Dica de Leitura: Artur e sua Viagem para El Fin del Mundo!

0
709

73

Quem não mantém em seu imaginário, uma viagem de moto sem compromisso, sem hora para voltar? Vou deixar aqui uma boa dica para quem se interessou…  Encarar a estrada como sua companheira diária, olhar para sua motocicleta como parte de seu corpo e mente, amiga e por vezes confidente. Pois é, em setembro de 2012 quando eu estava cobrindo um encontro dos HOGs no Rio de Janeiro durante o Rio Harley Days 2012, conheci um personagem sensacional, que é o Artur Albuquerque. Para resumir, ele fez uma viagem com sua Harley-Davidson e alguns companheiros para Ushuaia e registrou tudo em um livro que mistura história, experiência e fotos exclusivas.

Só para entender o espírito de Artur,  em 2005, ele recebeu uma Newsletter do PHD-BR que trazia um texto de Michel Weber sobre Viajar de Moto, traduzido do alemão para o espanhol pelo PHD (Proprietário de Harley-Davidson) JoséMa (Curitiba – PR), e do  espanhol para o português pelo PHD Jorge Brant (São Paulo – SP). Como aficionado pelo assunto, com base nas traduções, não resistiu à tentação de escrever sua própria versão livre do texto:

VIAJAR DE MOTO (by Michel Weber)

“É poder transitar além da monotonia do cotidiano e viver cada momento, intensamente.

É ser como os libertos, os que não se submetem às filas de espera, os que se apartam da unanimidade da multidão.

É viver livre da mesquinhez, da pobreza de espírito, da satisfação estereotipada dos parvos e da submissão alienada das massas.

Viajar de moto, todavia, é uma paixão com risco calculado de gosto e sabor específicos, que consagra as pessoas que não vivem escondidas e nem com medo da vida.

É o desprezo pelo banal, pelo cômodo e pelo superficial.

É o estado de espírito dos que buscam a estrada com a cara no vento, vivendo e sentido o mundo passar, junto com o sol, a chuva, o dia ou a noite, sem se esconder de nada e nem de ninguém.

Entender o que é viajar de moto, para os medíocres, permanecerá inacessível, para os iluminados, estará aguardando de braços abertos.”

Rio de Janeiro, 2005. PHD Artur Albuquerque

Percebe que óleo quatro tempos corre pelas veias de Artur? Sim, vamos ao livro então:

Dica de leitura

O livro que ele escreveu é sobre o que nos motiva, é sobre a concepção e realização de um pequeno sonho de aventura, materializado em uma viagem fantástica, exclusivamente de Harley, partindo do Rio de Janeiro até a cidade considerada a mais austral do planeta, na América do Sul: Ushuaia, conhecida como El Fin del Mundo.

 

7 Ushuaia e o Canal de BeagleDevido ao clima imprevisível e a beleza hostil dessa região, atingir esse lugar ainda é considerado como um dos mais atraentes desafios almejados pelos motociclistas de estrada (Long Distance Motorcycle Travellers) norte-americanos e europeus.

Essa dica de leitura, esse livro, não é apenas mais um relato de uma viagem de moto com belíssimas fotos, planejamento e roteiro detalhados; ou um registro de emoções e técnicas utilizadas ao pilotar uma Electra Glide, por longas e magníficas estradas, na Patagônia; ou ao enfrentar o rípio (estradas de cascalho) e as rajadas de vento, na Terra do Fogo. Mais do que tudo isso, esse livro é um convite ao exercício de liberdade e é um estímulo à atitude de ousadia, além de ser uma homenagem aos homens e mulheres que ousam abandonar o conforto e a segurança da própria cidade, a fim de responder ao atávico chamamento do desafio e da aventura, pilotando uma motocicleta para além dos prédios, das montanhas ou fronteiras.

Li o livro em um final de semana, e por isso deixo como dica, e como diria o próprio Artur:  “se as memórias aqui relatadas puderem trazer boas lembranças àqueles que já tiveram experiências semelhantes ou forem capazes de inspirar e estimular outros motociclistas a superar todos os obstáculos para criar a oportunidade de realizar o próprio sonho, este livro terá atingido o seu objetivo e tornar-se-á uma modesta contribuição ao fascinante universo sobre duas rodas, que algumas pessoas privilegiadas têm a felicidade de pertencer.”

Dica de leituraExtrações do Livro:

Capítulo: “Uma Perspectiva da Liberdade”

“…Foi a primeira vez que o menino ouviu aquele nome e apesar de não ter entendido o que o motorista queria dizer, aquela imagem de uma Harley solitária avançando pela estrada, permaneceria no seu inconsciente como o mais sublime arquétipo da idéia de liberdade, que jamais conhecera e aquele momento ficaria guardado para sempre na pequenina arca de suas felizes recordações.

A partir daquele dia, constantemente, ele se surpreenderia sentindo-se capaz de alimentar alguma feliz esperança.  Aquela cena insólita o fez perceber que possuía a ousadia de alimentar um sonho, realizável, diferente dos muitos devaneios onde se refugiava, apenas para escapar da miserável realidade e permanente solidão…”

Capítulo: “Ushuaia – O Nome do Sonho

Dica de leitura 4 Rumo, Pto San Julian 3“…Antes da sugestão formulada pelo Eduardo, creio que eu nunca tinha ouvido a palavra Ushuaia.  Porém, com o passar do tempo após anossa última reunião, como se fosse mágica, parecia que tudo – reportagens, livros, conversas etc – passou a fazer menção a essa cidade e a sua região.  Quanto mais ouvia e lia sobre a Patagônia e a Terra do Fogo, mais a viagem despertava em mim uma necessidade inusitada – ir até lá com a minha moto.  Quanto mais eu tomava conhecimento dos prováveis roteiros, mais ficava entusiasmado com a possibilidade de sua realização.

Para alguém, como eu, que já tinha muito tempo de motocicleta, porém, tão pouca experiência de longas viagens, Ushuaia passou a ser um desafio pessoal para “as minhas asas muito curtas” de motociclista urbano.  Em termos acadêmicos, essa viagem seria algo como uma pós-graduação no motociclismo de estrada e mesmo frente a tantas adversidades, o que mais me fascinava era a chance de poder viver experiências magníficas, por caminhos e lugares desconhecidos.  E na companhia dos amigos, fazer algo fora do comum, que com certeza iria nos legar memórias fantásticas de aventuras dignas de perene recordação – experiências muito distintas das rotinas banais de toda uma vida, cuja maioria dos momentos, com certeza, se perderá no tempo, como se fossem lágrimas na chuva, imperceptíveis, como um sorriso na escuridão…”

Capítulo: “HU e PHD – Os Portais para o Velho Mundo de Aventuras

 Dica de leitura 5 No Ripio, Perito Moreno“…Dentre as muitas divagações, durante as madrugadas que antecederam a viagem, ponderava que no universo sobre duas rodas, como no desenvolvimento dos pássaros, a maioria de nós somos iniciados como motociclistas urbanos e permanecemos amadurecendo durante os curtos passeios e pequenas viagens, por algum tempo, sob todo tipo de apoio e proteção.  Em determinado momento, alguns de nós são inspirados a expandir as suas curtas fronteiras e extrapolar os seus limitados horizontes, para muito além da árvore conhecida e segura do próprio ninho, exclusivamente, a expensas de suas próprias habilidades e capacitações.

Com a experiência de estrada, passamos a perceber que a essência dessa transformação não é perceptível na superfície da pele, no tipo de moto e muito menos no estilo ou traje do motociclista.  Essa mutação ocorre, fundamentalmente, no espírito, sendo percebida apenas pelo seu estado permanente de arribação.

Então, chega o dia, para alguns homens e mulheres, em que a vontade de se libertar de todas as amarras – como um potro selado que contempla a longínqua e dourada pradaria – seqüestra-lhes a alma, aprisionando-lhes a imaginação.  E para alguns, com espírito de peregrino ou não, integrar o universo das viagens de moto, como o processo de criação de um artista, passa a ser um meio de revigorar, da mente, o equilíbrio e conquistar, da alma, a pacificação.

6 Tierra del Fuego, San SebastianTalvez, essa inquietude e melancolia, que vez por outra assaltam alguns de nós – como acontece a aventureiros e exploradores – sobrevenham das brumas do passado, quando éramos realmente livres como o antigo nômade das estepes áridas, integrado a seu cavalo, em constante movimento e condicionado a ter apenas o que se podia carregar.  Assim, o motociclista de estrada, mesmo por breves momentos, liberto do seu papel de fatigado lavrador – preso aos sulcos da terra e a seu boi de arado. – como o moderno avatar do antigo cavaleiro, busca a sensação de liberdade, a exemplo da vida sobre uma sela, sem se preocupar muito para onde vai e quando irá chegar…”

Material: O livro possui capa semi-rígida, miolo em papel couche fosco 115 gramas, formato 22 x 23, 220 páginas, 150 fotografias coloridas, marcador de página com traçado do roteiro, planilha de navegação com as cidades e distâncias, além de sugestão de check list de planejamento e apronto para a viagem.

Próxima parada… Alasca!

Dica de leitura 7 Ushuaia e o Canal de BeagleMesmo antes de finalizar seu périplo pela América do Sul, Artur já começou a planejar sua próxima viagem, o que pode parecer insólito para muitos, para Artur seria uma experiência e desafio de vida: o distante Alasca seria seu próximo destino!!!

Segundo o poeta americano Robert W. Service, “não é a necessidade, não é a ganância que nos atrai para o longínquo Norte; é a Febre, é a Glória do Desafio.” E não há desafio mais radical do que ousar sair da redoma de proteção do sistema, abandonando a zona de conforto e segurança da civilização, ao viajar de moto atravessando a “terra de ninguém” das estradas do continente para ir ver pessoalmente e pelos próprios meios e sentir como os irmãos das Américas, fora dos grandes centros, vivem, pensam e realmente são.

Além disso, após viver mais de meio século de uma vida convencional, é hora de experimentar algo inusitado ou insólito, como usufruir a sensação de liberdade ao se desprender de todo lastro e amarras, e pilotar uma Harley através das Américas, como um antigo nômade em seu cavalo, dependendo apenas e exclusivamente de si mesmo e do que pode carregar.

E despojado de excessos de regras, conforto, títulos sociais e segurança, como um simples peregrino e estrangeiro, vivenciar a aventura de interagir com o desconhecido, conversar com pessoas de antigas culturas, transitar por lugares históricos ou de rara beleza, e por fim; escrever um Livro sobre a fantástica experiência de viajar de moto, cuja ideia central baseia-se em viver a estrada para capturar reminiscências da atmosfera de liberdade, rebeldia e aventura do motociclismo despojado de outrora, cujos precursores – que usando apenas calça jeans, botas e jaqueta de couro – rasgavam a Route 66 e outros destinos com suas máquinas de ferro e cromo, alimentando sonhos de uma sociedade mais justa, que oferecesse a todos mais liberdade, oportunidade e menos cinismo e ilusão.

Para os “Harleyros” de ontem e de agora; mais do que uma marca, a Harley-Davidson é a identidade de um estilo de vida e também o símbolo de uma ideologia libertária de insubmissão.

Para ler mais informações sobre a viagem para o Alasca, leia o post em seu blog.

É isso! Estou planejando fazer uma longa viagem de moto em 2013 e este livro só aguçou minha vontade de ir para a estrada!!! Fica a dica para vocês também!

Site oficial das viagens de Artur: http://phdalaska.hwbrasil.com/

Para adquirir os livros de Artur: http://phdalaska.hwbrasil.com/site/?page_id=833

Keep Riding!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


4 − quatro =