Filosofia de vida

11
1683

Alô Pessoal! Meu nome é Fausto Malheiros e a partir de agora venho, através desta coluna, trazer para vocês algumas informações e dicas de viagens. Mais especificamente de viagens pela America do Sul, das quais eu já realizei: Machu Picchu em 2003, Isla Margaritha na Venezuela em 2006, para o Deserto do Atacama e Salar do Uyuni em 2008, Ushuaia e El Calafate em 2009 e Machu Picchu via Trans-Pacifico em 2010. São 48 mil kilometros bem rodados que a partir de agora compartilharei com vocês minhas experiências de estradas.

Nesse artigo inaugural falarei um pouco de como iniciar um planejamento de viagem de moto. Na organização de uma viagem de média ou longa quilometragem, principalmente se for pra outros países, é necessário um bom planejamento para que o prazer da viagem não se torne um inferno e que você fique mais é torcendo para chegar em casa logo.

Comece pelo começo:

Quantos dias eu tenho? A sua viagem tem que se encaixar nos seus dias disponíveis;

Para onde vou? Com a quantidade de dias disponíveis para suas férias, inicie o roteiro. Primeiro busque os pontos turísticos que deseja visitar e trace a rota para chegar até eles.

Padrão econômico da minha viagem? Com a quantidade de dias disponíveis já definidos e o roteiro já traçado, você já tem disponível a quantidade de diárias de hotéis e de refeições que serão necessárias. Dessa forma, elabore o custo de sua viagem. Veja o valor que você tem disponível pra gastar e sempre conte com os imprevistos. Disponibilize mais 20% de reserva para eles. Aqui você deve definir quantas estrelas vai ter seu hotel ou se não vai ter nenhuma e o nível dos locais onde realizará suas refeições. Recorrer a hotéis e restaurantes de padrão mais elevado durante a viagem, pode trazer surpresas desagradáveis quando chegar a fatura dos cartões de crédito. Procure seguir sua programação à risca.

Pontos Turísticos: Pesquise todos os pontos turísticos possíveis que estão na sua rota e visite todos se possível, afinal não sabemos se passaremos por aquelas estradas outras vezes. Eu tenho um amigo que passou por San Pedro do Atacama no Chile — destino obrigatório para os motociclistas que gostam de estrada — sem saber que lá era San Pedro do Atacama, chegou às 22h e seguiu viagem no outro dia de madrugada.

Documentação necessária: Atenção para esse quesito, pois ele pode detonar sua viagem. Na viagem que fiz pra Venezuela, meu companheiro de viagem não pode entrar no país pois sua documentação estava irregular, tive que seguir sozinho. É necessário que a moto esteja em nome o piloto, e caso esteja financiada ou consorciada, é necessário a autorização da financiadora da moto. Se estiver em nome de terceiros você tem de levar uma autorização do mesmo para que a moto possa sair do Brasil. E é bom especificar por quais países você passará. Na maioria dos países da America do Sul não mais precisa de Passaporte, basta o RG, em outros ainda é necessário. Na dúvida, leve-o.

“Cositas más”: Viaje sempre bem equipado. Esse negócio de mochilinha amarrada com elástico no banco de trás não cabe nesse tipo de viagem. A oferta de acessórios para motos hoje em dia é muito grande e o preços já estão bem acessíveis. Roupas 100% impermeáveis são necessárias, com luvas e botas de boa qualidade. Esse conjunto é imprescindível. Lembre-se que um ralado na pele pode impossibilitar que continue sua viagem. Um simples baú de 45 litros ou alforjes, já traz muito conforto pra sua viagem, lembre-se que estamos falando de viagens de médias e longas quilometragens. Reparos de pneus em spray, emendas de correntes e alguns fusíveis são reparos que você mesmo pode fazer e que eventualmente deixam muita gente na estrada. Algumas motos têm chave de roda específica e o borracheiro que não tiver essa chave, na hora do reparo, vai detonar sua roda. Acredite!!!!

Nos próximos artigos vou entrar mais afundo nos detalhes de cada país e dar dicas de pontos turísticos imperdíveis na America do Sul.

Abração,

Fausto

11 COMENTÁRIOS

  1. Caro amigo, eu me aposentei e tive várias motos de diversas cilindradas. Hoje tenho uma Ybr que comprei neste ano 2011. Ela é ano 2009 mas está com apenas 86 km, ou seja zerada. To louco para fazer uma viagem dos meus sonhos, moro em Goiânia mas tenho muitos parentes em Bagé RS de onde sou natural. tô com 48 anos, será que dá para meter as caras. Um grande abraço.

    • Oi Elsonir!

      Com certeza sua YBR vai te trazer muitas alegrias, basta respeitar o limite da moto e dentro disso planejar sua viagem. Com essa moto vc vai planejar viagens mais curtas ou viagens longas sem pressa, mas com certeza chegará no seu destino, mas tudo a seu tempo. Não fica pensando muito não. Arrume seus alforges e Boa Viagem!!

  2. Fausto Malheiro

    Tenho 59 anos de idade, não sou motociclista mas ainda tenho sonho sê-lo. Estou lendo tudo o que posso, dentro do tempo disponível, sobre motos e viagens com moto.
    Graças a você, nesse seu primeiro artigo, (novo projeto de trabalho) vejoque terei um guia seguro sobre o assunto viagem, com moto.
    Irei continuar aprendendo com o mestre.
    Sobre o aprendizado na pilotagem, após a carteira de habilitação, poderei aprender algo mais produtivo com os pilotos que também escreverão na revista online, seus amigos e correligionários.
    A todos, sucesso e obrigado
    Paulo Gondim

  3. Fausto,

    Lembro da nossa primeira viagem fora do Brasil (Peru e Bolivia em 2004),
    passamos por vários momentos que marcaram até hoje nossas lembranças.
    Depois vi você acumular quilometros e quilometros de estrada, tornando-se um
    viajante experiente e uma referência para seus colegas e amigos.
    Sua “filosofia de vida” é o sonho de vários amantes do motociclismo, que inventamos
    mil desculpas para não realizá-lo. Acredito que com esta coluna os nossos
    sonhos tão distantes irão-se tornar realidade, e um dia iremos pilotar nos mesmos
    caminhos que um dia você trilhou, e seremos mais uma vez irmãos de estrada!

  4. Grande Faustão!!!
    Parabéns por mais essa empreitada em sua vida.
    Como vc mesmo diz : “tem gente que nasce e morre, outros vivem”
    Curtir cada momento das nossas vidas esse é o lema!!!
    Vamos curtir mais esse momento, juntos….mande ai suas hitórias…forte abraço amigo!!!

  5. Valeu Fausto. Boas dicas podem significar o sucesso de toda uma empreitada. Sua vontade de compartilhar informações e experiências e a maneira sucinta e agradável como as expõe lhe tornam companheiro indispensável em grandes viagens. Parabéns.

  6. Grande Fausto! Sua coluna é fonte de informação e entusiasmo!!
    Cada dia mais motociclistas experimentam o prazer indescritível dessa aventura em duas rodas, e pessoas com a sua experiência são indispensáveis para tornar essa aventura ainda mais prazerosa!!! Parabéns!!!

  7. Olá Faustão,

    Embora já tenhamos conversado sobre essas suas viagens, é muito interessante ler e reler com mais atenção e anotar as suas dicas; que, com certeza, vão trazer muito mais segurança para quem pretende fazer esses roteiros.

    Parabéns pela “coluna do Fausto Malheiros”.

    abços

  8. Parabéns pelas suas palavras simples sem blablabla, Faustão.
    Sugiro uma detalhada sobre motos em altitude, pois troquei minha TDM 850 carburada por uma XT 660 que tem injeção eletrônica por causa do desencontro de informações desse tema: altitude.
    Dia 5, carnaval, saio pela Chapada dos Guimarães rumo ao Acre e Machu Picchu. Viagem de 25 dias. O planejamento está no nosso Blog dos MotoTuristas.

    • Vlw Amigo! Obrigado pela 1º comentário. Nos próximos artigos, as informações serão mais detalhadas, inclusive o procedimento para mehorar o desempenho das motos carburadas em elevadas altitudes. Bração

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


− seis = 2