Dafra Fiddle III prova que imagem não é tudo

2
860

Dafra Fiddle III: Visual retrô é aposta do scooter da Dafra/SYM para fazer sucesso. Porém, preço sugerido de R$ 11.390 e motor carburado atrapalham.

DAFRA_FIDDLE_8
Estreito e leve, Fiddle III é scooter com vocação urbana

Texto: Arthur Caldeira / Agência INFOMOTO
Fotos: Doni Castilho / Agência INFOMOTO

Dafra Fiddle III prova que imagem não é tudo

“Nossa, lindo esse scooter!”. “Parece aquelas lambretinhas antigas”. Essas foram as frases mais ouvidas enquanto rodávamos por São Paulo para avaliar o mais recente lançamento da Dafra no segmento de scooters, o Fiddle III. Com linhas arredondadas, farol único no guidão e roupagem em dois tons, o Fiddle III remete aos clássicos scooters dos anos de 1960. Molduras em volta do farol e da lanterna e os dois retrovisores cromados completam o visual vintage. O visual retrô, aliás, é o principal argumento de vendas do modelo, que tem preço sugerido de R$ 11.390.

DAFRA_FIDDLE_12
Com linhas arredondadas e pintura bicolor, Fiddle III lembra os scooters dos anos 60
DAFRA_FIDDLE_6
Linhas arredondadas, detalhes cromados e pintura em dois tons conferem ar retrô ao scooter Dafra

A inspiração em modelos do passado aparece até mesmo na hora de dar partida no motor de um cilindro e 124,6 cm³. Embora tenha partida elétrica, é alimentado por carburador, e exige um pouco de paciência do piloto em esperar o motor “esquentar”. Faz falta um afogador, pois como o câmbio é automático CVT não é possível dar umas aceleradas sem que ele saia do lugar.

Seu desempenho é modesto: 10,4 cavalos de potência máxima a 8.500 rpm e torque máximo de 0,87 kgf.m a 6.500 giros. Os números não empolgam e em ladeiras mais íngremes ou com garupa, o conjunto motriz mostra suas limitações. A velocidade máxima é de otimistas 100 km/h, apontados no painel analógico de fácil leitura.

DAFRA_FIDDLE_4
Painel é completo e de fácil leitura

DAFRA_FIDDLE_9

Bicho urbano

O fraco desempenho do Fiddle III faz dele um bicho urbano, feito para rodar no trânsito engarrafado das cidades. A transmissão CVT é um pouco lenta nas arrancadas, mas pode-se manter 60, 70 km/h sem muito esforço. O consumo, como era esperado de um motor carburado, não é dos melhores: fizemos 27 km com um litro de combustível.

DAFRA_FIDDLE_11
Alimentado por carburador, motor de 125cc tem desempenho modesto e consumo alto: 26 km/l

Seu porte compacto – o guidão tem 69 cm de largura e o peso a seco é de 115 kg – ajuda a driblar os engarrafamentos de São Paulo. Porém, assim como outros scooters, o Fiddle III sofre em vias esburacadas, mesmo com suas rodas de 12 polegadas. As suspensões têm curso reduzido e chegam facilmente ao “batente”.

O sistema de freios – disco em ambas – chega até a ser exagerado para seu baixo peso e desempenho. Com sistema combinado, para o scooter com eficiência. Aqui vale uma crítica para o liso tecido do banco: em uma frenagem de emergência escorreguei e cheguei a sair do assento.

Plataforma

Além do visual retrô, o Fiddle III diferencia-se dos concorrentes pela sua estrutura com uma plataforma plana para os pés, ao invés de um túnel central. Dessa forma o motociclista fica em uma posição mais ereta e sobra espaço para carregar uma sacola entre as pernas, pois há um gancho no escudo frontal.

DAFRA_FIDDLE_10
Posição de pilotagem é confortável e plataforma acomoda bem os pés

Por falar em carga, na parte traseira do escudo há um porta-luvas com uma útil tomada USB para carregar o smartphone. Sob o banco, além do pequeno compartimento de carga que leva apenas um capacete aberto, estão o bocal do tanque de 6,2 litros e uma chave de segurança, que permite bloquear a ignição. Lembrou-me muito os antigos “corta-gasolina” dos anos 90.

DAFRA_FIDDLE_3
Uma curiosidade do Fiddle III é que o banco pode ser aberto girando a chave no contato, ou ainda por meio de um botão no punho esquerdo – onde normalmente fica o lampejador de farol.
Para se diferenciar

Apresentado no Salão Duas Rodas 2015, o Fiddle III chegou ao mercado em junho do ano passado. Chamou a atenção principalmente pelo seu estilo retrô. Porém, mesmo quem busca um scooter urbano com visual diferenciado esbarra no preço elevado do modelo.

Afinal, suas especificações técnicas são inferiores aos concorrentes, principalmente o motor carburado, e mesmo assim o Fiddle III tem preço público sugerido de R$ 11.390. O valor é praticamente o mesmo de modelos mais modernos, como o Yamaha NMax 160, vendido por R$ 11.690, mas que traz freios ABS de série e motor injetado de maior capacidade. Talvez por isso ainda seja raro em nossas ruas, mostrando que imagem não é tudo.

DAFRA_FIDDLE_7
Visual retrô agrada, mas preço de R$ 11.390 do Fiddle III é alto para o que o modelo oferece
DAFRA_FIDDLE_1
Rodas de liga-leve são de 12 polegadas. Freios a disco em ambas têm sistema combinado.

Dafra Fiddle III 125 – Ficha Técnica

Motor monocilíndrico, OHC, arrefecido a ar
Capacidade cúbica 124,6 cm³
Potência máxima 10,4 cv a 8.500 rpm
Torque máximo 0,86 kgf.m mas a 6.500 rpm
Alimentação Carburador
Capacidade do tanque 6,2 litros
Transmissão CVT
SUSPENSÃO
Suspensão dianteira Telescópica, com 80 mm de curso
Suspensão traseira Bichoque, com 75 mm de curso
FREIO
Freio dianteiro Disco simples de 190 mm com pinça de pistão duplo e sistema combinado
Freio traseiro Disco simples de 220 mm com pinça de um pistão
Chassi Underbone
Dimensões (C x L x A) 1900 mm x 690 mm x 1130 mm
Altura do assento 775 mm
Altura mínima do solo 120 mm
Entre-eixos 1.330 mm
Peso a seco 115 kg
Cor Branca/Vermelha e Preto/Dourado
Preço sugerido R$ 11.390

 

2 COMENTÁRIOS

  1. A Dafra deveria investir em outros mercados de Scooter como no Nicho de Scooter de 3 rodas,para Deficientes Fisicos e pessoas com medo de motos.

  2. Mais de 11 mil em uma scooter carburada com motor 125cc?? Que isso? Qual o maluco que vai comprar?? Honda pcx a 10.800 , 150cc. YAMAHA nmax 160 cc com abs por 11700.Estas duas aí valem por 2 motos disso e Iii

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


1 + = nove