Nova BMW G 650 GS chega ao Brasil custando R$ 29 800

12
1149

A BMW Motorrad do Brasil confirmou nesta sexta-feira (5), que a G 650 GS montada em Manaus também passa a adotar o face-lift apresentado mundialmente em 2010 e que confere um visual muito mais moderno e arrojado à trail alemã.

A maior mudança ocorreu do assento do piloto para a frente. Cobertura do filtro de ar (onde normalmente fica o tanque das motos “tradicionais”), aletas laterais, para-lama dianteiro, painel, farol e a pequena bolha são novos. Com linhas assimétricas, a até então ultrapassada “G” agora conta com o mesmo visual que caracteriza as trails bicilíndricas da linha “F”.

O maior prejudicado com a renovação estética foi o tanque de combustível, que caiu de 17,3 para 14 litros. Pouco para uma moto que, especialmente no Brasil, é muito utilizada em viagens.

A trail monocilíndrica da BMW foi o modelo que inaugurou a linha de montagem da marca em Manaus, a primeira do mundo fora da Alemanha. Desde a inauguração da linha, em 2009, foram comercializadas mais de 2 350 unidades da “G” em nosso país. Hoje, a histórica 1ª moto montada no Brasil encontra-se no Museu da Motocicleta BMW, em Curitiba.

Outra boa notícia é que, apesar de a G 650 GS estar muito mais bonita e atual, o preço foi mantido. Comercializada por R$ 29 800, a motocicleta continua sendo a porta de entrada para a renomada marca alemã.

Ainda que o visual esteja renovado — especialmente na dianteira e laterais — a mecânica e ciclística seguem praticamente inalterados. O motor é o mesmo Rotax de 652 cm³ com arrefecimento líquido e 50 cv a 6 500 rpm. O eficiente powertrain, que proporciona bom desempenho e muita versatilidade para uma utilização mista cidade/estrada, é completado com o câmbio de 5 marchas da G 650 que já conhecemos.

O chassi também segue inalterado, isto é, permanece o duplo berço de aço com uma estrutura  traseira aparafusada. Suspensões e freios também não sofreram alterações e continuam muito bem dimensionados para o desempenho e proposta polivalente do modelo. O cada vez mais indispensável sistema ABS de freios continua sendo de série e pode ser desligado em uma utilização off-road. Nesta nova versão, chassi, bengalas e balança recebem pintura preta.

Novidade mesmo só nas rodas — que apesar de preservarem o diâmetro (19” na frente e 17” atrás) agora são de liga-leve — e nos pneus, que adotam novas medidas. Agora encontramos um 110/80 na frente e um 140/80 atrás. O novo modelo já encontra-se disponível na rede de concessionárias oficiais BMW Motorrad, nas versões de cores vermelha e branca, com opção de banco preto ou bicolor preto / cinza.Veja abaixo outras fotos da nova BMW “Made in Manaus”.

12 COMENTÁRIOS

  1. Venho de outro estilo de moto, estou lendo bastante e me informando muito a respeito da G 650 e confesso que estou impressionado. Depois de amanhã vou na concessionária e provavelmente saio de lá com a minha. Já estou ficando ansioso hehe

  2. Já comprei, mas não deu tempo para emplacar ainda. Então rodei só 100Kms na cidade e estradas próximas. As primeiras impressões sobre o desempenho da máquina são boas, fora que é muito bonita mesmo. Algumas coisinhas que mudaria se pudesse. É o caso do encosto lateral muito curto, que pode causar a queda da moto facilmente em terreno irregular. As pedaleiras ridículas, deveriam ser bem maiores e os pneus que parecem não serem nada indicados para estradas de terra, penso que vão escorregar muito, mas isso ainda vou testar nas próximas semanas. Gostei bastante dos comandos, muito leves, o aquecedor de manopla que já usei e de fato funcionam bem. O conforto geral de pilotagem é muito bom. O que mais me chamou a atenção como ponto positivo foi a estabilidade causada pelo centro de gravidade baixo. Nem quase parando, a moto pende para os lados, parece que é um veículo de 4 rodas. Isso facilita muito num trânsito pesado, de cidade.

  3. Uma correção. O motor não é Rotax. Quem fabrica esse motor monocilindrico é a Loncin, que também é muito resistente. Motores Rotax só os Bicilindricos da F800 e F650

  4. Pena que tenham diminuido o tanque, tirado os protetores de mão, o anti-spray do pneu traseiro. De resto tudo bom e bonito.
    De fato a concorrência ficou na pior…. rsrsrs

  5. pelo que pesquisei e entendi, o motor é um Rotax, mas feito pela Loncin. Não é uma daquelas cópias chinesas que se acostumou a ver, é o mesmo projeto, com os mesmos componentes, com a diferença de ser fabricado pela Loncin. Parece que essas 3 empresas tem um acordo/contrato, porque a Loncin também usa esse motor em suas motos de maior cilindrada.
    Então é Rotax sim, porque a qualidade está garantida pela BMW. E como pudemos comprovar pela nacionalização da Dafra, a qualidade continuou a mesma de uma BMW alemã.
    Essa foi uma saída muito válida para termos, aqui no Brasil, motos da BMW à preços que são competitivos ao de uma Yamaha ou Honda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


7 × três =