O acerto da Yamaha Fazer 250 cativa oferecendo versatilidade, conforto e economia

6
1372

Esta semana vai deixar saudades, pois a Fazer 250  cativa pela beleza e pelo desempenho.

Fotos: Gustavo Epifanio

Quando cheguei em casa no primeiro dia com a Fazer 250, minha esposa falou: “Ué! Sua moto encolheu?”

Isso demonstra que a Yamaha acertou no novo desing da FazerYS250 que com seu novo farol dianteiro, lembra a linha FZ como FZ6, FZ8 e FZ1, que além de bonito ilumina muito bem à noite e chama atenção dos motoristas durante o dia.

Farol por leds. Desenho da traseira inspirado na R6.

Sua beleza ficou harmônica, pois a Yamaha abandonou as linhas arredondas e adotou as linhas angulosas, tanto que a traseira lembra sua irmã superesportiva R6.

Para meus 1,65alltura, sua ergonomia é perfeita, me senti vestido com a Fazer 250, braços relaxados com a posição do guidom, botões intuitivos bem acabados sem enroscos, pés bem apoiados nas pedaleiras, pernas bem encaixadas no enorme tanque de 19,2 litros de capacidade e banco com boa densidade de espuma que permite longos trajetos sem ficar com aquela sensação de “popozão” achatado, o que se traduz em conforto.

Sensação de conforto que é ajudado pela pouca torção do chassi e bom acerto das suspensões convencionais na dianteira com garfo telescópica e na traseira mono amortecida, ambos com 120mm de curso que se mostrou suficiente para enfrentar a péssima pavimentação de São Paulo, boas rodovias ou trechos de serras cheias de curvas. Os pneus Pirelli Sport Demon dão conta do recado mesmo na chuva e são responsáveis pela possibilidade de dar uma tocada mais esportiva nesse acertado conjunto.

Salvo funções e RPM, painel é igual da FZ6, FZ8 e FZ1

O painel herdado de suas irmãs maiores da linha FZ é belo e de fácil leitura, apenas um senão, pois o relógio poderia ficar fixo no painel.

O motor é o mesmo desde seu lançamento em 2006, um OHC de 2 válvulas, 4 tempos, alimentado por injeção eletrônica, que gera 21cv a 8000RPM e torque de 2,10 Kgfm a 6500RPM, cujo objetivo é a economia de combustível. Objetivo cumprido, pois com meu peso e minha tocada (80% em rodovia) a média ficou em 24,5Km/l, mas passa fácil os 30Km/l.  Vale lembrar que  seu pistão forjado e cilindro com revestimento de cerâmica, tecnologia herdada de sua irmã maior superesportvia R1.

Três detalhes me chamaram atenção nesse motor, dois positivos e outro negativo.

O positivo fica por conta da baixíssima vibração, fiquei muito surpreso, quando atingi 120km/h a 8000RPM e nada de vibração ou que, sinceramente, não incomoda. Me lembrei quando viajava com minha Twister que nessa rotação as mãos e as pontas dos pés ficavam dormentes. Já quando o motor trabalha em média rotação ente 5000 e 7000RPM em 5ª marcha, a vibração é melhor sentida.

Outro ponto positivo é sua linearidade, na estrada quando se passa por um pedágio, a velocidade deve cair para 40Km/h e é possível diminuir a essa velocidade sem a necessidade de reduzir marcha, passando, basta girar a manopla direita e o motor responde sem engasgos, graças ao bom acerto do macio e preciso câmbio/relação de marchas, não sendo necessária trocas constantes. Na cidade as 5 marchas são suficientes, mas na estrada uma 6ª marcha como overdrive seria muito bem vindo.

O ponto negativo fica pelo ruído metálico do motor, cheguei a pensar que faltava óleo e conversando com proprietários do modelo e buscando na internet, parece que se trata de uma característica e não um defeito.

Por fim, considero a Yamaha Fazer 250 uma das melhores da categoria valendo o preço cobrado (R$ 11.200,00), não titubearia em afirmar ser a melhor se oferecesse sistema ABS nos seus bons freios.

André Garcia veste: Jaqueta e luvas SBK, calça jeans HLX, capacete Shark RSX,  botas Tutto Moto e protetor de coluna Tacna

6 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns André, belo post sobre nossa querida Fazer 250. Adquiri uma a um mês e estou bastante satisfeito, realmente muito econômica, gasto em média uns 45km por dia (casa/trabalho/casa) e nesse um mês gastei cerca de 65 reais de gasolina (a moto está com 600 e poucos kms rodados, cheirando nova ainda). O que me chamou a atenção também foi esse barulho que você citou. Cheguei a pensar a mesma coisa (óleo baixo talvez. Não é um barulho chatinho, dá impressão de ter algo raspando onde não deve. Mas enfim, a moto é excelente e está superando minhas expectativas. Pra quem saiu de uma XTZ 125 (apesar da posição de pilotagem da Fazer me incomodar um pouco pois tenho 1.82 de altura) está ótimo. Ainda espero conseguir uma XJ6 ou uma FZ6 mais pra frente, parecem ser ótimas máquinas também! Abraço!

  2. Estou uma semana já com a minha, estou muito satisfeito, comprei avista,
    eu estava entre a CB300 e ela, pelos elogios que encontrei na internet sobre a FAZER, eu resolvi ficar com ela. e particularmente não perde em nada para a CB300!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


6 + = doze