Depois da Argentina, MotoGP também pode ir ao Chile em 2013

1
952

Depois da Argentina, mais um país da América do Sul quer sediar uma corrida de MotoGP, o Chile.

Segundo informação do site inglês Visordown, será construído um complexo automobilistico em uma área de 180 hectares, onde, além de um circuito em conformidade com as regras da FIA e FIM projetado pelo renomado Hermann Tilke, também haveria um circuito de motocross e uma pista de kart de 1,4 km. O “Motopark”, como é conhecido o projeto, ficará a cerca de 30 km da capital Santiago e aguarda apenas a aprovação das autoridades sobre algumas questões ambientais. O prazo de conclusão das obras é de 18 meses.

Além de atuar como consultor no desenho do circuito junto a Tilke, o campeão mundial de motociclismo Kevin Schwantz também está cuidando das negociações para trazer uma etapa do Mundial ao Chile.

Ausente da América do Sul desde 2004, a MotoGP volta em 2013. O GP da Argentina será disputado no Autódromo Termas de Río Hondo, na província de Santiago del Estero. Localizada 1 150 km ao noroeste de Buenos Aires, a cidade de Termas de Río Hondo é um importante centro turístico do país vizinho, por isso, conta com uma grande estrutura hoteleira. Inaugurado há pouco tempo — em maio de 2008 —, o autódromo argentino custou 10 milhões de dólares e é considerado o mais moderno do país.

O acordo, que vale por três anos, foi assinado nesta terça-feira em Paris, entre o Governo argentino, o Governador da província de Santiago del Estero, a OSD e a Dorna Sports, garantindo a presença do Mundial de MotoGP na Argentina a partir de 2013.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


quatro × = 8