Honda Falcon: confira dicas para comprar essa moto usada

Notícias

Confortável e robusta são características dessa trail que é bem aceita no mercado de usadas. Mas, atenção, alguns defeitos exigem cuidado na hora da compra

FALCON 10 2018 Honda Falcon: confira dicas para comprar essa moto usada

É importante verificar se existe vazamento nas bengalas da suspensão dianteira

 

TEXTO: Cicero Lima / Agência INFOMOTO
FOTOS: Agência INFOMOTO

Honda Falcon: confira dicas para comprar essa moto

A Honda NX 400 Falcon sempre esteve na boca dos motociclistas. Seja para elogiar seu conforto, torque ou robustez ou para reclamar da baixa potência, design comportado ou peso elevado. Considerada “mosca branca” nas lojas de usadas, a Falcon tem boa liquidez. Atualmente é possível comprar um exemplar com valores entre R$ 7.500 e 16.500. Saiba o que deve ser verificado antes de comprar uma Falcon usada.

Lançada em 1999, a NX 400 Falcon tinha a missão de substituir a consagrada Honda NX 350 Sahara. Porém, seu motor de apenas 30,6 cv foi alvo de críticas por ser menos potente e mais pesada que sua antecessora. Ou seja, a Falcon já nasceu recebendo críticas, inclusive da imprensa especializada.

Ainda assim, em 17 anos de produção – exceto entre 2009 e 2011 quando foram apenas exportadas – saíram da fábrica da Honda, em Manaus (AM), pouco mais de 143 mil unidades.

Em 2012, o modelo voltou com o nome de NX 400i Falcon com injeção eletrônica para atender às novas regras de emissão de poluentes. Ela ganhou ainda painel digital, novas aletas laterais e a carenagem do farol ganhou linhas mais angulosas. Toda a parte traseira também foi redesenhada. Com isso a Falcon ficou mais prática e econômica. O consumo passou de 23 para 28 km/litro e a autonomia subiu para 400 km, graças ao tanque de 15,3 litros.

FALCON 14 2018 Honda Falcon: confira dicas para comprar essa moto usada

O consumo médio, da versão 2008 (carburada), era de 23 km/litro. Foto: Renato Durães

FALCON 17 2018 Honda Falcon: confira dicas para comprar essa moto usada

A versão 2012 da Falcon gasta menos e consome, em média, 28 km/litro. Doni Castilho e Mario Villaescusa

Características

A Falcon usa rodas raiadas – 18’’ na traseira e 21’’ na dianteira – calçadas com pneus on-off que permitem incursões em quase todo tipo de estrada. O banco largo permite longas horas de pilotagem com relativo conforto. Até atingir 120 km/h o funcionamento é “liso”, mas acima disso o piloto passa a sentir a vibração transmitida pelo motor de um cilindro, 397,2 cm³, quatro válvulas e refrigeração a ar.

FALCON 13 2018 Honda Falcon: confira dicas para comprar essa moto usada

A Falcon sempre agradou pela versatilidade na cidade e na estrada. Foto: Renato Durães

FALCON 18 2018 Honda Falcon: confira dicas para comprar essa moto usada

Postura ereta e o banco largo (e confortável) são características das duas gerações da Falcon. Foto: Doni Castilho e Mario Villaescusa/Agência

Um dos problemas é o calor excessivo gerado pelo motor, isso exige verificação diária do nível de óleo. Como a Falcon usa cárter seco, o lubrificante fica separado do motor, recomenda-se maior cuidado ao conferir o nível. Para fazer a verificação é necessário ligar o motor em marcha lenta entre 3 e 5 minutos. Depois, com a moto na vertical, faça a verificação pela vareta lateral (ao lado do tanque de combustível). Limpe a vareta e introduza no bocal, mas não rosqueie.

FALCON 15 2018 Honda Falcon: confira dicas para comprar essa moto usada

Confortável para as viagens a Falcon exige atenção com o nível do óleo

O que prestar atenção

Outro problema comum está ligado ao regulador de voltagem que pode apresentar defeitos e deixar de carregar a bateria. “O ideal é avaliar seu funcionamento com o motor a 5.000 giros o regulador/retificador deve dar saída entre 12,4 e 15,5 volts”, ensina o mecânico Olavo Dias Júnior, da concessionária SRT (Osasco, SP). Caso o regulador apresente defeito é necessário trocar o componente que pode gerar um custo de até R$ 800 – dependendo da marca do componente.

“Fique atento a vazamentos na suspensão e ‘calos’ no guidão que são sinais de sérios problemas”, alerta o mecânico. Outro problema é a folga na balança traseira que não pode apresentar folgas ou movimentos laterais.
Como a maioria das motos, a Falcon não tolera desleixo na manutenção. Portanto, antes de assinar o cheque, é necessário saber se o dono anterior era cuidadoso com a moto ou apenas “abusava” da sua robustez. Comprar apenas pela empolgação ou beleza da moto pode causar uma grande dor de cabeça.

FALCON 16 2018 Honda Falcon: confira dicas para comprar essa moto usada

A suspensão exige cuidado em curvas rápidas por ser mole demais

Preços das peças de reposição

Veja os valores cobrados por alguns componentes originais que têm substituição frequente por desgaste ou em caso de queda da moto.
- Manete de freio R$ 30
- Manete de embreagem R$ 30
- Filtro de ar R$ 267
- Filtro de óleo R$ 25
- Pastilha freio dianteira R$ 92
- Pastilha de freio traseira R$ 100
- Disco de freio dianteiro R$ 430
- Disco de freio traseiro R$ 330
- Relação completa – R$ 236
- Cabo do acelerador (completo) – R$ 140

1 comment

  1. Deu para notar que quem fez a matéria não entende nada de Honda NX 400 Falcon:
    1) Consumo da Falcon carburada, não passa de 20km/l.
    2) Roda traseira da Falcon´e17 polegadas, 18 é a XRE 300.

    Responder

Comentário Best Riders


+ seis = 15