Kasinski Mirage 250 – A custom sem concorrentes

Impressões, Últimas
EPI201109 bestriders kasinskimirage 10001 Kasinski Mirage 250   A custom sem concorrentes

Fotos: Gustavo Epifanio

Lançada em 2001 pela Kasinski, a custom de origem coreana Mirage 250 já está no mercado há 10 anos, hoje, sem concorrentes na categoria.

A Kasinski mudou de mãos em 2009, quando foi comprada pela sino-brasileira CR Zongshen, e uma das primeiras ações da nova administração foi melhorar um de seus principais produtos, introduzindo injeção eletrônica, nova suspensão dianteira e guidão em novo formato. Hoje, a Mirage 250 reina sozinha no mercado como “custom popular”, onde é possível utilizá-la como meio de transporte durante a semana e como veículo de lazer aos finais de semana.

No trânsito das cidades ela anda até com certa desenvoltura. Em corredores de avenidas com faixas largas, como a Avenida dos Bandeirantes e  na Marginal Pinheiros — ambas na caótica São Paulo —, ela vai  muito bem,  mas, por outro lado, em ruas e avenidas com faixas estreitas como a 23 de Maio, pista local da Marginal Tiête, dentre outras, todo cuidado é pouco para o guidão não pegar num retrovisor.  Dado seu bom esterçamento também é possível  manobrá-la com facilidade, contudo, quando o trânsito para, incomodam um pouco o calor do motor nas pernas do piloto e alguma dificuldade em engatar o neutro.

EPI201109 bestriders kasinskimirage 10591 Kasinski Mirage 250   A custom sem concorrentes

Rodovia com bom pavimento é o habitat da Mirage 250

A rodovia é o seu verdadeiro habitat, onde ela pode respirar à vontade e desenvolver todo o potencial de seu motor V2, DOHC ,de 250 cm³ com comando roletado e quatro válvulas por cilindro. Com 30 cv se apresentando a 10 000 rpm e o torque máximo (2,25 kgfm) a 7 500 rpm, é fácil manter a velocidade de 120Km/h a 8 000 rpm em 5ª marcha. Fiquei surpreso com a baixa vibração transmitida ao piloto, com o motor trabalhando entre 7 000 e 10 500 rotações. No entanto, o piloto nota a vibração da máquina pelo espelho retrovisor, já que o reflexo do espelho acaba sendo distorcido.

Se o piloto vai “confortável”, o mesmo não pode dizer a garupa, que sofre com a falta do sissy bar e com a vibração do seu assento, item que merece uma atenção especial por parte do fabricante. Dependendo da posição do piloto, se este apoiar-se no banco traseiro, utilizando-o como um “mini encosto”, sentirá, certamente, essa incomoda vibração.

Punhos Kasinski Mirage 250   A custom sem concorrentes

Botões intuitivos. Ponto para Kasinski que adotou o pisca-alerta, exclusivo em toda categoria 250/300 cm³ e de grande utilidade

O guidão é aberto e permite pilotar com os braços relaxados, os botões são intuitivos e apesar do acabamento simples tem boa funcionalidade, com exceção para o botão da buzina que tem um curso muito longo até que se consiga acioná-la.

EPI201109 bestriders kasinskimirage 10251 Kasinski Mirage 250   A custom sem concorrentes

Painel bonito e funcional.

No geral, a Kasinski Mirage 250 conta com um bom acabamento. As peças são bem bem encaixadas e o painel, além de bonito — especialmente à noite  graças à bela iluminação —,  oferece boa e rápida leitura da velocidade, da rotação e do display digital, onde encontramos odômetro,  nível de combustível e relógio.

O estilo custom equivocadamente é interpretado pelo consumidor e parte da imprensa como uma moto confortável para se viajar. É para viajar, mas não dá para chamá-la de confortável, afinal,  nosso país não é dotado de pavimentação perfeita, como acontece na América do Norte e Europa.

EPI201109 bestriders kasinskimirage 10131 Kasinski Mirage 250   A custom sem concorrentes

Estilo da traseira lembra a Shadow 750 de anos atrás

Com apenas 120 mm de curso na dianteira e 80 mm na traseira,  as suspensões  fazem o piloto e garupa padecerem quando trafegamos em asfalto ruim. Isso apesar dos excelentes pneus que vem de série na Mirage, Metzeler Perfect ME 77 – 110/90-16 na dianteira e 140/90-15 na traseira.

Confesso que fiquei com lombalgia após pilotá-la por 280 km num bate e volta entre São Paulo e Piracicaba/SP, no razoável pavimento (cheio de emendas) da Rodovia dos Bandeirantes. Culpa disso é a posição característica das “custom” onde o piloto fica recebendo todo impacto do pavimento diretamente na coluna enquanto as pernas ficam esticadas à frente, em um posição que não permite aliviar essa tensão.

Tanto na estrada quanto em trechos urbanos, não é possível ficar de pé ou aliviar a coluna quando se passa por buracos ou grandes ondulações do remendado asfalto. Contudo, isso não é “privilégio” da Mirage e sim uma característica de qualquer modelo custom, onde a posição do piloto atrelado ao pequeno curso da suspensão causa esse desconforto.

Em termos de consumo de combustível o pior foi 17,07 km/l e o melhor 20,6 km/l, mas é possível fazer médias melhores. Acredito que a Mirage numa tocada mais “custom” faça fácil algo em torno de 23 a 25 km/l. Com tanque de 14 litros, o piloto deve ficar atento, já que sua autonomia com segurança é de 250 km.

EPI201109 bestriders kasinskimirage 10061 Kasinski Mirage 250   A custom sem concorrentes

Cromados de boa qualidade e que reluzem a beleza e o estilo.

Quem aprecia o estilo “custom” e suas peças cromadas, não se decepcionará com a Mirage 250, é possível notar o quanto é reluzente e o material parece ser de boa qualidade. Digo parece porque só o tempo e os cuidados do proprietário o dirão!

Para frear, o bólido conta com disco simples na dianteira e a tambor na traseira, que dão conta do recado. Tive a impressão de que quando se aciona com vontade o dianteiro a frente mergulha muito, não dá para afirmar, mas isso pode ser a quantidade ou a qualidade do óleo utilizado nas bengalas. Já o freio traseiro, além de muito borrachudo e exigindo muita força no pedal, me pareceu numa posição muito alta, problema que é possível resolver com uma simples regulagem.

EPI201109 bestriders kasinskimirage 10351 Kasinski Mirage 250   A custom sem concorrentes

O banco tem boa ergonomia e boa densidade de espuma, mas o traseiro parece solto e vibra em demasia. O garupa não tem onde se segurar

Apesar de não gostar do estilo custom, dado sua posição de pilotagem quase ginecológica, considero a Kasinski Mirage 250 uma moto honesta, já que oferece um bom custo X benefício, uma rede de atendimento que está aumentando por todo o Brasil, garantia de 3 anos e uma cesta de peças com preço dentro da realidade do mercado, mas que pode melhorar. Achei caro o valor cobrado pela mão de obra em algumas concessionárias que chega a R$ 280,00 para a revisão de 6 000 km sem contar os R$ 75,00 de filtro e óleo.

EPI201109 bestriders kasinskimirage 10101 Kasinski Mirage 250   A custom sem concorrentes

O escapamento 2 X 1 é bonito e oferece um bom som do V2

Com mais de 1 270 unidades comercializadas em 2011 até o mês de julho, segundo dados da ABRACICLO, a Kasinski cobra por essa “custom” a quantia de R$ 13 400 (treze mil e quatrocentos reais) na cor sólida e R$ 13.900,00 (treze mil e novecentos reais) na cor “dual tone”, o que a coloca na briga na categoria de 250/300 cm³, mas com a vantagem de ser bicilíndrica.

Kasinski Mirage 250 Impressões v Kasinski Mirage 250   A custom sem concorrentes

André Garcia utilizou: calça e jaqueta da HLX Racing, bota Ridge Alpinestars, capacete Shark S650, luvas X-Vince

s suspensões oferecerem um curso de 120 mm na dianteira e 80 mm atrás

57 comments

  1. E a Garinni, colocou cela de elefante em bezerro. Ai ficou pesadona. E Sundown, tinha a V-Blade e descontinuou, anunciou uma 250 carenada e nada, parece que vai ficar mesmo só com a Motard e o Brozedor….

    Responder
  2. Sendo um adorador do estilo custom esta seria/será a porta de entrada, pra mim nesse estilo. Já aguardava ansiosamente pelo teste do mês com a Mirage 250.
    Muito obrigado galera do Best Riders. Provavelmente decidirei minha compra baseado em vosso teste.
    Ouço muitos prós e contras sobre ela. Espero que vocês tirem todas nossas dúvidas sobre ela.
    Grande abraço de um grande fã do site.

    Responder
  3. Não tinha notado como é uma moto bonita. É uma boa aposta no segmento.

    Responder
  4. Acho ela uma bela moto, porem não me agrada muito o visual do painel, não é muito característico de uma moto custom. Só lamento que não haja mais as Viragos 250.

    Responder
    • Se bem que vejo ela bem como uma Virago com um toque de atualização.

      Responder
    • Tipo a Virago 535 eu até concordo com vc, moto excelente, potente, leve… mas Viraguinho 250 é muuuuuuuitoinferior a Mirage 250 EFI, na galera que anda comigo tem 2 (duas) elas tem desempenho de moto 125cc, e as peças da Yamaha são um roubo… resumo da opera… Custom 250cc no Brasil soh a Mirage mesmo, ou entaum pula logo pra categoria de 500cc pra cima, aih sim tem várias motonas ótimas mas com o preço de no mínimo 25.000 dilmas… (moto usada só recomendo Shadow 600 ou as Harley Daivdson, no resto só vai ter prejuízo ou raiva)

      Responder
  5. Qual a velocidade máxima dela? Está apontando nota 8, mas chegaram em quantos km/h?

    Responder
    • tenho uma mirage 250 e a velocidade máxima dela é 140/150 aos 10.000 rpm.

      Responder
      • Desconta 10km do velocímetro nas EFI e 20 nas anteriores.

        Responder
    • A minha soh vai ateh 145Km/h em retas e a 150Km/h em descida, depende muito do vento tb… eu tenho 115kg na estrada eu consigo fazer média de 18Km/litro de gasolina (adidivada) e na cidade já fiz mais de 22 Km/litro, acho que pq na estrada eu forço mais a moto só pode (média de velocidade em viagem 130Km/h)

      Responder
  6. Tenho uma fazem 8 meses e a avaliação é bastante realista – parabéns a Best Riders.
    No geral, fiquei bastante feliz com a compra – recomendo.
    Já cheguei a 160 e a moto foi muito bem…ainda podia torcer mais o cabo.

    Responder
  7. Tenho uma 2011, hoje com 3500 kms rodados, esses basicamente em passeios de finais de semana. Uma observação em relação ao consumo alcançado nesse teste. Numa das viagens, 400 kms rodados, estava sozinho e apreciando a paisagem, média de 90 km/h. Nessa obtive 30 km/ litro. Em outra viagem de 320 km acompanhando motos esportivas (tentando), andando em alguns momentos a mais de 150 km /h alcancei o consumo de quase 23 km por litro. Fiquei surpreso em ler vocês terem obtido apenas 18, 16 km/l faz meu carro 1.0 em estradas.

    Responder
    • Ola, vi o depoimento do José Geraldo, nunca vi nem uma mirage fazer isso que vc disse, cara ando com 8 amigos mirageiros e todas as 8 motos fazer a 80/90 km/h de 20 a 24km/l passou de 100/110km/h elas fazem 18 a 19km/L…
      Ou a sua eh uma super mirage ou as nossas (8) estão estragadas. Abraços.

      Responder
  8. Comprei uma 2011 no final de março. Estou mais que satisfeito.

    Uso diariamente para trabalho e lazer.

    Na cidade o consumo médio de 20/22 Km/lt. Na estrada, em torno de 25 km/lt.

    Responder
  9. É uma moto ótima, entretanto o guidão baixo das EFI não permitem pilotagens longas, provocando dor nas costas. O anterior era mais apropriado para isso. Em cidade, trajetos curtos, não incomoda tanto.
    As EFI vieram com muitos problemas de nacionalização com muitos retificadores queimando, cabos do acelerador quebrando e outros problemas com a injeção, que a Kasinski deve estar resolvendo, mas a Assistência Técnica, estoque e fornecimento de peças, que chega a demorar mais de mês, ainda precisa melhorar muito.

    Responder
  10. NÃO TEM CONCORRENTE.FICA SEMPRE NA OFICINA, NUNCA CONCORRE. GANHA DE TODAS EM TEMPO DE OFICINA E COMO A PIOR MOTO KUURENA.CONSEGUIRAM A MELHOR MOTO EM DEFEITOS, É SÓ IMAGINAR, ELA TEM. MOTO NELSON RODRIGUES: “BONITINHA, MAS ORDINÁRIA”.

    Responder
  11. Comprei a minha a três semanas, o consumo está em média 17km/l espero que melhore após a primeira revisão, adoro moto Custom, e vou nessa levada pra sempre.
    O teste de vocês foi bem realista, me tirou algumas encanações que tinha como “será que é a minha que tem algo estranho”.
    Gostaria de saber se tem algum grupo na net que de dicas sobre as primeiras coisas a se fazer numa Mirage 250, dicas de pilotagem etc.

    Responder
  12. É uma excelente moto, estou com a minha a 4 meses jah.. aqui na minha cidade (Boa Vista-RR) a concessionária Kasinski foi toda remodelada e os caras fazem de td pra agradar, comprei a minha um pouco depois de um amigo ter comprado pelo mesmo valor uma Shadow 600 ano 2000, a moto dele jah deu problema no carburador, jah trocou o kit de transmissão… vela… e eu até agora só voltei na concessionária pra buscar um brinde que eles me prometeram…

    Ps.: Na estrada as 2 motos andam pau-a-pau…

    Responder
  13. Estou com a minha faz 1 ano, 6000km.
    Posso dizer que a moto é bonita e chama muito a atenção.
    Mas tmbém posso dizer que já tive vários problemas. Já queimou uma peça eletrônica e acabei voltando no guincho, tenho um problema no adesivo do tanque e agora estou aguardando trocarem os amortecedores traseiros. Exceto o adesivo, que querem que eu troque o tanque … os demais foram atendidos pela garantia. Espero que fique nisso!
    Dizem que custom foi feito para andar na reta, eu discordo, essa é quinta que eu tenho e sempre foram motos bastante assentadas, mas essa minha, não sei se a moto ou o pneu, é um pouco instável, é só cair alguma água e é o suficiente para que ela fique um tanto perigosa, já tomei um tombo com ela onde tomei uma estilingada e de quebra a moto “fugiu de mim” escorregando de baixo. Foi a primeira vez em mais de 20 anos em 2 rodas que vi uma coisa dessas …
    Vou esperar trocarem o amortecedor traseiro que, pelo que disseram, teve algum problema e acabou sendo danificado. Espero que após essa manutenção eu possa mudar minha opinião sobre ela.
    Enfim, tenho muitas saudades pela minha Virago 535 1994 importada … e para ser sincero, até o momento estou meio arrependido de ter vendido a minha Neo …
    Em todo caso, me disseram que eu tive azar com a moto … quem sabe não foi isso mesmo …

    Responder
    • Luciano, tenho uma Mirage 250, pouco tempo de pilotagem e nenhuma experiência anterior em outra moto. Em 5.000 Km rodados até agora já peguei óleo em pavimentação com pedra, pintura com tinta emborrachada muito larga ao sair de uma rotatória em dia de chuva, e um trecho de estrada de praia com areião. Em todas essas situações eu tive a nítida impressão que iria ao chão mas consegui recuperar o controle da moto apesar de saídas de traseira, dela, sempre da esquerda para a direita. Acho que o mérito de não ter caído não é meu, mas da moto, já que não sou piloto experiente, conforme falei. A Kasinski relaxa muito na montagem das motos, mas o produto é bom e me parece bem estável. A minha veio com a roda traseira totalmente desalinhada e 50 libras no pneu da frente, sinais evidentes de falta de controle. Talvez vc não tenha tido sorte, como vc disse. Tomara que a troca dos amortecedores tenha resolvido o problema. Boa sorte!

      Responder
  14. tenho uma 2011 atual 11 mil km. média consumo 24/26kl andando feito gente. troquei bobina aos 9 mil e retificador aos 10.500 em garantia. do resto só sair e procurar estradas.
    cheguei a ver 160 no velocimetro o real não sei, ando a 7mil giros equivale a 105 por hora, acho que 98 real.a 8 mil giros ando a 120 e chega facil a 140 a 9mil giros.sugiro troca do banco para um melhor, regule quidão e freio traseiro a gosto. coloquei para brisa aos 9 mil km. e ainda estou vendo se vou gostar.

    Responder
  15. Senhores, a minha moto Mirage 250 2010/2010, zero, paga à vista. Problemas já na primeira revisão que até agora persiste. A moto engasga, o motor para (sistema elétrico continua funcionando). Já me deixou em sérios apuros na estrada. Não consegui ainda trocar por uma Honda ou Yamaha. Já passei por 5 pós venda autorizadas Kasinski.Nenhuma conseguiu resolver o problema. Já gastei um monte. As autorizadas incompetentes me detonaram a moto, toda arranhada. Contactei a empresa em São Paulo que foi negligente com o meu caso. Somos muitos reclamando dos mesmos problemas e nenhuma autorizada consegue resolver e a empresa nem aí. Pura insatisfação.

    Responder
    • Honda, só recomendaria pra vc a Shadow 600 que tem muita peça paralela no mercado mas ainda é menos problemática pra achar… Yamaha e Suzuki, só novas… meu cunhado comprou uma Suzuki Savage 650cc ano 2001 pagou 8.500 dilmas e só conseguiu fazer uma viagem com a a galera do motoclube, a moto deu um problema na bomba de combustivel e ele tah esperando ateh hj a Suzuki entregar (85 dias)… outro amigo tem uma virago 535 passou em um quebra-mola e ela rachou o bloco do motor… o óleo vazou e empenou as valvulas e ferrou mais umas peças do motor… pergunta se ele consegui essas peças… kkkk coitado teve que mandar buscar na inglaterra pelo e-bay e ainda pagou 3800 dilmas pois rolou um imposto… entaum amigo, moto que naum dá problema eh aquela que ainda naum foi vendida… e dependendo do uso do piloto/cupim é pior ainda…

      Responder
    • Essa questão de o motor parar e eletrica conatinua, parece ser caracteristico do retificador, diga-se de passagem este é um problema comum na miragem 250; mas posso te afirmar que ao resoslver este problema, tu vai ver que se trata de uma boa moto, infelizmente esses mecanicos da sua cidade são uma bosta.

      Responder
  16. Estou pesquisando para comprar um Mirage 250cc. Será que é possível fazer uma viagem de 2.000km numa máquina dessas?

    Responder
    • Jota, acredito que sim peloS seguinteS motivoS

      1- Conheço 3 pessoas que tiveram kasinski e viajavam todo fim de semana uma media de 400 km por viagem.

      2- Tenho uma HUNTER 90 e ja fiz viagem de 500km e poderia ir mais…

      Tudo vai do jeito que vc pilota a moto.
      Se você exigir o máximo da moto não vai rodar nem 300 km
      Agora se vc for com cuidado, sem forçar o motor pilotando numa boa, parando de 300 em 300km e trocando o óleo uns 500km antes de chegar na kilometragem de troca VOCÊ VAI ATÉ O FIM DO MUNDO.

      É só cuidar.

      Minha hunter 90 ta com 5000km e nunca tive problema pq sempre tomei cuidados. Pretendo vender pra comprar uma kasinski 250 cc pelo motivo da hunter 90 não ser possivel pegar rodovias. Todas as viagens que eu fiz foi por dentro pegando somente estradas até 80km/h

      Responder
    • Comprei uma Mirage 250, zero Km e de março deste ano até agora já rodei 5.000 Km só passando na oficina para trocar óleo & filtro e lubrificar a corrente, conforme recomendações do fabricante. Fiz algumas viagens noturnas onde mantive ligados por longos períodos os faróis auxiliares e, contrariando as previsões de vários “entendidos”, a bateria ainda é a original e não apresentou nenhum tipo de problema. Moro em região de frio intenso no inverno e não tenho problema de ignição no frio. Recomendo apenas que seja seguida à risca a recomendação de não rodar em altos giros até a primeira revisão e não manter rotações muito constantes nesse período, para evitar o vitrificação e permitir o correto assentamento das peças. Até agora: BELEZA!!!

      Responder
  17. Depois de tudo o que li nesta coluna, deixo a minha decisão de comprar uma Mirage 250cc nas mãos dos senhores. E então, já decidiram? Compro ou não compro a minha primeira Custom da Kasinski?

    Responder
  18. Bem, depois de tudo que li aqui + o teste acho que vou pensar em outra moto

    Responder
  19. comprei uma muito bonita confortavel mas ja me troxe muitos problemas esta com 4500 km,3 vezes na manutençao porque nao carregava bateria,e agora no frio e muito dificil de pegar e demora para esquentar ja me deixou na mao por nao pegar tenho que deixar na manutençao de novo

    Responder
  20. A informação sobre altura do assento não está equivocada? 83 cm é muito alta pra uma moto que parece ser quase no chão. Ratifiquem ou retifiquem, por favor.

    Responder
    • Acho que a informação está errada mesmo, Pedro. Mandei aumentar em 5 cm a camada de esponja do banco da minha Mirage 250 e o assento do piloto agora está a 82cm do chão.

      Responder
  21. 87, quer dizer…

    Responder
  22. O pisca alerta das Mirage 250 e 650 só funciona com a chave na ignição e o farol ligado, o que ocasiona consumo desnecessário da carga da bateria. A concessionária alegou que era necessária a substituição do relé do pisca, de três contatos por outro de quatro, para que o problema fosse resolvido. Todavia, desligando o fio positivo do relé e ligando um fio direto no positivo da bateria se obtém o mesmo resultado, com 20 cm de fio, 2 terminais e custo quase zero. O inconveniente dessa solução é que, mesmo que a chave não esteja na ignição, as setas de direção também passam a funcionar, se forem acionadas, mas isso é melhor que nada.

    Responder
  23. ola mirageiros adiquiri uma mirage em outubro 2011 so tive 1 problema com retificador solucionado com 6000 rodados estou muito felis com essa aquisiçao ,1 iten que me chama atençao nao sei se por ser c ingeçao nao concegui mas q 145 km hr e nao e minha primeira mt e gosto de estrada .

    Responder
    • Tenho uma miragem 250 , a um ano ao 4000 km queimou o retificador, fiquei chateado só no momento gastei R$ 220,00 e pronto. Minha felicidade é curtir minha miragem.
      A dica para o retificador é: Ao instalar, não o prenda de forma a ficar colado no chassis pois o calor deste, é transmitido para o retificador ocasionando a queima do mesmo.

      Responder
  24. A minha é 2010 modelo 2011, infelizmente bonitinha mais ordinária, vou vender assim que possível, não confio mais, fiquei na rua umas 5 vezes, já troquei o retificador, a moto queima fusível e não liga mais, ninguém acha o defeito. Infelizmente ficamos iludidos com a possibilidade de ter uma moto bacana com pouca grana, mas é ilusão, e torcer para a Honda Yamaha e Suzuki, fazer custons bonitas de 250cc como fazem La fora, enquanto isto e cb 300 fazer etc.

    Responder
  25. Tive várias outras motos que ficaram, como a Mirage 250, no meio da linha de fogo entre “te amo” e “te odeio”, e todas elas em minha mão, que modesta parte é bem cuidadosa, duram muito com baixo custo. A 2010 e 2011 vieram com problema elétrico, e isso é fato, que aparentemente foi solucionado nas mais novas (Embora com indesculpável relaxo das assistências). Do mais, não dá para esperar mais de uma 250cc. Parabéns aos Best Riders, fantástica avaliação, e obrigado pelos irmãos motociclistas que fizeram notas com sabedoria, experiência e bom censo. Quanto a mim, estou decidido. Vou pedir a minha Mirage 250. Nos encontramos por aí, boa estrada a todos.

    Responder
  26. Caramba!!! há alguns meses que venho “paquerando” a Mirage 250, e entre o “compro ou não compro” acho que a 2a.opção certamente me livrará de uma série de problemas. Depois de ler muitos e muitos comentários sobre a Mirage 250, concessionárias, pós venda, etc…cheguei ‘a conclusão que esta moto é uma verdadeira BOMBA!

    Responder
  27. Bom dia Amigos….
    Tenho uma mirage 250, ano 2008, e já estou com ela 2 anos, faço viagens longas frequentemente e nada a reclamar.
    Moro em Campinas SP, e já fui a Tres Lagoas MS numa viagem de 650 km e nao tive problemas algum…do tempo que estou com ela, só fiz troca de pneu traseiro e precisei trocar tambem as escovas do automatico de partida por desgastes mesmo, que nao passa de uma manutençao normal…
    Deixo aqui a minha dica de que vale a pena sim adquirir uma Mirage 250…
    Abraços

    Responder
  28. Gostei da pesquisa,agora já posso adquirir minha mirage, abrigado a todos os que comentaram, espero está fazendo um grande negocio para nossa alegria

    Responder
    • Compramos uma ontem,pro meu filho,eu com 25 anos de motociclismo foi essa que eu escolhi para ele que está iniciando no motociclismo!!!
      Ruben: Trike azul, Duas Rodas Motogrupo!!!

      Responder
  29. Para quem estiver interessado ao adquirir uma Mirage 250 EFI tome cuidado,
    comprei a minha em 2011 ja tive vários problemas elétrico luz EFI acendendo
    Retificador queimou aos 3.000km, rele do pisca queimou problema com vazamento de combustível pela bomba.
    Como estava dentro da garantia todos os problemas foram sanados Pela concessionaria.
    Quanto a Moto ela tem um estilo que imprecisona por onde passa e muito boa de potencia mas infelizmente tem muitos problemas elétricos, tomara que a Kasinski consiga resolver logo tudo isso.

    Responder
  30. Comprei uma não tive problemas até agora, mas o comsumo da minha da 20 km/l na cidade e 26 na estrada, em uma viagem de 350 km ela chegou a fazer 32 com minha namorada na garupa e estava com gasolina comum até me surprendi com o desempenho!

    Responder
  31. Pessoal deem uma olhada caso tenha interesse :

    Responder
  32. Tudo sobre Mirage 250, http://www.motoscustom.com.br/forum/viewforum.php?f=40

    Responder
  33. Comprei uma Mirage 250cc zero km ano 2012/2012, levei para a revisão de 3 meses, funcionando tudo, ao retirar da concessionaria, rodei 14 km e a moto apagou, liguei para a assistencia e fui orientado a trocar o fusivel principal, pois este “queima com facilidade” troquei e rodei pouco mais de 1 km, ressumindo, cheguei em casa sobre a plataforma de um guincho, a minha vida foi colocada em risco pois eu estava em um rodovia, não aceito que me falem que é normal isto acontecer, mandei comprar 10 fusiveis 30 amp mas é colocar e queimar, nem precisa tentar ligar a moto, isto precisa ser resolvido, são vidas, questão de segurança é prioridade.

    Responder
  34. TENHO VONTADE DE TER UMA KASINSK 250, MAS VEJO MUITAS PESSOAS RECLAMANDO VOU PENSAR MAS ESTOU QUASE COMPRANDO UMA

    Responder
    • Estou pensando em vender a minha ano 2001 viajo sempre com ela e nunca me deu problema é uma estradeira perfeita,vou vender porque fui contemplado no consorcio da Boulevard.

      Responder
  35. Comprei uma Mirage 250 EFI , já fiz Ceres GO – Sao Paulo 1200 km em duas etapas e na volta Sao Paulo – Goiânia 1.000 km de uma única vez. A Miraginha é um monstro excelente na Estrada , pista dupla um passeio Estradeira verdade. Já tive motos maiores e nunca estive tão satisfeito com o retorno. Até chego a pensar que devia comprar uma maior, mas, basta subir nela para uma viagem que desisto da idéia. Ótima, Excelente, recomendo !! Voce vai descobrir a Mirage na estrada mantendo ótima velocidade.

    Responder
    • Horácio, estou querendo comprar uma justamente para ir uma vez por mês de São Paulo para Goiânia, e já que vc tem uma mirage e também faz esse trajeto, queria te perguntar: Quantos km ela faz por litro na estrada? E qual a velocidade média que dá pra se manter nela na rodovia e quantas paradas vc teve que fazer (tanto pra reabastecer e descansar).

      Obrigado!

      Responder
      • Tenho uma 2001 inteira linda adoro,faz comigo e garupa em torno de 23km/l,viajo sempre com ela nunca me deu problema.
        Estou pensando em vender para passar para boulevard,mas com muito remorço a bichinha é boa

        Responder
  36. Minha mirage é 2012-2012 e ja vem com a nova injeção delphi
    Era para eu ter comprado minha mirage em 2010, mas após pesquisar muito, vi vários relatos de problemas que comprometiam a
    segurança que me fizeram adiar a compra.

    Em 2012 fiquei sabendo que a kasinski estava lançando suas motos com uma nova injeção eletronica nacional e havia
    melhorado o retificador e estator, não pensei 2 vezes, fui até a concessionária e peguei a minha

    Com 718km devido a um erro da concessionaria que colocou uma bobina do lado errado, a mesma por falta de refrigeração,
    torrou e fiquei na mão tendo que voltar de guincho, foi o único problema que me deu até o momento.

    Minha moto está com 1300km e estou muito satisfeito, vou começar a pegar estradas este mês e espero não ter os problemas
    que a turma que adquiriu a mirage efi entre 2009 e 2011 tiveram

    Responder
  37. Tenho uma mirage 250 2010/2010 comprada em setembro/2010, hoje ela está com 31 MIL km, uso diariamente e viagens de fim de semana. O único problema que tive foi com retificador que tive que trocar com 10 MIL km. Comprei o paralelo da honda falcon e não deu mais problema. O pessoal costuma dizer que a 2010 dá muito problema com a injeção eletrônica, a minha nunca acendeu luz EFI por problemas… acho que ela nem tem!! KKKKK… Ótima motocicleta pelo preço que é pago.

    Responder
  38. Tenho uma mirage 250 2010 e já fui varias vezes para MG. cada ida e vinda são 2.000km. vou sempre com minha mulhe na garupar e não aliso a bichinha não,vou no cassete e nunca deu pau. peguei ela com 3.000km, já esta com 15.000km.moto raçuda.

    Responder
  39. Tenho uma 2011 .. no começo deu problema no retificador , coloquei o novo agora ta uma maquina . ja peguei 160/h 25/L

    Responder
  40. tenho uma mirage 2010 preta, e já rodei mais de 24000 km, sendo que fiz um pequeno passeio de 12750km pelos paises da america, passando pelas cordilheiras a mais de 5000 metros de altitude, pelo atacama e a moto estava carregada e com garupa, teste de responsa. a moto foi excelente, nem um defeito, nada, moto muito boa para quem gosta de viagens longas, muito forte.

    Responder

Comentário Best Riders


× sete = 35