Lançamento Honda: VFR 1200 DCT chega mês que vem por R$ 69 900

6
535


Como previsto desde que ela foi exposta no último Salão do Automóvel, a Honda apresentou hoje oficialmente a sport-touring VFR 1200. O modelo estará disponível na na rede de concessionárias a partir de abril de 2011 unicamente na versão top, que já vem equipada com câmbio DCT. Seu preço público sugerido será de R$ 69.900,00 (valor com base no Estado de São Paulo, não inclui despesas com frete e seguro) e estará disponível nas cores vermelha metálica e preta metálica. A garantia é de um ano, sem limite de quilometragem.
Esta sport-touring japonesa que foi uma das grandes novidades no motociclismo em 2010. Equipada com um inédito motor tetracilíndrico em V de 1 237 cm³, esta VFR entrega o desempenho típico de uma superbike (são 172,7 cv a 10 000 rpm), mas com a suavidade, linearidade e abundância de torque (13,2 kgfm a 8 250 rpm) das mais confortáveis estradeiras. Se somarmos a essa característica “mecânica” alguns outros detalhes de ergonomia e conforto, não é nenhum absurdo dizer que esta Honda está no meio termo entre uma sport-touring e uma legítima GT. O robusto chassi de dupla viga de alumínio, as suspensões e os freios (com C-ABS) estão perfeitamente dimensionados para a proposta da moto, isto é, suavidade quando utilizamos a moto com uma calma touring e excelente comportamento dinâmico quando exploramos toda a sua cavalaria.

A Honda ainda equipou uma versão da VFR 1200 com o câmbio DCT (Double Clutch Transmission). Com esse sistema, além do piloto poder escolher entre trocas automáticas nos modos Drive e Sport (como acontece na maioria dos automóveis), é possível utilizar o câmbio no modo semi-automático fazendo a troca por meio das teclas “+” e “-“, situadas próximas à manopla esquerda (o sistema DCT elimina o manete de embreagem). Vale destacar que não é um câmbio CVT e sim um câmbio tradicional, de 6 marchas. Graças ao sistema de dupla embreagem — uma para marchas ímpares e outra para as marchas pares —, a velocidade na troca de marchas é impressionante.
Enquanto nosso repórter André Garcia — que neste momento está na apresentação dos dois modelos (VFR e Transalp) no interior paulista — prepara uma reportagem detalhada sobre os dois lançamentos da marca. Veja como o DCT da VFR 1200 funciona no vídeo abaixo.

6 COMENTÁRIOS

  1. Concordo com as opiniões anteriores,a moto é tudo de bom mas digo que o valor de quase 70 mil reais ta fora da realidade,a exemplo das outras motos da honda os preços praticados não são compativeis com o produto.por este motivo procuro adqirir outras marcas que praticam preços mais justos.

  2. Essa é uma das poucas motos da Honda que me atraem e já suspiro a tempos por ela, pois já tá a pelo menos 2 anos no exterior, não sou defensor de nenhuma marca, mas tirando a Shadow 600,a CB 300 (pois Twister nem pensar) e CB 450 (antiiiga) nenhuma Honda me atraía, mas essa moto é um show em todos sentidos, de design, de tecnologia, de desempenho e o fato de ser uma moto que eu procuraria meio termo entre uma SS desconfortável e uma touring trambolhuda).

    Se não me engano na cidade você ela desliga dois cilindros para economizar combustível, diminuir o calor e facilitar se locomover no trânsito em um dos modos da injeção.

    Pena não vir nas versões manuais, pois poderia vir mais barata, pois olhando lá fora esse modelo top é razoavelmente mais caro e não sei se me acostumaria com ele.

  3. A Honda superou agora! esta moto é linda!! Vou trocar a minha FIREBLADE por este lançamento maravilhoso! Parabéns para equipe de desenvolvedores da Honda!! voçês são demais…!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


+ 1 = cinco