Morre Maria de Villota, trazendo luto a F1

1
390

Maria de Villota: a ex-piloto de automobilismo, foi encontrada morta em um quarto de Hotel em Sevilha. A piloto, segundo a BBC, estava em Sevilha para o lançamento de uma autobiografia.

maria_villota

Foto Divulgação

Morre Maria de Villota, trazendo luto a F1

A espanhola Maria de Villota, filha do ex-piloto de Fórmula 1 Emilio de Villota e irmã do piloto Emilio de Villota Jr, que competiu na fórmula Palmer Audi,  seguiu o caminho da família como piloto de automobilismo.  A piloto foi encontrada morta em um quarto de hotel em Sevilha, ainda não se sabe a causa da morte, mas suspeita-se de causa natural. O serviço médico de Sevilha recebeu um chamado do “Hotel Sevilla Congresos” às 07h23 (horário local) para atender uma mulher que não passava bem no local. Na cidade ela participaria do 6º Congresso “O que Realmente Importa”, iniciativa destinada a jovens.

Maria competiu na fórmula Superliga e tinha como ambição atingir a categoria de elite no automobilismo, o que foi interrompido após sofrer um grave acidente  ao realizar um teste com um carro da Marussia em linha reta,  no aeroporto de Duxford, na Inglaterra. Nesse acidente,  em que a piloto se chocou com um trailler, a piloto teve o crânio perfurado e necessitou de cirurgias, perdendo o olho direito. Após o acidente, a piloto dedicou-se a palestras sobre trânsito e valorização da vida.

Villota era muito querida na F1, pelo que sua morte causou impacto no meio.

Os pilotos de F1 que estão reunidos  no circuito de Suzuka demonstraram seus sentimentos:

“Completamente atordoado e devastado de ouvir que Maria de Villota faleceu. Meus pensamentos e orações estão com ela. Nós nunca vamos te esquecer”, falou o piloto reserva da equipe Caterham, Alexander Rossi.

A equipe Mercedes divulgou uma nota oficial: “Nossos profundos pêsames para a família e amigos de Maria de Villota pela trágica notícia de seu falecimento. Sua coragem, determinação e esperança eram um exemplo e inspiração para muitos. Tristemente, sua falta será sentida no nosso esporte.”

“Não sei o que dizer, acabam de me contar. É preciso rezar por ela e estar muito perto da família. Maria era muito querida por todos nós, por toda a família do automobilismo”, disse o piloto espanhol da Ferrari Fernando Alonso, conterrâneo de Villota, que na época de seu acidente, homenageou a piloto com o desenho de uma estrela em seu capacete, no Grande Prêmio da  Inglaterra.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


8 − = dois