Reportagem: Os motociclistas do SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência

4
687

 

O SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) é um daqueles serviços que esperamos nunca precisar usar, contudo, saiba que se um dia isso acontecer, haverá equipamentos de ponta e pessoas extremamente preparadas e dedicadas sempre prontos para te atender.

Se a infraestrutura física do serviço surpreende pela organização e modernidade, o lado humano por trás disso tudo é ainda mais impressionante.

Quando um cidadão liga para o 192, encontrará do outro dado da linha um time de pessoas altamente treinadas e com uma habilidade incrível em seguir friamente uma série de procedimentos técnicos, mas, ao mesmo tempo, sem perder a delicadeza e tato necessários para lidar com pessoas vivendo situações de alto estresse… tudo isso nos poucos segundos que dura uma ligação. Pessoas realmente admiráveis!

Não é por acaso que no SAMU muitas funções são desempenhadas por pessoas portadoras de necessidades especiais, gente com uma sensibilidade muito mais apurada até porque, em muitos casos, elas mesmas já estiveram do outro lado da linha vivenciando uma emergência.

Esse time de gente muito especial atende, em média,  9 000 ligações por dia. Essas ligações resultam em cerca de 1 200 atendimentos que são distribuídos pelas 70 bases do SAMU espalhadas pela capital paulista. Infelizmente, do total de chamados recebidos pela central, cerca de 20% são trotes.

No dia a dia dessas pessoas não há tempo a perder e a rapidez no atendimento pode representar, em muitos casos, a diferença entre salvar e perder uma vida. E é aí que entram as motocicletas.

Com uma agilidade infinitamente superior em relação às ambulâncias tradicionais, a adoção de motocicletas pelo SAMU deu-se, basicamente, por três razões:

1) Velocidade no atendimento ( de especial importância em casos cardíacos, por exemplo)

2) Gestão de recursos (muitas vezes não há necessidade de deslocar uma ambulância para atender vítimas de menos gravidade)

3) Atendimento em locais de difícil acesso

Importante lembrar que, hoje, o SAMU (192) e o Corpo de Bombeiros (193) são integradas, o que permite que as centrais médicas de regulação de ambos os serviços, ao receberem o mesmo chamado – tanto nos telefones gratuitos 192, como no 193 – se comuniquem de maneira estratégica para evitar duplas saídas e intervenções no mesmo atendimento.

A equipe Best Riders deixa aqui seu agradecimento especial a todos os funcionários da Central de Operações SAMU – Bom Retiro e a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de São Paulo.

4 COMENTÁRIOS

  1. Muitoo bomm, pelo menos assim tenho certeza que as motos,isso mesmo as motos sofreram menos preconceito. e seram elogiadas pela sociedade e não apenas criticadas.

  2. Show de bola a reportagem e o trabalho tanto do SAMU quanto do Resgate dos Bombeiros. Parabéns a todos os socorristas do Brasil e claro parabés a toda equipe do Bestriders.

  3. Os Bombeiros não fazem um serviço que é o mesmo do SAMU? Atendimento de urgência, então não seria menos dispendioso deixar apenas um fazendo o serviço, o que ocasiona uma diminuição de custos e uma melhor centralização? Porque com 2 instituições fazendo a mesma coisa, existe uma duplicidade de instalações, cadeia de comando, longististica , etc..

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


2 × = dezoito