Moto Turismo – Vale Europeu -SC

0
2007
Vale Europeu Santa Catarina Pomerôde
Vale Europeu Santa Catarina Pomerôde

Moto Turismo BestRiders – Rotaamérica.
Vale Europeu – SC 09/10/11 e 12 de Julho 2020

Depois de 7 meses de moto parada, contribuindo para o isolamento social esperávamos que essa grande pandemia passasse logo na expectativa de voltar a conhecer novos lugares e trazer novidades a vocês leitores.

Com a abertura de algumas cidades da Região Sul fomos convidados pelo parceiro rotaamerica para um passeio de 4 dias, pernoitando 2 dias em Pomerôde, 1 em Curitiba e volta para casa. Logo pensamos, será? Em algum momento teríamos que recomeçar, claro com todos os protocolos de segurança.

Saímos de Jundiaí as 7:00hs da manhã ponto de encontro com o grupo em Sorocaba para inicio da aventura até Pomerôde-SC.

Nosso roteiro foi feito exclusivamente pela Rotaamerica para quem não os conhecem, eles organizam viagens levando motociclistas pelo Brasil, Continente Sul-Americano e outros destinos, para saber mais siga @rotaamerica.

Rodrigo – Rota América

Tudo pronto, grupo formado, apresentações feitas hora de seguir a viagem em 9 motos.

Novidade para nós e uma grande alegria foi descer a Serra da Macaca no parque Carlos Botelho ligando São Miguel Arcanjo a Sete Barras, com seus 33km de extensão .Curtimos cada detalhe pois, a velocidade permitida é de 40km/h para podermos  desfrutar da beleza que ele nos proporciona ,logo parada para almoço, alguns postos do Estado de São Paulo estavam servindo almoço normalmente  o que foi ótimo.

Serra da Macaca

Voltando A BR116 sentido Santa Catarina, chegando nas proximidades de Blumenau, Pomerôde a pista ainda continua em reformas e demoramos um pouco a mais e claro redobrando a atenção ao máximo.

Chegamos em nossa pousada as 19 horas, a aconchegante ”Lena Rosa“. Tudo organizado pela Rotaamerica, foi só chegar preencher a ficha, fazer testes de temperatura, descarregar as motos sair para jantar, este também organizado por ele. A minha surpresa, um jantar Romeno no belíssimo “Café do Morro Casa Romena“ @casa.romena, um acolhimento impecável e a comida então nem se fale, tudo isso na ainda quinta-feira.

Depois disso bora descansar que na sexta-feira tinha programação pela cidade, muitas vinícolas por isso optamos por deixar as motos e seguir de Van. Mais conforto e sem correr risco já que bebida e pilotagem não combinam , uma que visitamos foi a vinícola ”Mondini” @castellimondini, localizada na cidade vizinha   Ascurra , nessa época as parreiras estão  em dormência, o que  é lindo de se ver e visitar, e claro degustar as maravilhas produzidas por esta família  que nos recebe e apresenta a história da família .

Depois de todas estas degustações voltamos ao centro de Pomerôde para um grandioso almoço típico alemão no restaurante “Siedlertal” @restaurantesiedlertal, com um atendimento e decoração típicos da região , pois lá consiste a maior população Alemã no Brasil.

Restaurante Siedlertal

A cidade tem muito a oferecer, vários passeios , boulevard de compras com uma fábrica de Cervejas para quem ama essa bebida , cafés e chocolaterias para os amantes.

A temperatura estava agradável no final de semana que estivemos por lá , um céu  ensolarado deixando a cidade ainda mais aconchegante . A noite mais comidas e boas conversas com o grupo até altas horas, nada melhor não acham ?

Na manhã seguinte (sábado) saída para Curitiba , mas antes passar pelas interpraias de Balneário Camburiú , curtir um pouco laranjeiras e claro um perfeito almoço com vista para o Mar, querer mais o que ?!

Neste percurso fizemos a Serra Dona Francisca ela é parte da  SC-301, que liga a região de Joinville a São Bento do Sul e Mafra, no planalto serrano de Santa Catarina, quase na divisa com o Paraná. São 8 curvas de 180 graus, num trecho de 4 km. O trecho total de serra é de aproximadamente 20 km, parada rápida para fotos no ponto especifico para não atrapalhar o trânsito e simplesmente admirar a vista.

Pernoitamos em Curitiba, afinal precisamos de um descanso para a nossa próxima jornada, lá não aproveitamos pois ela estava em lockdown, jantar no próprio hotel e uma conversa no saguão e muitas risadas.

Descansados partimos, desbravamos as curvas do Rastro da Serpente afinal de contas, são cerca de 260 quilômetros de estrada e 1250 curvas. Subimos de Curitiba a Capão Bonito, para quem gosta é uma aventura e tanto, mas confesso, para garupa nem tanto, a emoção fica mesmo para o piloto, todo este trajeto demora em média 5 a 6 horas para completa-la então vá preparado!

Pontos marcantes do rastro da serpente são:  o mirante da serra, a placa em Apiaí com certeza a mais famosa onde todos tiram suas fotos, “O Porthal Rastro da Serpente” em Capão Bonito ponto de apoio aos motociclistas que estão indo ou voltando de Curitiba.

Mas nessa época de pandemia todas estas cidades estavam em lockdown e foi difícil até mesmo encontrar uma padaria aberta e os pontos comerciais fechados, mas nada que atrapalhe o trajeto.

Muitos motociclistas costumam pernoitar e Capão Bonito para descanso, nós decidimos continuar a viagem, neste momento o ponto de despedida do grupo, caminhos diferentes seriam tomados já que morávamos em cidades diferentes.

Ao chegar em casa e ouvir o toque no grupo ……..” cheguei”, está tudo bem! Todos em casa é a certeza que tudo deu certo e foi ótimo o final de semana.

Agora descansar para segunda-feira voltar a rotina e pensar na próxima viagem 😊.

Obrigada pelo prazer de conhecê-los e com certeza nos vemos pela estrada!

Agradecemos a companhia de André, Marcos F., Flávio, Luciano, Marcos V., Álvaro e claro a Rota América pela organização e carinho de sempre.

Gostou? Deixe comentários ou nos conte sua aventura!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


nove + 6 =