, oferece esportividade e versatilidade para encarar as estradas e agradar aos motociclistas que se aventuram no asfalto.

yamaha_tracer_2
Yamaha Tracer será vendida no Brasil. Alguns equipamentos, como as malas, são opcionais

>>Visite a nossa loja de motos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


+ sete = 13