Honda VFR1200X Crosstourer: Grande, Potente e… Automática!

7
3077

Você chega, monta (dependendo da estatura, quase escala), liga, acelera e ela anda… Do que estou falando? Não, claro que você leu o título do artigo e sabe que não é um Scooter, porém para qualquer desavisado, esta cena seria típica de uma scooter com tecnologia CVT. Mas se trata de uma moto da Honda automática, com todas as marchas (6), você pode até escutar a moto trocando quando acelera ou diminui de velocidade.

Honda VFR1200X Crosstourer

Fotos: Roberto Severo

Honda VFR1200X Crosstourer – Grande, Potente e… Automática!

Vou ser sincero, é fascinante e surpreendente como Honda VFR1200X Crosstourer se virá bem sem a ajuda do câmbio manual. Logo de cara olhando a moto de perto, você já se sente incomodado com alguma coisa que está faltando, ou melhor, duas. A alavanca de câmbio do pé esquerdo e o manete da embreagem. Sabe aquela sensação de montar na moto e fica pensando “e agora…”. Bem, e agora? Vire a chave e ligue a moto! Pressione o botão Drive e acelere. Pronto. Como já deu para perceber, vou começar pelo câmbio que é a característica diferente da grande Honda VFR1200X Crosstourer.

Honda VFR1200X Crosstourer

Quer esticar mais as marchas? Mude da posição D de Drive para S de Sport. E sempre é possível reduzir ou aliviar a rotação do motor ajustando a melhor marcha para as circunstâncias através das borboletas alcançáveis pelos indicadores das duas mãos. Se preferir deixe no modo manual e mude as marchas somente puxando as borboletas. Confesso que nunca deixe nesta última posição. Viajei para Maresias, litoral norte paulista e na estrada, serra ou mesmo estrada de terra, a moto se comportou exemplarmente.

Exibir mapa ampliado

Terreno irregular, areia, terra? Não tem problema, desligue o controle de tração, coloque no modo manual e dá-lhe mão direita!

Tanto na subida, quando a Honda VFR1200X Crosstourer “estica” as marchas para enfrentar a inclinação da serra, quanto na descida, a moto usa exemplarmente o freio motor, quase lendo o pensamento do piloto. Os freios ABS também responderam de forma esperada nos diversos terrenos que rodei.

Tempo de aprendizado para pilotar esta maravilha tecnológica? Um quarteirão… O problema é que acostuma mal (ou bem…) o piloto. Inclusive há quem queira saber como parar em uma subida sem colocar a marcha engatada… Para isso a moto vem equipada com freio de mão posicionado ao alcance da mão esquerda.

Honda VFR1200X Crosstourer

O motor 1200 cc responde ao menor triscar do acelerador e salta para fazer ultrapassagens na estrada ou em pequenas distâncias, a retomada dela é progressiva mas constante em marchas longas e sua vibração é mínima. O motor é basicamente o mesmo do modelo “F”, só que amansado. Quatro cilindros em “V”  condicionam os potentes 1.236 cc de capacidade.

A potência foi de 172,7 cv a 10.000 rpm para 129,2 cv a 7.750 rpm e o torque, de 13,2 kgfm a 8.750 rpm para 12,8 kgfm a 6.500 rpm. Conclusão, há sobra de potência neste quesito. A grandona japonesa tem ciclística que não deixa nada a dever para as concorrentes mais próximas como a Tiger Explorer da Triumph, ou a BMW GS. O piloto fica em uma postura adequada e ergonômica para enfrentar horas de viagem sem parar, graças ao tanque de 21,5 litros,fazendo 17 km/l em média, medido em cidade/estrada em ritmo constante, sem forçar o motorzão.

Os instrumentos são simples e não há nada de inovador. O design arrojado deixa ela com uma cara de NC700 turbinada.

A Cross se mostra ágil na cidade e mal parece ser pesada (261 kg seca). O guidão é largo esterça bastante passando bem por cima da maioria dos espelhos de carros, bem amparado por protetores de mãos. O tanque, enorme, obriga o condutor a ficar com as pernas bem abertas. Nos trechos muito esburacados, o piloto é um pouco “jogado” para frente, o que faz com que os “países baixos” acertem o tanque eventualmente, o que pode não ser muito agradável. O ajuste do para-brisas poderia ser feito por algum controle automático ou manual e não através da utilização de chave específica, porém protege bem o piloto ajudando na aerodinâmica.

Honda VFR1200X Crosstourer

O preço, é salgado: R$ 79.900,00 sugerido. O que a torna um produto para poucos, quase um item de ostentação. As cores até agora são a branca perolizada e a vermelha metálica

Keep riding!

7 COMENTÁRIOS

  1. comprei uma zero km e a principio realmente me preocupei,mas assim que fiz minha primeira viagem , amei!!! Vendi ela com muita dor rsrsrs e agora soube que não vão produzir mais ,ai fiquei triste pois a moto é muito boa,dispensa qualquer comentarios negativo. obs..minha opinião como usuaria

  2. Fui conferir de perto no concessionário Honda. Pena não ter test drive como o que fiz com a Triumph Tiger, com a Super Tennere 1200 e Bmw 1200. A moto é super bem acabada, tem um mono braço com design e acabamento Honda, não preciso falar mais nada. O preço esta fora da realidade, serão vendidas daqui a 2 anos (os modelitos 2012) com grandes descontos como aconteceu com a Varadero 1000. Aí quem pagou o preço de tabela vai se sentir #@$%#, como meus amigos de Varadero. Nessa briga a Tiger me ganhou, preço e divertimento.

  3. Achei muito bonita a moto, mas o preço salgado demais pelos impostos brasileiros, estava querendo pegar a nc700s que não veio para o Brasil, só veio a versão nc700x e mesmo assim tbm não veio na versão automática q seria bem melhor, cansado já ter q ficar trocando de marcha, rsrs, abraços e parabéns pelo blog.

  4. Grande Roberto!
    Está ai uma moto que não me chama nenhum pouco a atenção, de forma alguma, nem para viagem ou quaisquer seja a ocasião.
    Com esse dinheiro todo compro uma Harley por um pouco mais da metade e deixo mais confortável que um carro! hahah
    Moto viagem neste estilo é BMW, sem mais.
    Valeu Roberto.

    • Obrigado pelo comenetário Michel!

      Realmente é uma moto deutilização muito específica. Vale a pena conhecer…

      Abraço,

      Roberto Severo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


− 6 = dois