Honda Biz: veja o que mudou em 20 anos

0
461

CUB é terceira moto mais vendida do País: mais de 3 milhões de unidades emplacadas em duas décadas

BIZ_125_2018_2017
Biz 2018 traz visual renovado e freios combinados em ambas as versões

TEXTO: Aldo Tizzani / Agência INFOMOTO
FOTOS: INFOMOTO e Divulgação

Honda Biz: veja o que mudou em 20 anos

Barata, fácil de pilotar, ágil e de mecânica simples. Assim nasceu no Japão, em 1958, a Honda Super Cub. O modelo inovava ao usar o primeiro motor quatro tempos de 50 cm³, câmbio com embreagem automática e rodas de 17 polegadas. No Brasil, a saga CUB (Cheap Urban Bike, que significa moto urbana de baixo custo) começou apenas em 1992 com a C-100 Dream. Em 1994, nascia o conceito da Honda C 100 Biz que, em 1995, tornou-se um protótipo. Após diversos testes e muito trabalho de pesquisa e desenvolvimento, no final de 1997, a Honda lançou oficialmente a Biz, já como modelo 1998.

Desenvolvida exclusivamente para nosso mercado, o projeto foi idealizado pela Honda Brasil e contou com apoio da matriz japonesa. O modelo já nasceu revolucionário: único da categoria a oferecer espaço sob o assento para guardar o capacete, mas sem perder a agilidade e baixo consumo de combustível. Ou seja, uma evolução da Honda C-100 Dream, da qual herdou o motor e o câmbio semi-automático. Sistema de transmissão utilizado até hoje.

Em 20 anos, a Biz vendeu mais de 3 milhões de unidades. Os mercados consumidores da CUB da Honda estão divididos da seguinte forma: Nordeste (30%), Sudeste (23%), Centro-Oeste (18%), Norte (18%) e a região Sul, com 11% do total dos emplacamentos. Hoje é a terceira moto mais licenciada do País, perdendo apenas para a linha CG e Bros. Em 2017 serão mais 100 mil novas unidades circulando pelas ruas de Norte a Sul do Brasil. Confira como a Biz evoluiu em duas décadas de história:

1998 – Primeira Biz: A adoção da roda de 14 polegadas na traseira permitiu que a C 100 Biz tivesse um porta-objetos debaixo do banco para guardar um capacete ou outros pequenos objetos – algo que não existia nas CUBs japonesas. Montada sobre um chassi em aço tubular, a C 100 Biz trouxe um design inovador com cores joviais. Seus principais argumentos de vendas eram a facilidade de pilotagem e a economia de combustível.

BIZ_C100_1998_2017
Honda C 100 Biz, de 1998, foi o primeiro modelo da saga

2001 – Biz mais “chique”: a Honda apresenta uma versão mais sofisticada da CUB com rodas de liga-leve de três pontas e partida elétrica, mas o mesmo motor de 100cc: a Biz+.

2005 – A Biz cresce: Após sete anos, a Honda lança uma nova Biz com motor de 124,9 cc, mas ainda carburado. A potência da Biz 125 pulou para 9,1 cv (a 9.000 rpm). O design ficou mais moderno com linhas facetadas e os piscas foram incorporados ao escudo frontal – na primeira versão, os piscas ficavam ao lado do farol.

2006 – Biz+ 125: Chega ao mercado a nova Biz+, agora com motor de 125 cm³ de capacidade. A versão topo de linha também trazia freio a disco na dianteira.

BIZ_125_2006_20178
Biz 125, de 2006, usava motor de 124,9 cc
BIZ_Mais_125_2006_2017
Biz+ 125, de 2006, trazia motor de 125cc, rodas de liga e freio a disco na dianteira

2008 – Biz injetada: a Honda adota a injeção eletrônica na Biz 125 para atender ao Promot III. Foi a primeira moto de baixa cilindrada a receber injeção. A Biz 125 manteve o design lançado em 2005, mas ganhou melhorias. O banco ficou mais confortável e o escudo frontal, ligeiramente mais largo. O pedal do câmbio rotativo mudou para facilitar as reduções de marcha com o calcanhar, um pedido do público feminino. À época, de acordo com a Honda, 66% dos compradores da Biz eram mulheres.

BIZ_INJETADA_2008_2017
Biz 125, de 2008, a primeira moto de baixa cilindrada dotada de injeção eletrônica

2011 – Biz bicombustível: Renovada visualmente, a Biz 125 teve os piscas traseiros “descolados” da lanterna e os dianteiros aumentaram de tamanho. Mas a principal novidade era o motor flex (alimentado por injeção eletrônica) que permitia o uso de etanol, gasolina ou a mistura dos dois combustíveis. A capacidade do tanque aumentou de 4,0 para 5,5 litros. A CUB estava disponível nas versões KS (freio a tambor e partida a pedal) e ES (com partida elétrica).

BIZ_FLEX_2011_2017
Biz 125, de 2011, ganha motor flex (alimentado por injeção eletrônica)

2011 – Biz EX: No mesmo ano, também chega ao mercado a Biz 125 EX com rodas de liga-leve, partida elétrica e freio a disco na dianteira para substituir a Biz+.

BIZ_125EX_2011_2017
Biz 125 EX, de 2011, conta com rodas de liga-leve, partida elétrica e freio a disco na dianteira

2012 – Biz 100: A Honda voltou às origens e lançou uma versão mais barata e de menor capacidade: a Biz 100. O modelo tinha rodas raiadas, freios a tambor e motor de 97,1 cc com a potência máxima de 6,43 cv, ainda alimentado por carburador.

59BIZ_100_2012_2017
Biz 100, de 2012, tinha rodas raiadas, freios a tambor e motor de 97,1 cc

2016 – Biz 110 injetada: A Honda adota um novo motor de 110cc na versão de entrada da Biz. Além da maior capacidade, outra novidade na Biz 110i foi a adoção da injeção eletrônica de combustível.

BIZ_110i_2016_2017
Biz 110i, de 2016, adota um novo motor de 110cc injetado na versão de entrada

2018 – Biz scooter: Com “jeitão” de scooter, a nova Biz ganhou linhas mais retas, em função dos novos desenhos do conjunto óptico frontal, laterais e rabeta, que traz nova lanterna. Além disso, o escudo frontal está maior. A Biz 2018 conta com novas opções de cores de assento e partes plásticas, além de partida elétrica em ambas as versões. A versão Biz 125 ganhou painel digital, tomada 12 V, rodas de liga e freios combinados, que também está presenta na Biz 110i, equipada com freio a tambor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


− oito = 1