Motos têm queda de 25% no número de emplacamentos

1
498

Mesmo com as contínuas promoções realizadas por diversas marcas, os números de emplacamentos de motos caem mês após mês. O último balanço é referente ao fechamento da primeira quinzena de junho. Comparado ao mesmo período do ano passado, foi registrado uma diminuição de 25% do número de emplacamentos. Isto representa 21.028 unidades a menos de motos nas ruas.

A justificativa de mercado para estes números pessimistas para o setor das duas rodas se baseia na restrição da liberação de crédito por parte das financeiras para a compra de motos.

“Os consumidores das classes C e D formam o público principal quando se trata de aquisição de motocicletas e têm maior dificuldade na comprovação de renda. Isso se agrava pelo fato de cerca de 80% das vendas de motocicletas ocorrerem por meio de pagamentos parcelados, com o uso de financiamentos e consórcios”, afirma José Eduardo Gonçalves, diretor executivo da Abraciclo.

E qual foi a ação do governo federal para tentar reverter essa situação? Reduziu o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) dos carros para fortalecer as montadoras e aumentou o das motos importadas.

Ainda referente ao último balanço publicado, o fechamento do mês de junho deverá ser ainda pior para as marcas de motos. A primeira quinzena registrou uma queda de 6,5% de emplacamentos referente ao mesmo período do mês anterior, e a estimativa é que junho feche com 22.457 unidades a menos emplacas do que em maio.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


− 7 = zero