Produção de Motocicletas cai 13,6% no primeiro semestre

0
520

Produção de Motocicletas: Em  coletiva de imprensa realizada no dia 05/07/2013, o presidente da ABRACICLO  Marcos Fermanian e o diretorJosé Eduardo Gonçalves, apresentaram o balanço do Primeiro Semestre de 2013. Mesmo com queda na produção, os gestores apresentaram otimismo ao revisar projeções.

produção de motocicletas

Foto Divulgação

Produção de Motocicletas cai 13,6% no primeiro semestre

Na coletiva de imprensa realizada no Renaissance São Paulo Hotel o diretor da ABRACICLOAssociação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, José Eduardo Gonçalves e o presidente Marcos Fermanian, apresentaram o balanço de dados do primeiro semestre desse ano de 2013.  O balanço  levou a ABRACICLO a revisar suas projeções para 2013 em valores próximos aos levantados em 2012.

De acordo com a ABRACICLO, enquanto em 2012 a produção foi de 967.890 unidades, em 2013 foram produzidas 835.959 motocicletas, o que representa a redução de 13,6% de motocicletas em relação ao ano anterior. No atacado as vendas recuaram  9,3%, passando de 897.293 unidades para  813.555.  Um dos motivos apontados para a queda foi a questão do crédito dificultado, o que torna o financiamento mais restritivo, fator também relacionado a inadimplência.  Somente 20% dos pedidos de financiamento de veículos obtém aprovação. Apesar do balanço registrar esses números, a produção de motocicletas em junho de 2013 cresceu em 7,6% em relação ao mesmo mês do ano passado. “O crescimento da produção no mês de junho refletiu, principalmente, a antecipação das linhas de montagem, diante da paralisação das férias coletivas em julho. A fabricação deverá atender à demanda que o setor espera para o período”, comenta Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

De acordo com Marcos Fermanian, conforme os dados apurados em respeitoresultados de produção e vendas no atacado, as projeções para 2013 seguirão números similares as de 2012. “Agora, a previsão é que os volumes totais mantenham-se estáveis em comparação com 2012”, afirma Fermanian. Questionado sobre o otimismo quanto a essa estabilidade em tempos de aumento de inflação,  Fermanian apontou fatores como redução na taxa de inadimplência, que em abril do ano passado estava em 7% e nesse ano caiu em 6,3%oportunidade de maiores vendas sazonais em períodos como do 13º salário e as projeções de promoção das próprias montadoras como margem de esperança para que esses dados se confirmem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


− 2 = quatro