Powers da vida – Os módulos controladores da injeção

5
1806

Performance com segurança: acredito a busca de um rendimento melhor daquele oferecido originalmente pela moto foi o motivo da criação destes populares aparelhos.

Fora a procura pelo ganho de potência, temos também o lado da confiabilidade, que é o que muitos clientes e mecânicos procuram, por exemplo, ao montar um comando de válvulas bravo; e é exatamente aí que encontramos a grande utilidade desses módulos controladores. Outro aplicação muito comum e quando e feita uma “tropicalização”.

Dizem que no Brasil temos de 24% a 26% de álcool na gasolina, valor que fica longe dos números que comprovou o laboratório de testes do SENAI, que mediou de entre 27% a 29% de álcool em varias gasolinas testadas de diferentes marcas e postos. Algumas motos importadas, tanto europeias quanto asiáticas, não foram desenvolvidas para rodar com tanta porcentagem de álcool na gasolina, e, assim, precisam da chamada “tropicalização” para funcionar a vontade em Brasil. Ou seja, precisamos dar mais gasolina para compensar o excesso de álcool.

Aqui, as motocicletas precisariam sair um pouco da regra estequiométrica de 14,7 partes de ar, para 1 de combustível, como vem reguladas do exterior, e passar a trabalhar mais para 13 do que para 15 partes por 1. Este excesso de álcool (ou, como tornou-se moda, “etanol”), acaba se refletindo em temperaturas elevadas do motor, mal funcionamento em marcha lenta e uma série de outros problemas, entre eles, a difícil partida à frio. Estes casos costumam acontecer, muitas vezes, com alguns modelos de motocicletas que entraram em Brasil como importação independente. A grosso modo, podemos dizer que mistura estequiométrica é a mistura  ar/combustível  ideal para que ocorra uma combustão completa.

A péssima qualidade de nossa "gasolina" exige a tropicalização dos modelos importados

Mas afinal, como resolver isso? Uma das formas é colocando um módulo controlador da injeção que nos permita, por exemplo, aumentar o tempo de injeção. É evidente que estes equipamentos não foram desenvolvidos só para resolver os problemas dos importadores independentes, mas sim para aumentar o desempenho das nossas belas motocicletas.

Existem também alguns aparelhos chamados de “enriquecedores”, que por não conseguir mudar o tempo de injeção diretamente, não chegam a ser como os módulos controladores. O que eles fazem na verdade e enganar a leitura de algum sensor em particular, como o de temperatura de ar ou da sonda lamba, por exemplo, entre outros sensores em que eles atuam.

Neste caso, os enriquecedores funcionam enganando diretamente a centralina da moto, que por sua vez se encarrega ela mesma de fazer alguma alteração na injeção. Se nós mudamos o valor correto da sonda lambda e falamos para ela que é um valor mais alto, a centralina vai tentar corrigir isto mandando mais gasolina para o motor, por exemplo.

Trocou o escape ou o filtro de ar? Um módulo pode te ajudar!

A maioria trás uma mini-regulagem para você mesmo controlar. Com estes aparelhos não conseguimos alcançar grandes resultados, mas a sua atuação até que é perceptível, especialmente, em baixas rotações. Digamos que, na prática, eles tiram aquele “buraco” que nossa moto tem na hora da saída ou da retomada assim como acabam com os estouros do escapamento após ele ser trocado por um mais aberto.

Estes aparelinhos são muito utilizados por proprietários de Harley-Davidson e outras mostos com motores grandes e arrefecimento a ar basicamente para baixar a temperatura de trabalho do motor. Eles são muito simples de instalar e de regular, contudo, sempre é recomendado procurar assessoramento de um técnico pois se mal instalado, pode trazer problemas para o normal funcionamento do motor a longo ou, em alguns casos, inclusive a curto prazo.

Já os legítimos módulos controladores se inserem entre a centralina da moto e alguns sensores e atuadores, recebendo sinal de posicionamento do acelerador e alimentação de bateria.  Após o processamento destes dados, eles emitem sinais para os injetores.

O que nós fazemos através deles é mudar o tempo que os injetores vão permanecer abertos nos diferentes estágios de abertura do acelerador.

Existem muitas marcas e inúmeros modelos de módulos no mundo inteiro. Contudo, comercializados no Brasil, temos o “Power Commander” e o “Rapid Bike”. Ambos são muitos eficientes e nos permitem brincar não somente com o tempo de injeção, mas também com o avanço da ignição e o limite de rotações do motor.

Os módulo de potência permitem um ajuste preciso de incontáveis parâmetros do motor

O Power Commander tem uma instalação e um manuseio mais simples do que o Rapid Bike, no que se refere só ao módulo que controla a parte de injeção. Mesmo assim, eu não recomendo a instalação “caseira” para nenhum destes aparelhos porque, mesmo pensando que estamos dando uma solução para nosso motor, podemos estar prejudicando ele seriamente sem sequer perceber.

Se sua moto está ótima, mas você quer dar um “up-grade” nela, procure um centro autorizado para instalar estes equipamentos. Normalmente pode-se obter um ganho entre 4 a 5 cavalos de potência, dependendo o modelo da moto, só com a montagem de um controlador. Há casos em que a potência aumenta e o consumo abaixa, pode acreditar…

Neste caso é muito interessante fazer uso de um dinamômetro para conferir o antes e o depois da instalação. Nos dinamômetros modernos, é possível ver o trabalho real da sonda lambda, assim como o ganho de potência e torque. E bom passar a moto antes e depois a instalação do módulo.  Eu sou da teoria de que o “Dino” é muito mais preciso do que nosso punho…rsrss.

Você ainda não entendeu direito se precisa instalar um módulo destes né? Então, resumindo, é o seguinte: se você está curtindo muito os track-days da vida, se quer tirar uns “buraquinhos” nas acelerações e retomadas, se colocou um escapamento mais aberto e/ou montou um filtro de ar “racing”, ou ainda se tua moto falha um pouco em baixa rotação ou porque, simplesmente, quer matar a vontade de experimentar… pode instalar que vale a pena!

5 COMENTÁRIOS

  1. Bem interessante, poderia também ter comentado sobre aqueles CDI com diferentes programações que mudam o programa ao se aproximar um chaveiro.
    Gostaria de saber as vantagens e desvantagens desses dispositivos também.

    Excelente artigo, continue nos informando sempre.

  2. Salve Sebá,

    Belo texto,parabéns!

    Me fez pensar se minha antiga moto carburada não precisa de um módulo para corrigir o avanço de ignição devido a adição de álcool anidro na gasolina atual,tenho a impressão de que ela anda “amarrada”…talvez tenha sido desenvolvida com uma gasolina sem álcool ou com % menor que a atual,ai o AFR ideal mudou,vou estudar se isso não é o motivo.

    Abraço!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


× 5 = quinze