Dafra Citycom 300i reina absoluta entre as scooters

3
1919

Dafra Citycom 300i trouxe algumas revoluções no universo das scooters. Até bem pouco tempo atrás, quem vivia neste universo sabia que estava limitado a rodas pequenas, baixa cilindrada, preço injusto, pouco espaço sob o banco e quase nenhuma proteção aerodinâmica. Para sair destes limites, a conta ficava bem mais alta, pois envolvia modelos grandes, caros, de difícil mobilidade no trânsito e às vezes pouco suporte de peças de reposição.

Dafra Citycom 300i

Fotos: Divulgação

Dafra Citycom 300i reina absoluta entre as scooters

O mercado estava aí, carente e aberto para novos produtos. Em outubro de 2010 a Dafra lançou em parceria com a SYM, a Citycom 300i. Apesar de uma pequena desconfiança inicial, a Citycom caiu no gosto dos usuários de scooters e se tornou a única alternativa para quem desejava fazer um up-grade de veículo.

Nossas outras montadoras pareciam (e parecem) não se interessar por este mercado, pois possuem várias opções que rodam lá fora e que poderiam ser importadas ou montadas no Brasil, mas nada foi feito. Nem naquela época, final de 2010 e nem na data atual. A Dafra Citycom 300i reina absoluta e acaba sendo a única opção de quem deseja mais potência, economia, preço justo, rodas maiores para não sofrer em nossas esburacadas ruas, espaço sob e sobre o banco e a liberdade de pegar uma estrada sem se sentir intimidado pela velocidade dos outros veículos.

 

Suas vendas vêm crescendo constantemente e se devem a sua confiabilidade mecânica, economia e praticidade. Nos três últimos meses de 2010, emplacou somente 289 unidades. Já em 2011 foram 2.142 motos emplacadas e em 2012 esse número chegou em 2.599 e equivale a um crescimento de 21%. Além de bons números de venda, ela vem colecionando prêmios (melhor urbana e street em 2010; melhor negocio em 2011; melhor compra categoria scooter em 2011 e moto do ano categoria scooter em 2012) em sua curta trajetória de apenas 2 anos e três meses de mercado.

Realmente as qualidades da Dafra Citycom 300i são únicas em nosso mercado. Rodas aro 16`com pneus sem câmara Metzeler 110/70-16 52P na dianteira e  130/70-16 61P garantem uma rodagem segura e praticamente imune a buraqueira de nossas cidades. As suspensões copiam bem o piso, mas constantemente dão fim de curso, principalmente no retorno e quando são mais solicitadas. Na traseira, apesar do ajuste da pré carga das molas, torna-se quase impossível rodar na regulagem mais macia. Mas a culpa disto não é da calibragem da suspensão, mas sim das condições de nossas ruas. O motor é de baixíssima vibração e responde muito bem as acelerações e retomadas. Econômico, potente (23cv) e confiável, permite rodar com desenvoltura mesmo em rodovias com limite de velocidade de 120km/h sem chegar na faixa vermelha do conta-giros e com reserva de potência necessária para ultrapassagens. Seu tanque de 10 litros situado sob o assoalho proporciona uma autonomia acima dos 270km.

Dafra-Citycom-300i

Espaço e conforto é o que não falta, tanto para o piloto quanto para a garupa, que conta com um largo e macio banco e com pedaleira retráteis. A posição do piloto poderia ser um pouco melhor, com o rebaixamento do banco e o aumento do espaço para trás. Isso comprometeria o volume sob o banco, mas tornaria a pilotagem mais confortável. Já vi usuários que optaram em sacrificar o espaço sob o banco (já que nem todo capacete fechado cabe ali embaixo) e recuar o degrau que divide o assento. Experimentei um banco com estas modificações e posso garantir que você se sente em outra scooter. Com a posição mais recuada, o piloto se afasta um pouco do para-brisa e parte da turbulência (causada por ele) desaparece.

O para-brisa é excelente. Acho que para-brisa faz parte do conjunto scooter, mas quando é alto demais, acabamos por ter de olhar através dele, o que em dias de chuva fica quase impossível. Quando baixo demais perde a eficiência de nos proteger do vento. O para-brisa da Citycom está em uma excelente altura, mas devido ao seu formato e proximidade do piloto causa certa turbulência e consequentemente barulho no capacete.

A preocupação com os detalhes aparece não só nos acabamentos, mas também nos acessórios e soluções práticas: facilidade de acesso a bateria, ao nível da água do reservatório do radiador e a caixa de fusíveis, pedaleira do garupa retrátil, tomada 12v e chave de segurança que corta a ignição, entre outros.

Freios

Os freios da Citycom são bem eficientes e progressivos, mas a meu ver o dianteiro poderia ser um pouco mais enérgico. Eles funcionam muito bem, mas acho que a calibragem foi feita para velocidades médias dos centros urbanos. Em frenagens mais fortes, caso pressão no manetes não seja ajustada ela pode travar a roda traseira com certa facilidade. O disco dianteiro é do mesmo tamanho do traseiro (260mm), coisa rara de ver, e as pastilhas são as mesmas variando apenas a dureza.

dafra citycom 300i

 

 

As manoplas e botões possuem bom tato e são bem acabados, passando uma boa impressão. Aliás, os acabamentos em geral, texturas e encaixes das peças garantem um visual refinado e de ótimo nível. O painel tem excelente visualização e informações suficientes: velocímetro, conta-giros e temperatura do líquido de arrefecimento do motor são analógicos e hodômetro total, parcial, hora e combustível digital. Nos modelos mais recentes foi incorporado um voltímetro como mais uma função no mostrador digital. A luz azulada do fundo instrumentos dá um toque especial. Uma coisa que não gosto é do interruptor de luz ter a posição de “tudo desligado” e o relampejador de luz alta não ser na frente da manopla para ser acionado pelo dedo indicador.

dafra citycom 300i

O farol duplo com lâmpadas halogenas H4 de 35w iluminam bem e permite rodar sem medo de surpresas a noite. Evite parar ao lado de uma Citycom equipada com Xenon, pois a diferença é absurda e você vai acabar na duvida se seu farol está realmente ligado.

Porta-luvas

Para levar as compras ou as bugigangas do dia a dia, ela tem espaço de sobra. Uma boa capacidade sob o banco, um gancho sob o painel e um porta-luvas com chave e com uma útil tomada 12V dentro. Sobre o porta-luvas preciso falar mais. Seria impossível ter um porta-luvas sem tranca, mas a solução da trava com chave acho pouco prática. Imagine você chegando em casa e tendo que acionar o controle remoto do portão. Você para, desliga a scooter, tira a chave do contato. Coloca a chave na fechadura do porta-luvas, abre, tira o controle, aciona o portão e aí você já sabe o resto. Já vi diversas scooters com trava do porta-luvas e abertura feita pressionado o miolo da ignição ou com mais um estágio da chave de contato.

Tenho visto cada dia mais Citycom 300i no trânsito e descobri que ela tem sido a opção de proprietários de motos grandes para andar no dia a dia. Todos elogiam sua agilidade e baixo custo de manutenção. Se o preço fosse mais em conta (afinal foi lançada por R$ 12.290,00 e já custa R$ 13.990,00) e a altura do banco um pouco mais baixa, com toda a certeza veríamos mais delas circulando em nossas cidades.

Quanto ao preço, parte da culpa é dos concorrentes que se mantêm inertes e não lançam nada de novo neste promissor mercado. Se você tiver um tempinho, navegue nos sites de nossas 3 marcas líderes em alguns países da América do Sul e veja a grande oferta de scooters que eles oferecem a seus consumidores.

Se você acessar os sites italianos, aí a coisa fica mais gritante ainda. A Sym se mantem entre a 6º marca de scooter mais vendida na Itália e é a 7º marca de motos mais comercializada neste país. Lá, a oferta de scooters é enorme e o modelo Citycom 300i, um projeto de 2008 figurava no fim de 2011 como a 63º scooter mais vendida na Itália (aqui ela ocupa a 4º posição). De forma nenhuma este fato desmerece ou desvaloriza o modelo, mas demonstra o quanto o mercado (lá fora) evoluiu e novos produtos foram lançados neste tempo.

Acho a proposta e conjunto oferecidos pela Dafra Citycom 300i excelentes e posso recomendá-la sem reservas a quem quer que seja. Ela cresce em nosso mercado devido a suas próprias qualidades e não devido a pobreza de opções dos concorrentes. Se não fosse a audácia e coragem da Dafra em investir neste mercado e trazê-la para o Brasil, estaríamos refém dos motores 125cc e aros de 10 polegadas. Minhas críticas em nada desabonam o produto, pelo contrário, mas são de quem conviveu muito com ela e vocês sabem, “a intimidade gera aborrecimentos e filhos”, mas posso garantir que nunca tive nenhum dos dois com a Citycom300i.

Veja o vídeo:

3 COMENTÁRIOS

  1. Falou tudo!

    Sou usuário de uma, comprada na concessionária de BH em agosto de 2011. Estou super satisfeito com o conforto, segurança, praticidade e qualidade de acabamento.
    Só penso em trocar por outra mais nova. De preferência, um modelo mais novo. Rola?

  2. Ótima matéria.

    O Citycom tem muitas qualidades, ainda que vem subindo o preço sem justificativas.
    Isso meio que queima a marca, sendo que a mesma nasceu praticamente ontem. [Dafra]
    Vejo isso na Next, chegou competitiva, e já cresceram o olho, aqui tá mais caro que Fazer.
    Um erro grosseiro de estratégia, mesmo liquida e com 6 marchas, a Fazer tem peso no nome Yamaha, a Dafra deveria enxugar ao maximo pra se consolidar de vez.

    Quanto aos Scooters, na Europa é cultural, aqui nunca fizeram sucesso porque nosso solo lunar não é conveniente, mas aos poucos tem caido no gosto do brasileiro.

    Sucesso ao Citycom!
    E que venha o novo modelo de 400cc, ficou ainda mais lindo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


6 − dois =