MV Agusta F3 passa pelos últimos ajustes

0
594

Fotos: Enguerrand Lebec

Quem acompanha o mercado de motocicletas já está careca de saber que a MV Agusta já tem na agulha uma nova moto tricilíndrica, a F3. Contudo, como tudo o que envolve a tradicional marca italiana ganha mais importância para nós brasileiros por razões que você saberá em (muito) breve, colocamos aqui as últimas novidades sobre a tão falada F3.

Em fase final de desenvolvimento de sua supersport, uma equipe da MV Agusta esteve no circuito francês de Ecuyers para fazer os últimos ajustes na inédita tricilíndrica.

De acordo com o jornalista Julien Amado, do site francês Moto Revue e que presenciou o teste dos italianos, não foi possível ter uma noção real do desempenho da motocicleta em razão das condições meteorológicas e também pelo fato de que, nesse dia, a equipe da MV utilizou um mapeamento da futura naked B3, que limita as rotações a 13 200 rpm, contra 15 000 rotações na  F3. Mesmo assim, segundo o colega francês o som do motor em alta é encantador.

O objetivo dessa sessão de testes em Ecuyers era avaliar diferentes configurações de suspensão e por isso a MV levou duas motos para a pista. A moto preta estava equipada com bengalas Marzocchi e amortecedor traseiro Sachs, já a vermelha trazia as renomadas suspensões  Öhlins TTX — tanto na frente quanto atrás — e pinças de freio monobloco na dianteira.

O piloto de testes da MV ia se alternando entre as duas motos e, ao final de cada sessão, os sensores instalados no assento do garupa era conectados a um computador enquanto um GPS enviava os dados em tempo real para a fábrica.

Ainda segundo o site francês, Claudio Rizzoto, um dos diretores da MV na França confirmou que o motor tetracilíndrico em linha de 675 cm³ terá 135 ou 136 cv na versão de rua. A moto terá acelerador ride by wire (sem cabo), controle de tração e um virabrequim com eixo anti-vibração. A moto deve chegar à Europa em outubro com um preço inicial fixado em 11 990 euros.

As primeiras unidades serão produzidas em edição limitada “Ouro”, mais equipadas e, naturalmente, mais caras. Seria essa a moto vermelha testada no circuito francês enquanto a preta é a versão normal? Vamos ter de esperar o lançamento oficial para saber.

Quem ficou curioso para ouvir a melodia do novo motor da casa de Varese  agradeça o vídeo abaixo a Claudio Castiglioni ( e a quem tirou o celular do bolso e gravou). O proprietário da marca italiana levou um protótipo da F3 até um encontro de donos de motos da MV na Itália, não resistiu aos pedidos de quem estava presente e colocou o motor para funcionar.

Fonte: MotoRevue.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


− dois = 5