MV Agusta “Manaus” chega em dezembro às concessionárias

0
1560

MV AGUSTA

A mais exclusiva marca de motocicletas de alta cilindrada do mundo agora no Brasil.

Um ícone do segmento de duas rodas internacional desembarca no País, agora com fabricação nacional liderada pela DAFRA Motos, que representa oficialmente a marca italiana no Brasil a partir de uma parceria estratégica internacional para a montagem na fábrica de Manaus (AM) e a comercialização dos modelos em concessionárias autorizadas. Essa é a primeira vez que a marca entra em acordo para a produção de suas motocicletas fora da fábrica de Varese, na Itália.

A MV AGUSTA representa a história romântica do motociclismo italiano, fundado na paixão, no sucesso no automobilismo e no desempenho mais extremo de suas motocicletas, sendo considerada a marca mais exclusiva do setor de motocicletas no mundo inteiro. Ela é um mito sancionado por 75 títulos mundiais (37 de construtores e 38 de pilotos) e celebrado por meio de produtos capazes de conquistar a apreciação de entusiastas e especialistas.

Estilo distinto e sedutor são marcas registradas dos modelos F4, Brutale 1090RR e Brutale 1090R que desembarcam no Brasil equipados com motores de altíssima performance, muita tecnologia e design inconfundíveis. Todas são voltadas ao mercado de produtos premium e representam o que há de melhor no segmento esportivo de duas rodas.

Produção brasileira

Já saíram da fábrica da DAFRA Motos, em Manaus (AM), as primeiras unidades da F4, Brutale 1090RR e Brutale 1090R. As motocicletas estão passando pela fase de try-out, que compreende a montagem de protótipos seguindo os processos de fabricação já implantados na linha, porém, num ritmo ainda diferente da produção em série. Além disso, depois de passarem pelo controle de qualidade e inspeção final, as motocicletas foram avaliadas no dinamômetro do Laboratório de Controle de Emissões de Poluentes e Análises Experimentais e, neste momento, estão seguindo para testes de rodagem em diferentes ambientes, incluindo trechos urbanos e rodoviários.

De acordo com Victor Trisotto, diretor de engenharia da DAFRA, esta fase é extremamente importante para garantir que todos os modelos saiam da fábrica em perfeitas condições. “O try-out tem como objetivo demostrar a capacidade de montagem do produto dentro dos critérios de qualidade e com todos os meios finais de produção. Nesta fase, os envolvidos na fabricação já estão treinados e aptos a montar o produto, os meios industriais estão prontos, validados e disponíveis para montagem completa”, explica. “O try-out é fundamental para que a produção em série ocorra com a qualidade prevista e com a cadência desejada. No entanto, vale destacar que os produtos MVAgusta já foram validados em outra  fase  do projeto com testes mais severos. Estamos agora apenas validando o processo de montagem inicial”.

Após os testes de rodagem, as motocicletas retornam para a engenharia da DAFRA para serem inspecionadas. “Em função do resultado da rodagem se dará o ‘Acordo para Produzir em Série’. Caso exista algum ajuste a ser feito, haverá a etapa de correção de montagem e nova rodagem. No total estamos falando de 50 dias entre montagem e testes e aprovação para entrada em série dos modelos MV Agusta”, conta Victor.

Processo de montagem

Somente uma fábrica que atendesse com rigor as especificidades da fabricação de motocicletas do porte da Brutale e da F4 poderia abrigar a MV Agusta no Brasil. E foi o que aconteceu com a DAFRA. Desde sua fundação, em 2008, a unidade industrial da empresa vem recebendo investimentos contínuos no aperfeiçoamento de seus processos produtivos e conta com equipe de qualidade especializada no desenvolvimento de projetos de melhoria voltados à área de engenharia.

Para receber as necessidades da fabricante italiana e em linha com os objetivos de permanente aprimoramento dos produtos e procedimentos da DAFRA, o departamento de engenharia da fabricante nacional, que treinou parte de sua equipe na unidade da MV Agusta na Itália, trabalhou na adaptação das motocicletas da marca internacional às particularidades brasileiras. Tudo isso para oferecer ao exigente consumidor do Brasil os melhores produtos no segmento premium das motos de alta cilindrada.

No total, a equipe DAFRA na operação MV Agusta é composta por 12 pessoas, treinadas durante 60 dias na fábrica da cidade de Varese, na Itália. Ao final deste período, brasileiros e italianos montaram juntos as unidades produzidas na planta de Varese.

Além deste treinamento na Itália, na fase de try-out a equipe da DAFRA é acompanhada por quatro técnicos da MVAgusta que coordenam a fabricação e asseguram que toda a montagem siga os mesmos  critérios utilizados na  planta matriz em Varese.

“O processo de montagem das motos F4 e Brutale 1090R e 1090RR, nesta fase de try-out na fábrica da DAFRA, está sendo desenvolvido de forma excelente. Estamos realmente muito satisfeitos com o trabalho de todos que estão participando desta atividade. Temos de dizer que trabalhar com essa equipe está sendo muito positivo, além de uma fase de aprendizado”, afirma Roberto Godone, diretor técnico da MV Agusta que acompanha o início da produção dos modelos no País. “A equipe DAFRA que treinou por 60 dias na Itália tem ratificado, durante a fase de try-out, o domínio do conhecimento adquirido durante o treinamento na fábrica da MV Agusta. As motos montadas, com ótima qualidade, confirmada na inspeção final e etapas de teste, refletem a excelência do processo, do pessoal, do trabalho em equipe e da competência técnica da DAFRA”.

Lançamentos:

Brutale 1090R

A família Brutale ganhou uma nova integrante. A 1090R, já comercializada no Canadá e recentemente lançada na Europa, chega ao Brasil trazendo na bagagem o prestígio das demais integrantes da linha, líderes em design e desempenho entre as naked esportivas.

Como nas demais integrantes da família Brutale, os componentes da 1090R foram projetados para alcançar design exclusivo.

Assim como na Brutale 1090RR, o painel de instrumentos da 1090R é operado por um sinal de alta precisão e conta com indicador de marcha, nível de combustível, velocímetro, botão de emergência, temperatura da água, cronômetro e configuração de mapeamento do sistema de injeção. Traz manoplas e estribos com acabamento em material que minimiza vibrações, proporcionando comodidade, e novo amortecedor na coluna de direção, o que melhora o controle da motocicleta.

Outro componente projetado pela MV foi o conjunto da chave de ignição. De última geração, é equipado com imobilizador, indicando no painel a presença da chave. A tampa do tanque de combustível possui um design próprio e, juntamente com cavalete lateral e suporte do motor, ganhou a inscrição “MV” em relevo.

O motor da Brutale 1090R é de 1.078 cm3, alcançando 144,2 cv de potência máxima a 10.300 rpm. A calibração do propulsor garante respostas progressivas mais suaves, precisas e harmoniosas. Mesmo assim, o desempenho do motor não é comprometido garantindo boa performance na pilotagem em diversas condições.

A Brutale 1090RR estará disponível nas concessionárias autorizadas MV Agusta em duas diferentes de cores: pérola e preta.

Brutale 1090RR

Uma naked com componentes especiais e exclusivos.

Modelo top da família Brutale, a super naked 1090RR apresenta componentes de motocicletas de competição, agregados à elegância do design puramente italiano. O projeto da Brutale 1090RR é resultado dos 38 títulos mundiais de pilotos e outros 37 campeonatos de construtores e reflete em sua essência o DNA MV AGUSTA.

Agressividade e beleza de ponta a ponta. Assim pode ser definida a 1090RR, reconhecida mundialmente como uma naked de desempenho, design e dirigibilidade que trouxe ao segmento das esportivas sem carenagem o que há de mais moderno em termos de equipamentos, mecânica, ergonomia e, claro, estilo.

Extremamente leve e sofisticada, a 1090RR é simplesmente a melhor naked esportiva já lançada, seja nas pistas, nas ruas ou rodovias de qualquer lugar do planeta.

O farol da Brutale 1090RR conta com desenho atual e elemento polielíptico (formato circular), além de um sistema com oito LEDs que criou o efeito de “linha luminosa”, característica muito comum em faróis de automóveis. Os piscas da versão mais forte da família Brutale foram integrados aos retrovisores, proporcionando uma melhor visibilidade e modernidade no design.

O painel de instrumentos da 1090RR é operado por um sistema eletrônico, que garante a precisão na medição dos sinais emitidos pela motocicleta, e conta com indicador de marcha, nível de combustível, velocímetro, botão de emergência, temperatura da água, cronômetro e configuração de mapeamento do sistema de injeção eletrônica. Esse último permite a regulagem do sistema de tração adequando às condições necessárias ao piloto.

Visando maior comodidade no manuseio do manete, bem como a redução do nível de vibração, a MV AGUSTA desenvolveu um novo material para ser aplicado nas manoplas e na capa dos estribos, muito mais flexível e confortável. Já para a melhoria do controle de dirigibilidade, foi desenvolvido um novo amortecedor disposto na coluna de direção, que evita movimentos bruscos no guidão em altas velocidades.

Para se diferenciar dos demais modelos da família Brutale, a 1090RR teve alguns itens modificados, caso do protetor do radiador, com a substituição do material metálico e agora acoplado à carenagem da motocicleta, assim como o duto de admissão da caixa de filtro de ar, que passou a integrar o tanque de combustível e recebeu a mesma cor, o que conferiu um ar ainda mais agressivo à motocicleta, e a tampa do cabeçote, que recebeu nova pintura na cor vermelha para dar a exata sensação de motor super potente.

A traseira da Brutale 1090RR apresenta um formato estreito e contemporâneo. A lanterna traseira em LED, integrada à carenagem, foi totalmente redesenhada em alumínio fundido, já o duplo escapamento foi desenhado ao longo da lateral direita da motocicleta, acompanhando dois silenciadores com excelência no acabamento, com cortes da extremidade mais inclinados adequando-os ao formato da moto para deixa-la ainda mais bela.

O motor da Brutale 1090RR é um quatro cilindros em linha de 1078 cm3, quatro tempos, 16 válvulas e 144,2 cv de potência. A configuração da calibração do motor gerou respostas de aceleração progressivas mais suaves e precisas, garantindo alta performance para atender ao gosto dos motociclistas.

O sistema de alimentação da Brutale 1090RR conta com injeção eletrônica Mikuni e alimentação sem retorno controlado pela ECU (Electronic Controler Unit) da Magneti Marelli com oito mapas de controle de tração. Já a caixa de transmissão recebeu um mecanismo interno todo projetado para acomodar um sensor que garanta o engate suave das marchas, com bastante conforto e precisão.

O chassi da 1090RR foi fabricado em material nobre de cromo molibdênio, o que possibilitou a redução do peso e o aumento da rigidez. Conta com um trail de 103,5 mm, distância entre eixos de 1.438 mm, altura do selim de 830 mm e ângulo de caster de 25°. O conjunto desses componentes viabilizou o desenvolvimento de uma motocicleta projetada para proporcionar facilidade e agilidade na pilotagem.

O garfo traseiro também é mais leve e teve a distância entre eixos ampliada, o que proporcionou uma melhora na precisão de pilotagem em razão da maior rigidez do sistema. Esta é outra a assinatura da Brutale: estabilidade. A 1090RR conta, ainda, com estribos reguláveis para o piloto, o que traz mais segurança e comodidade, roda traseira em alumínio fundido com o sistema cush-drive, que amortece possíveis solavancos do motor, e raios mais finos, diminuindo a interferência das irregularidades do piso.

Já a suspensão da Brutale 1090RR conta com garfo dianteiro numa calibração mais rígida e, na traseira, amortecedor com reservatório de expansão e regulagem dupla de compressão da mola, sendo possível ajustá-la para baixas (trechos urbanos) ou altas velocidades (rodovidas e pistas), dependendo do gosto e necessidade do piloto.

Para parar o bólido na dianteira duplo disco flutuante com 320mm de diâmetro, com fita de aço de frenagem e flange de alumínio, tipo radial, peça única com 4 pistões de 34 mm. Na traseira disco de aço único com 210mm de diâmetro com pinça de 4 pistões de 25,4 mm.

Agressiva no design e no desempenho, mas completamente domável na condução. Segundo a MV Augusta, em baixas velocidades é possível fazer o oito com apenas dois dedos no guidão, pode-se ter o mesmo controle que em alta velocidade como, por exemplo, a mais de 270 km/h em uma reta.

A MV Agusta Brutale 1090RR estará disponível nas concessionárias autorizadas MV Agusta em duas diferentes combinações de cores: pérola/preto e vermelho/prata metálico.

F4

Projetada e desenvolvida com um único propósito: ser a melhor

Ser a melhor entre as melhores superesportivas. Esse foi o que motivou a MV AGUSTA a criar a F4, considerada a “Ferrari” das motocicletas não só pelo cuidado no design ou pelo desempenho espetacular, mas por ter se transformado, desde o início, em objeto de desejo dos aficionados por duas rodas no mundo todo.

Para elevar a F4 ao topo das superesportivas, a MV AGUSTA combinou elementos como alta performance e ótima dirigibilidade para um modelo dessa categoria, com estilo característico dessas super máquinas, definindo assim um novo padrão de motocicletas premium.

Cada componente foi estudado e projetado nos mínimos detalhes para atingir o objetivo de robustez, leveza e equilíbrio. Já a ergonomia foi meticulosamente calculada para permitir ao piloto utilizar-se de toda performance e alcançar os limites da motocicleta de forma prazerosa, confortável e segura.

A MV AGUSTA F4 é equipada com motor de quatro cilindros em linha, 16 válvulas e dimensões do pistão e curso de 76 x 55 mm, baseado nos propulsores de competição, agregando alta tecnologia e mantendo o status de referência para categoria das superesportivas. O resultado é um motor capaz de gerar potência máxima de 187,3 cv a 12.900 rpm, com torque máximo de 11.4 kgm a 9.500 rpm, e levar a F4 a uma velocidade máxima de 305,0 km/h*.

Todo o desenvolvimento do propulsor da F4 foi realizado para garantir um excepcional desempenho e a consequência foi o perfeito casamento entre o controle de aceleração e a tração da roda. Com isso, o piloto acelera e recebe toda a potência desejada, porém mantendo o controle total da moto.

Outro componente projetado para que a F4 tivesse um excelente motor foi o coletor de admissão. Este foi reduzido para obter uma melhor eficiência na admissão da mistura ar/combustível e garantir um excelente desempenho em todas as rotações. Além dele, agregado ao coletor, são utilizados novos corpos de injeção Mikuni 49mm, que garantem uma excelente curva de torque ao motor em conjunto com o sistema de admissão variável TSS. Para um fino controle de todo o sistema de alimentação do motor, foi definido a ECU (Electronic Controler Unit) 7BM da Marelli.

Esta ECU controla os oito bicos injetores, a altura dos coletores de admissão variáveis, a válvula do escapamento, o indicador de marchas e o módulo do controle de tração juntamente com o mapeamento duplo da injeção nos módulos esporte e chuva. O papel desse equipamento é entender a situação e identificar qual a melhor resposta, adequando todos os componentes de forma a obter o melhor rendimento do motor, independentemente da situação ou condição de pilotagem.

O sistema de exaustão da MV AGUSTA F4 sempre foi um elemento distinto em design, utilizando o esquema de 4 em 1 com características de moto de corrida. Os quatro tubos expostos na traseira da moto foram projetados para serem removidos e possibilitar a customização com acessórios.

O chassi da F4 é inconfundível e, como tudo nela, único. Seu projeto visa resistência e leveza, utilizando-se a união de uma estrutura treliçada em aço com chapas de alumínio podendo, assim, obter uma estrutura mais estreita, resistente e leve. Todo o chassi foi projetado para obter a melhor distribuição de peso ao longo da moto, com 52% na dianteira e 48% na traseira.

A MV AGUSTA F4 utiliza sistema de freios com pinças radiais BREMBO, que proporciona maior ação do freio e garante a eficiência do conjunto mesmo em altas velocidades, e cilindro mestre NISSIN com reservatório integrado produzidos nos padrões da MV AGUSTA.

A F4 estará disponível nas concessionárias autorizadas MV AGUSTA em duas diferentes combinações de cores: vermelho/prata metálico e preto brilhante/preto fosco.

Fotos: Divulgação

Para mais informações, acesse www.mvagustamotos.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


− três = 0