Lançamento Honda: VFR 1200 DCT chega mês que vem por R$ 69 900

6
352


Como previsto desde que ela foi exposta no último Salão do Automóvel, a Honda apresentou hoje oficialmente a sport-touring VFR 1200. O modelo estará disponível na na rede de concessionárias a partir de abril de 2011 unicamente na versão top, que já vem equipada com câmbio DCT. Seu preço público sugerido será de R$ 69.900,00 (valor com base no Estado de São Paulo, não inclui despesas com frete e seguro) e estará disponível nas cores vermelha metálica e preta metálica. A garantia é de um ano, sem limite de quilometragem.
Esta sport-touring japonesa que foi uma das grandes novidades no motociclismo em 2010. Equipada com um inédito motor tetracilíndrico em V de 1 237 cm³, esta VFR entrega o desempenho típico de uma superbike (são 172,7 cv a 10 000 rpm), mas com a suavidade, linearidade e abundância de torque (13,2 kgfm a 8 250 rpm) das mais confortáveis estradeiras. Se somarmos a essa característica “mecânica” alguns outros detalhes de ergonomia e conforto, não é nenhum absurdo dizer que esta Honda está no meio termo entre uma sport-touring e uma legítima GT. O robusto chassi de dupla viga de alumínio, as suspensões e os freios (com C-ABS) estão perfeitamente dimensionados para a proposta da moto, isto é, suavidade quando utilizamos a moto com uma calma touring e excelente comportamento dinâmico quando exploramos toda a sua cavalaria.

A Honda ainda equipou uma versão da VFR 1200 com o câmbio DCT (Double Clutch Transmission). Com esse sistema, além do piloto poder escolher entre trocas automáticas nos modos Drive e Sport (como acontece na maioria dos automóveis), é possível utilizar o câmbio no modo semi-automático fazendo a troca por meio das teclas “+” e “-“, situadas próximas à manopla esquerda (o sistema DCT elimina o manete de embreagem). Vale destacar que não é um câmbio CVT e sim um câmbio tradicional, de 6 marchas. Graças ao sistema de dupla embreagem — uma para marchas ímpares e outra para as marchas pares —, a velocidade na troca de marchas é impressionante.
Enquanto nosso repórter André Garcia — que neste momento está na apresentação dos dois modelos (VFR e Transalp) no interior paulista — prepara uma reportagem detalhada sobre os dois lançamentos da marca. Veja como o DCT da VFR 1200 funciona no vídeo abaixo.

6 COMENTÁRIOS

  1. Concordo com as opiniões anteriores,a moto é tudo de bom mas digo que o valor de quase 70 mil reais ta fora da realidade,a exemplo das outras motos da honda os preços praticados não são compativeis com o produto.por este motivo procuro adqirir outras marcas que praticam preços mais justos.

  2. Essa é uma das poucas motos da Honda que me atraem e já suspiro a tempos por ela, pois já tá a pelo menos 2 anos no exterior, não sou defensor de nenhuma marca, mas tirando a Shadow 600,a CB 300 (pois Twister nem pensar) e CB 450 (antiiiga) nenhuma Honda me atraía, mas essa moto é um show em todos sentidos, de design, de tecnologia, de desempenho e o fato de ser uma moto que eu procuraria meio termo entre uma SS desconfortável e uma touring trambolhuda).

    Se não me engano na cidade você ela desliga dois cilindros para economizar combustível, diminuir o calor e facilitar se locomover no trânsito em um dos modos da injeção.

    Pena não vir nas versões manuais, pois poderia vir mais barata, pois olhando lá fora esse modelo top é razoavelmente mais caro e não sei se me acostumaria com ele.

  3. A Honda superou agora! esta moto é linda!! Vou trocar a minha FIREBLADE por este lançamento maravilhoso! Parabéns para equipe de desenvolvedores da Honda!! voçês são demais…!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


nove + 2 =