Kawasaki Z250 não virá para o Brasil, comunica a marca

12
1073
Kawasaki Z250 Branca

Depois de causar certo furor com lançamentos em tempo recorde, como a Ninjinha 300 e a Kawasaki Z800, a Kawasaki Motores do Brasil divulgou comunicado oficial afirmando que a motocicleta Kawasaki Z250, recém-lançada no Japão para o mercado asiático, não está nos planos da marca para o mercado brasileiro das duas rodas.

Ainda no comunicado, a Kawasaki Motores do Brasil afirmou que a Z250 também não será comercializada no mercado da Europa e dos Estados Unidos, mas afirma que a marca continua atenta às tendências do mercado global de motocicletas.

Kawasaki Z250 Branca
Foto: Divulgação

Kawasaki do Brasil afirma que Z250 não será comercializada no país

Leia o comunicado oficial divulgado pela Kawasaki Motores do Brasil:

“O modelo Z250 (ou ER250), lançado na Ásia em Fevereiro de 2013, foi desenvolvido para atender especificamente os mercados da Indonésia e Tailândia. Esse modelo não será comercializado em outras regiões, como a Europa, os EUA ou o Brasil.

O modelo Z250 (ou ER250) é uma versão 'naked' baseada na Ninja 250R (2013) que já é comercializada na Ásia. No caso da Ninja 300 (2013) que é comercializada fora da Ásia, no momento não existem planos para o lançamento de uma versão 'naked'.

A Kawasaki permanece atenta às tendências do mercado global, e novos modelos podem ser desenvolvidos quando se confirmam as condições mínimas para um novo projeto, de acordo com a demanda e as exigências técnicas e legais de cada país onde a Kawasaki atua.”

12 COMENTÁRIOS

  1. fooooooooooda!! Mas tá certo, da onde que o brasileiro ia trocar a sua “espetacular” cb300, por qualquer moto que fosse, n é msm pessoal?! fiquei babando por essa maquina velho, é uma pena mesmo!

  2. Angelo e Leandro:
    Amigos,vocês mesmos estão cientes que no Brasil,graças à mentalidade atrasada de consimudores,que acham que existem apenas “duas marcas” de motos,qualquer modelo que chega,imediatamente é comparado com as “Hondas e yamahas”.
    Eu também estava esperando a Ktm Duke 200 desde 2009,quando li as primeiras notícias sobre a possível vinda,mas fui frustrado também.
    Hoje,eu tenho uma Next 250,excelente moto,mas trocaria pela Z300 ou pela Duke 200,mas como o Angelo citou,os fabricantes não querem arriscar trazer tecnologia em um país onde as mais vendidas ainda usam FREIO A TAMBOR.

  3. Eu nao acredito qe nao será vendida no meu país a moto que eu ja estava juntando dinheiro para poder usar de entrada!! Não me conformo cm certas coisas que são decididas por pécimos hábitos de ter de desfazerem negócios por motivos banais.Inacreditavel pensar que terei de comprar outra moto que nem fazia parte dos meus planos! Estou abismado cm td isso é muita falta de credulidade e de ciência humana tais atitudes imcomprienciveis..Isso é muita formalidade leviana! Estou muito sem graça cm estes acontecidos.

  4. O esquema é o seguinte;

    Uma pequena “carenada” tem a ilusão de “status”, uma pequena naked nem tanto.

    E sabemos que a ninja300 chegou pelos olhos da cara.
    [nos outros mercados o preço subiu pouquinho de 250 para 300]

    Então se a Ninja 250 é vendida por 14 COM CARENAGEM…
    Essa não poderia passar de 12/13 mil.

    Não teriam um lucro exorbitante como todas as marcas tem, por isso não trazem. Simples assim. O negócio é ganhar o máximo possível.

    Se não tivesse vindo a ninja300, creio que trariam essa sem dúvidas.
    Prefiro a 300cc….QUANDO BAIXAR O PREÇO OBVIAMENTE.

  5. Mas esta notícia é o fim da rosca mesmo. Esperava a Duke 200 e não veio. Esta seria a moto perfeita para o meu bolso, mas como tudo o que é bom dura pouco, ta ai a notícia. É uma pena mesmo.

  6. E a KLR 650 quando virá? Bestriders que tal uma reportagem mostrando as qualidades desta legendária motocicleta e um a projeção de preço comparando com suas concorrentes diretas : Gs650 e Tenéré 650 !!!

  7. Decisão esperada…de fato não vale trazer estas e outras motos para o Brasil.
    O consumidor brasileiro é alienado, desconhece tecnologia e o alto valor de alguns componentes destas motos inviabiliza as vendas.
    Sou orfão da Duke 200, entre outras que poderiamos ter, mas o povão só vê cg300 pela frente!
    Triste, povo sem educação e sem capacidade de saber o que é um veículo com tecnologia embarcada.

    • disse tudo Leandro, mesmo sendo superior à “cg300” em tudo e custando o mesmo preço não seria sucesso de venda em terras tupiniquins. entendam uma coisa: os grandes fabricantes só trarão grandes motos (no sentido de tecnologia, não de cc) qdo a cultura brasileira for grande tbm, ninguém vai se arriscar, eis pq a KTM reluta tanto em trazer as “dukes”, com certeza ia ter a grande maioria questionando elas frente a “fantástica” CG300 (CG mesmo, de CB não tem nada).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


5 − = quatro