Enfim, Yamaha XT 660Z Ténéré chega ao Brasil

27
515

A Yamaha Motor do Brasil reuniu a imprensa especializada nesta quarta-feira, no interior de São Paulo, para apresentar oficialmente a XT 660Z Ténéré, uma das atrações do estande da marca no Salão Duas Rodas. Infelizmente, algumas mentalidades retrógradas dentro da empresa ainda enxergam os sites especializados como a “segunda divisão” da imprensa e, assim, nós não fomos convidados. Mas não se preocupe, as informações chegam a você da mesma maneira.

Desde que a lendária Ténéré retornou ao mercado em 2008 ela é aguardada com ansiedade pelos fãs brasileiros — que não são poucos —, contudo, uma série de questões técnicas (a maioria relacionadas à adaptação de sua mecânica ao nosso combustível e normas de emissões) atrasou o lançamento. Você deve estar se perguntando: “Mas ela não utiliza o mesmo motor da XT 660R?” A resposta é sim, o motor é o mesmo, mas devido à proposta mais touring deste modelo, o escape, alguns ajustes eletrônicos e, consequentemente, as curvas de potência e torque são diferentes, o que acaba alterando sensivelmente ruído, desempenho e emissões.

Apesar dessas sutis diferenças no conhecido motor de 660 cm³, todas aquelas qualidades que nos acostumamos a encontrar na “R” estão mantidas, ou seja, trata-se de um monocilíndrico robusto, confiável e que oferece um excelente desempenho em qualquer terreno e faixa de utilização. A XT 660Z Ténéré é feita sob medida para quem sempre se identificou com a XT 660R, mas sempre lamentou a sua pouca aptidão para encarar longas viagens, especialmente no que se refere a conforto, equipamentos e comportamento em velocidades mais elevadas.

Neste modelo que chega, o tanque de combustível comporta 23 litros (são 15 l na “R”), o que garante uma autonomia bastante satisfatória. Como ele se estende por baixo do assento, além de ser pouco volumoso, ele também contribui para a centralização de massas. O pequeno para-brisa está longe de oferecer a proteção de uma legítima touring, mas é suficientemente eficiente para desviar o fluxo de ar do peito do piloto, proporcionando assim uma pilotagem menos cansativa. O assento mais ergonômico que o da veterana XT também proporciona um incremento importante em conforto (inclusive para o garupa). A posição de pilotagem continua excelente graças ao guidão largo e pedaleiras bem posicionadas.

A ciclística pouco muda, mas a adoção de uma para-lama dianteiro baixo e a suspensão com 15 mm menos de curso na dianteira traz uma estabilidade bastante superior na estrada com relação à 660 que já conhecemos. A Ténéré traz dois discos de freio na frente, contra um da irmã R.

Na Europa, a Ténéré 660 está disponíveis em versões com e sem ABS, e esperamos que ambas estejam disponíveis por aqui. Apesar de ser uma moto com aspirações off-road, o ABS não pode ser desligado.

A missão da XT 660Z Ténéré não vai ser fácil, principalmente depois da recente reformulação da BMW G 650 GS e do lançamento da nova líder da categoria, a Honda Transalp 700.
Ainda não temos uma confirmação oficial do preço, mas estimamos que deverá ficar ao redor de R$ 29 800 (sem ABS) e R$ 32 800 (com ABS). Será que a fama da XT e o peso do sobrenome Ténéré serão suficientes para justificar o atraso e recuperar o tempo perdido?

27 COMENTÁRIOS

  1. Só mais um comentário…
    Esse motorzinho monocilindrico da Yamaha já deu o que tinha que dar né?
    48CV…. pouquinho… Viajando pesado e com garupa, ela fica limitada…
    Abraços!

  2. Caro Gabriel,
    Concordo com você, sobre a mentalidade da idade da pedra de algumas empresas… Será que elas não sabem que alguns leitores sequer compram revistas especializadas? Um site como o Best Riders (conheci ontem), tem muito mais conteúdo e matérias interessantes que muita revista por aí.
    No mais, deixo meus Parabéns a todos vocês do Best Riders! Desde ontem, vocês tem um novo leitor!!! MOTOCICLISTA MUITO APAIXONADO POR MOTOS…
    A primeira palavra que meu filho falará, quando nascer, será MOTO, e não Mamãe ou Papai…. heheehh!!
    Grande abraço!

  3. Pena que demorou tanto, agora com todas as outras marcas já vendendo suas novidades no mercado, vai ser dificil emplacar a super, a menos que venha com um valor razoavel, o que parece que não vai acontecer. É mais uma lambaça que a Yamaha Brasil fez né.

  4. Seria muita neura minha pensar que a Yamaha tem um “bom acordo” com a Honda para se posicionar no Brasil assim quase de quatro? Ou realmente é possível ser um show para o mundo e mediocre para o Brasil.

  5. Chamar a XT660Z de touring é no mínimo muita pretenção, entendo que uma moto com as características da XT660Z, que utiliza pneus de uso misto, tem guidão largo, suspensões altas, está mais para uma “média” big trail.
    De toda forma é bom que o mercado tenha mais alternativas. Parabéns para a Yamaha.

    • Teneré é um classico. É o mesmo estilo das GS da BMW… Pau pra toda obra, mas realmente, não é uma Touring. Touring na minha concepção são as Electra Glide, GoldWing, Voyager…

  6. Vocês notaram uma coisa? Dizem que teve uma apresentação da moto na quarta-feira passada mais ninguem mostra uma foto da moto na apresentação, só fotos da Tenere lá de fora….Em 2009 todas as publicações davam como certo o lançamento da moto no salão duas rodas e deu o que deu…

    Outra: A apresentação, dizem, que foi numa cidade do interior de São Paulo; Qual?

    Terceira: Pro lançamento da Tenere 250 fizeram todo uma cena de marketing, com o programa panico na tv simulando uma espionagem na fabrica da Yamaha. Será mesmo que a Yamaha iria chegar e simplesmente anunciar que vai lançar a moto daqui a duas semanas oficialmente no salão duas rodas e pronto?

    Por fim, eu acho que a Bestriders lançou esse anuncio no sítio deles e os outros somente copiaram para não dizer que também não fizeram o furo de reportagem (o galo cantou e os outros cantaram junto…)

    Por isso eu digo: Só acredito vendo a moto no stand da Yamaha no salão….

  7. veio tarde, muito tarde.
    Já esta sendo anunciada desde 2008!
    ou seja, chega velha!
    quem comprar vai comprar um modelo que deve sair de linha na europa ano que vem!
    vai jogar dinheiro fora.
    Para piorar, a Yamalenta perdeu mercado at? para BMW.
    Se sair por mais de 29mil vai ficar na rabeira da cadeia alimentar.

    • Poucos sabem que a Yamaha testa/tropicalizam seus produtos por DOIS anos antes de lançar. Aqui não é diferente, resultado disso é a alta durabilidade de seus componentes. Ao invés de outra marca que testa durante seis meses e depois dá dor de cabeça pra todo mundo 😉

  8. R$ 29.800,00 ???????
    O mesmo preço da BMW G 650GS nova e pouco menos que a Transalp ?
    Vai vender aquela meia dúzia para os apaixonados por Yamaha de sempre e encalhar nas cocessionárias .
    É uma XT 660 de roupa nova , super visada para roubo , seguro caríssimo e só 1 ano de garantia .

  9. Ainda bem que o escapamento da “Z” voltou para o lugar de uma verdadeira trail, não servindo de parachoque como na “R”. Aliás se for observar bem, na “R” só aparece o escapamento por todo o lado, e a moto é só uma monocilindrica.

  10. Pena q sempre somos o ultimo pais latino a receber novidades.

    Protecionismo de pais governado por ditadores…

    Mas q venha mais uma opcao para nos, mesmo pagando 2x ou +X, o valor dos americamos e europeus.

    Agora dizer q a XT nao vibra, hahahaha, é pq nunca andou em uma moto de origem alema.

  11. Espero que não tirem a XT660R de linha, tenho uma e a acho ideal para andar nas estradinhas de terra!! Acredito que as duas possam conviver sem problemas, pois são propostas um pouco diferentes.

  12. Parabéns ao Best Riders pelas primeiras informações oficiais da Yamaha BR! (Mesmo sem ser convidados)

    Só espero que eles lançem com o tal reforço de chassis na traseira que foi tão falado (foi até usado como argumento para atrasar o lançamento, fora os motivos já citados por vocês).

    Outra coisa, vamos torcer pra pararem com essa mania de lançar a moto em cores horríveis, geralmente só vem em cor preta….. Poxa esse modelo tem azul, branco, Yamaha BR pare de ser mão de vaca e lançe a gama de cores completa!

    Outra coisa, o preço… demoraram tanto pra lançar… e agora tem Kawa Versys c/ 2 cilindros por R$ 30 mil… (Fora a Transalp) quero só ver o preço que vão botar…

    • Se quiser recuperar a posição que tinha com as XT 660R antes da Transalp e da G 650GS , a Tenere não poderia passar dos R$ 27.300,00 que já é o preço das 660 ( e que não estão vendendo nada…)
      Por mais que isso só vai vender para aqueles apaixonados de sempre , mas isso não faz mercado

  13. É… Yamalenta é triste! Deixa perder mercado para depois, depois, mas bem depois acordar!!!

    Mas espero que venha mais em conta que isso!!!

    Yamalenta, acorda! Traz logo a Fz 8 para a briga também! Será que o salão vai ser surpresa para nós?

  14. Putz!! Nem acredito… finalmente chegou por aqui?!
    Só espero que o preço seja competitivo e o nível de vibração menor que na XT660R

    E mais uma vez a imprensa virtual ficou de fora, sem comentários pra isso!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


oito × = 56