Motocicletas apresentam mais de 13% nas quedas de vendas

1
869

O mercado dos ciclomotores está em queda, isso por conta de uma diminuição nas vendas de motocicletas, correspondendo 13,1% no atacado e de 9,7% na produção, em comparação com o mesmo período (janeiro a maio) do ano passado.  As vendas para o consumidor final (emplacamentos) também registram queda no comparativo com o ano passado. Em maio foram emplacadas 149.871 motocicletas, 12,7% abaixo dos dados do mesmo mês de 2011 (171.681).Porém, no acumulado do ano, as perdas nesta categoria foram mais suaves, da ordem de 4,2%, com 724.584 emplacamentos em 2012 ante 756.371 em 2011.

Segundo dados divulgados pela ABRACICLO – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares, foram comercializadas 151.316 unidades em maio deste ano, 22,5% abaixo das 195.307 vendidas no mesmo mês de 2011 e 9,2% acima do volume registrado em abril (138.608). No acumulado, 2012 registra 758.417 motocicletas comercializadas, ante 872.689 unidades de 2011.

Já com relação à produção, foram fabricadas em maio deste ano 171.739 motocicletas, 15,8% a menos do que o alcançado no mesmo mês de 2011. Apesar da baixa no comparativo ano a ano, os números são 17,9% maiores do que os registrados em abril, quando foram fabricadas apenas 145.697 unidades. No período entre janeiro e maio, saíram das unidades fabris 826.981 motocicletas, ante 915.584 no ano passado.

“A queda na produção só não foi maior porque as exportações acabaram ganhando espaço, superando as nossas expectativas”, conta Marcos Fermanian, presidente da ABRACICLO.

De acordo com a entidade, foram exportadas, em maio, 10.238 motocicletas, 16,3% acima do registrado em abril (8.804). No comparativo com o mesmo mês do ano passado, quando foram comercializadas ao mercado externo 6.725 unidades, o avanço é de expressivos 52,2%. O acumulado do ano (41.515 unidades) já está 56,6% superior ao alcançado em 2011 (26.517).

1 COMENTÁRIO

  1. Esta queda de vendas ocorre também entre outros fatores,pelo hábito terrível das concessionárias em não aceitar moto usada como parte do pagamento,ou o que é pior, avaliar de forma revoltantemente baixa a sua moto.Eu por exemplo, tenho uma Bandit 2011, quero trocar numa srad 750 e avaliaram a moto em R$ 17.000(comprei zero à um ano por R$ 30.500,00 na mesma loja.É uma piada,deste jeito as vendas só irão cair.Bem feito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


− dois = 7