Retrospectiva 2017: fatos que marcaram o mundo das motos

0
116

Popularização dos scooters, freios mais eficientes, Salão Duas Rodas e outros acontecimentos relembram como foi o ano no segmento de duas rodas

SDR2017_2017
Salão Duas Rodas 2017 teve diversos lançamentos e recorde de público

TEXTO: Arthur Caldeira / INFOMOTO
FOTOS: INFOMOTO e Divulgação

Retrospectiva: 10 fatos que marcaram o mundo das motos em 2017

Mais um ano chega ao fim. Embora 2017 não tenha sido dos melhores para as motos, nem tudo foi ruim no segmento de duas rodas. As vendas continuaram caindo em relação a 2016, porém a queda parece ter dado uma trégua nos últimos meses. Ainda é pouco para se falar em recuperação, mas foi o suficiente para animar os fabricantes, que já projetam um crescimento tímido de 5% para o próximo ano. Mas, antes de fazer os planos para 2018, vamos relembrar 10 fatos importantes que marcaram o ano em duas rodas.

– Scooters caem no gosto do brasileiro – No início de abril, a Honda lançou o SH 150, terceiro scooter do seu line-up. Com visual requintado, rodas grandes (aro 16) e freios ABS de série, o modelo veio disputar um segmento que não para de crescer. Segundo a Abraciclo, associação dos fabricantes, as vendas de scooters devem aumentar 57% neste ano: passando de 37.293 unidades vendidas em 2016 para 58.600.
As opções também estão cada vez mais variadas. Além do campeão de vendas PCX 150, a Honda oferece o SH 150 e o SH 300 – e agora o sofisticado e caro X-ADV. Já a Yamaha aposta no popular Neo 125 e no moderno NMax 160, que tem ABS de série. Uma saudável disputa, na qual quem sai ganhando é o consumidor que busca mobilidade e praticidade nesses charmosos veículos de duas rodas.

SCOOTERS_SH150_2017
Os scooters, como o Honda SH 150, caíram no gosto do consumidor brasileiro. Vendas devem crescer 57%

– Marca nova no mercado – As crises econômicas e políticas adiaram, mas não cancelaram, a chegada da anglo-indiana Royal Enfield ao Brasil. O plano era iniciar as atividades em 2016, mas somente em abril deste ano, a Royal Enfield, controlada pelo grupo indiano Eicher Motors, desembarcou oficialmente com uma subsidiária local e planos de longo prazo para o nosso mercado.

ROYAL_ENFIELD_2017
Royal Enfield chegou oficialmente ao Brasil em abril com três modelos importados

Os três modelos disponíveis têm visual clássico, mecânica simples e preço acessível – variando entre R$ 20.000 e R$ 25.000 – e estão sendo vendidos na única concessionária da marca, localizada na cidade de São Paulo. Para o próximo ano, devem desembarcar por aqui novidades mundiais do line-up da Royal Enfield, como a trail Himalayan de 400cc e os recém-lançados modelos bicilíndricos de 650cc.

– Freios combinados oferecem mais segurança – Gradativamente, os fabricantes estão oferecendo motos com sistemas de freios aprimorados, o que significa mais segurança para o motociclista. Neste ano, as versões populares da CG 160 – Start e Fan – ganharam os freios combinados da Honda. Até mesmo a trail NXR 160 Bros recebeu o sistema que distribui a frenagem entre a roda dianteira e traseira, caso o motociclista pise apenas no pedal de freio traseiro.

BROS160_CBS_2017
Freios aprimorados: até a trail Honda NXR 160 Bros ganhou freios combinados

Apresentada no início de dezembro, a nova geração da Biz (110cc e 125cc) ganhou o CBS (Combined Braking System). Outros fabricantes, como Yamaha e Kawasaki, também lançaram modelos com sistemas de freios combinados ou ABS.

– Revolução custom – Em uma das maiores renovações de line-up em seus quase 115 anos de história, a Harley-Davidson revolucionou a linha Softail. Completamente renovada, com quadros e suspensões novos, os oitos novos modelos Softail 2018 receberam também o motor V2 de 1.745 cm³ com oito válvulas, chamado de Milwuakee-Eight.

HARLEY_SOFTAIL_20171
Harley-Davidson renovou completamente a linha Softail para 2018

Mais leves, potentes e melhores nas curvas, as motos também ganharam visual mais jovem e “cara” de moto customizada. A mudança radical faz parte do plano da Harley-Davidson de atrair novos consumidores para a marca e dobrar as vendas nos próximos dez anos.

– Pequenas BMW – Finalmente, em agosto, as pequenas motos da BMW chegaram ao País. Desenvolvida em parceria com a indiana Bajaj, a naked G 310R desembarcou por aqui em agosto com a missão de atrair novos clientes e aumentar as vendas da marca alemã. Apesar da pequena capacidade cúbica, a linha G 310 tem soluções técnicas interessantes, como o cilindro inclinado para trás, suspensões invertidas e freios ABS de série.
Com 34,4 cavalos de potência, o monocilíndrico também equipará a versão trail, G 310 GS, que chamou a atenção do público no Salão Duas Rodas. Projetada para ser uma aventureira para o dia-a-dia, a 310 GS deve começar a ser vendida no primeiro semestre do próximo ano.

BMW_G310R_2017
Pequena BMW G 310R finalmente chegou ao Brasil em agosto

– Renovação Kawasaki – Apesar da crise, a Kawasaki não deixou de renovar toda sua linha no Brasil com diversos lançamentos ao longo de 2017. A popular linha de 650cc mudou completamente. A pacata ER-6n foi aposentada, ganhou visual radical, motor redesenhado e ciclística mais ágil para se transformar na divertida Z 650. A Ninja 650 herdou a nova ciclística e teve seu design modernizado. Sua irmã maior, a sport-touring Ninja 1000, também desembarcou renovada por aqui.

KAWASAKI_VERSYS300_2017
Entre os lançamentos da Kawasaki, destaque para a Versys X-300 que inaugurou segmento

Mas o lançamento mais esperado aconteceu em setembro com a chegada da Versys X-300, que inaugurou o segmento de aventureiras compactas. Equipada com o mesmo motor bicilíndrico da Ninja 300, mas com 40 cv, a Versys X-300 trouxe mais sofisticação e conforto para viajar do que as conhecidas trails de 250cc. Mas também cobra um preço por isso: a Versys X-300 ABS tem preço sugerido de R$ 24.990.

– Cinco anos de Brasil – Neste ano, a Triumph Motorcycles comemorou cinco anos de operação no Brasil. A marca inglesa desembarcou por aqui em outubro de 2012, com subsidiária e linha de montagem própria em Manaus (AM), mostrando que acredita no potencial do nosso mercado de motos. A planta brasileira tem capacidade para produzir 7.000 motos/ano, praticamente o dobro do que é vendido atualmente.
Nesta meia década de Brasil, a marca inglesa tem 14 concessionárias em praticamente todas as regiões do País e já vendeu cerca de 15.000 motos. A Tiger 800 é uma das bigtrails mais vendidas do Brasil e o modelo de maior sucesso da marca.

TRIUMPH_TIGER800_2017
Triumph completou cinco anos de Brasil: Tiger 800 é modelo mais vendido da marca no País

– Salão Duas Rodas 2017 tem público recorde – Mais importante evento do setor de motocicletas no Brasil e na América Latina, e edição 2017 do Salão Duas Rodas foi realizada no novo centro de exposições SP Expo. De casa nova, o salão teve diversos lançamentos para todos os gostos: desde a popular Honda Biz até a exclusivíssima BMW HP4 Race, uma superesportiva de meio milhão de reais.
Com diversas atrações, o evento injetou ânimo no setor e bateu recorde de público na história do evento. Segundo Leandro Lara, diretor da Reed Exhibitions Alcantara Machado, empresa organizadora do SDR 2017, 242 mil pessoas visitaram o evento deste ano.

– Nova Yamaha Fazer 250 – Um dos maiores sucessos de venda e uma das motos mais elogiadas pelos proprietários, a Yamaha Fazer 250 mudou completamente para 2018. Desenvolvida em conjunto por engenheiros do Brasil, Índia e Japão, a utilitária moto street transformou-se em uma naked mais esportiva.

NOVA_FAZER250_ABS_2017
Completamente renovada, Fazer 250 ABS foi o principal lançamento da Yamaha neste ano

Apresentada no Salão Duas Rodas, a nova Fazer 250 foi o principal lançamento da marca no ano. A naked ganhou quadro inédito, design moderno, mas manteve o motor de um cilindro e 250cc. A Fazer 250 2018 também ganhou farol e lanterna de LED, além de freios ABS de série.

– No fundo do poço? – Acumulando quedas consecutivas nos últimos sete anos, as fábricas de motos comemoraram que devem fechar 2017 com os mesmos números do ano passado, com cerca de 900 mil unidades produzidas. Em outubro, a produção parou de cair e, em novembro, cresceu 5,6%. Para uns, o mercado chegou ao fundo do poço, o que significa que agora deverá subir.

PRODUCAO_2017
Queda nas vendas deram trégua nos últimos meses e fabricantes já projetam crescimento em 2018

A Abraciclo, associação dos fabricantes, projeta até crescimento de 5% para 2018. Embora tímido, é uma boa notícia para um setor que não parava de cair. Os juros baixos, a retomada lenta da economia e o aumento da confiança do consumidor são alguns dos motivos apontados para o otimismo da indústria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


+ seis = 7