Produção e venda de motos segue abaixo do índice de 2011

1
224

De acordo com informações divulgadas pela Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), o segmento de motocicletas segue registrando índices abaixo dos apresentados no mesmo período em 2011, com relação a vendas no atacado, produção e emplacamentos. Produção e venda de motos

Em agosto, a retração da produção de motos chegou a 18,2%. Em 2012 foram produzidas 178.084 unidades, enquanto em 2011 este número foi de 217.642. As vendas caíram 16,1%, em totalizando 170.868 motocicletas vendidas, frente às 203.711 unidades comercializadas no mesmo período do ano passado.

No acumulado de janeiro até agosto de 2012, os números também continuam menores que os registrados no ano passado, quando foram fabricadas 1.456.624 motocicletas. Até o momento, em 2012, a produção totalizou 1.221.811 unidades, uma queda de 16,1% – ou seja, deixaram de ser fabricadas 234.813 unidades. As vendas no atacado apresentaram redução de 17,4%, com 1.154.918 motocicletas diante das 1.398.446 unidades comercializadas em igual período de 2011.

“A comparação entre agosto de julho deste ano não reflete a realidade do segmento de motocicletas no país. Os números continuam em queda com relação ao ano anterior, seja na análise mês a mês ou no acumulado do ano. Apesar desse crescimento em produção e vendas internas de julho para agosto, as vendas ao consumidor final ainda estão estagnadas”, afirmou Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo. De acordo com Fermanian, a restrição ao crédito, que reduz a liberação de financiamentos, é o principal fator da queda nas vendas.

Já no segmento de bicicletas, a produção no Polo Industrial de Manaus (PIM) cresceu 20% no acumulado de janeiro a julho, em relação ao mesmo período de 2011, passando de 422.377 unidades para 506.007 unidades. As vendas de bikes aumentaram apenas 3%, se compararmos o acumulado de janeiro a julho de 2012 com o ano passado.

1 COMENTÁRIO

  1. O brasileiro está valorizando mais seu dinheiro, não está pagando mais absurdos por motos que não valem a metade do preço.

    Finalmente acordou desse sono profundo e viu que do Uruguay até o México os preços são entre 30 e até 50% mais baratos que aqui.

    HÃ??? QUE??? NÃO É VERDADE???

    Ah…como eu sou idiota, é só a RESTRIÇÃO AO CRÉDITO mesmo.

    Triste.

    Enquanto isso no México…
    Crypton por R$ 2.735,65
    Xj6n por R$ 20.103,00
    Falcon por R$ 12.500,00
    Biz/Wave por 2.362,00
    preços com I.V.A [o imposto deles]

    “Brasil. Aqui você é o palhaço”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


3 × dois =