Danilo Andric volta a vencer no TNT Superbike

1
366
Momento da largada

Fotos: divulgação

Danilo Andric voltou a vencer no TNT Superbike. A 6ª etapa do campeonato foi realizada neste final de semana (10 e 11) no circuito de Jacarépagua, Rio de Janeiro.

Com a pista parcialmente seca, o piloto da Limited Motorsports se manteve constante durante toda a prova, que foi marcada por bandeira amarela, após queda de Heber Pedrosa (#42). O piloto da Spiga Racing se levantou imediatamente após o acidente, sente dores na mão, mas passa bem.  Bruno Corano, que é o idealizador do campeonato, chegou em segundo lugar , mas foi punido por queimar a relargada, caindo pra sexta colocação.

Danilo Andric

“Aqui temos que dar o exemplo. Não é porque sou o idealizador do campeonato que não serei punido, qualquer piloto que não cumpra as regras deve ser penalizado. O Andric segurou o que pode para reacelerar e acabamos queimando por pouco a linha. Independente disso, fiquei muito satisfeito com o meu desempenho e vamos com tudo para a próxima etapa”, disse Corano.

Outro que também perdeu várias posições após ser penalizado foi Rodrigo Benedictis, da equipe Motonil. O piloto chegou a liderar a corrida, mas acabou perdendo duas posições durante a prova e chegou em terceiro. Com a punição por queimar a relargada, ele foi penalizado com 20 segundos e caiu para a sétima posição.

Com as punições, o pódio foi completado com Alecsandre de Grandi (#90), da Team de Grandi Bardhal, que ficou em segundo e Luiz Cerciari (#66), da Cerciari Racing Team, herdou a terceira colocação.

Confira a classificação geral da 6ª etapa do TNT SBK em Jacarepaguá

1º) 64 – Danilo Andric (P, SP), 17 voltas em 24:34.924 (média de 127,26 km/h)
2º) 34 – Bruno Corano (P , SP), a 0.296 – Penalizado em 20 segundos
3º) 97 – Rodrigo de Benedicts (P , SP), a 1.789 – Penalizado em 20 segundos
4º) 90 – Alecsandre de Grandi (P , SP), a 6.507
5º) 66 – Luiz Cerciari (P , SP), a 10.398
6º) 88 – Diego Pretel (PE , SP), a 14.215
7º) 18 – Bruno Silva (PE , SP), a 14.672
8º) 51 – José L. Teixeira (P , SP), a 35.522
9º) 4 – Edson Vander (PAL , MG), a 40.721
10º) 171 – Michel Dacar (PA , SP), a 43.543
11º) 8 – Daniel G Mendonça (P , BA), a 43.789
12º) 24 – Marcello Brasil (SP , SP), a 47.695
13º) 38 – Ivan Gouvêa (PA , SP), a 50.018
14º) 128 – Leymar M. Sanches (PAE , MS), a 54.137
15º) 59 – Levy Mendes Lopes (PAM , SP), a 1:04.306
16º) 103 – Pedro Barata (PA , RJ), a 1:06.940
17º) 45 – Rodrigo Assis (PA , MG), a 1:09.843
18º) 141 – Wado Gomes (PE , SP), a 1:10.007
19º) 12 – Pedro Gonçalves (SPA , SP), a 1:11.309
20º) 144 – Marcelo Cortes (SPA , RJ), a 1:11.739
21º) 56 – Patricio Maduro (SPA , RJ), a 1 volta
22º) 98 – Carlos Alberto Moura (PAM , RJ), a 1 volta
23º) 178 – Renato Motta (PAL , RJ), a 1 volta
24º) 1 – Allan Cardoso (PE , RJ), a 1 volta
25º) 157 – Paulo Coutinho (SP , RJ), a 1 volta
26º) 150 – Alex Motta (PA , RJ), a 2 voltas
27º) 187 – Alberto Braga (PM , RJ), a 6 voltas
28º) 116 – Helder Shad (PA , RJ), a 7 voltas
29º) 42 – Heber Pedrosa (P , SP), a 13 voltas
30º) 83 – Rodrigo Sampaio (PA , SP), a 13 voltas

1 COMENTÁRIO

  1. A idéia do campeonato é excelente, precisamos cada vez mais de oportunidades de assistir corridas de motovelocidade.
    Porém, sim sempre tem um porém, o circuito de Jacarépaguá no Rio é simplesmente um lixo !
    Passa a impressão de total abandono, suas instalações e a própria pista
    são de longe as piores que eu já vi.
    O complexo todo é deprimente de se ver, tudo sujo velho e mal cuidado.
    Tanto para um expectador como para um piloto o ambiente das instalações é totalmente desmotivador.

    Iniciativa – Nota DEZ
    Competitividade – Nota NOVE
    Circuito de Jacarépaguá – Nota ZERO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


× 2 = doze