Em nova resolução, Contran proíbe faróis de gás xenônio

2
72

Fotos: Reprodução internet

O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) proibiu a instalação de faróis de gás xenônio, o famoso “xenon” em veículos (inclusive motos) que não saírem de fábrica com esse dispositivo. A resolução 384 foi publicada no Diário Oficial da União na última terça-feira (7).

A multa para quem desrespeitar a regra é de R$ 127,69 e cinco pontos na CNH.

Ainda segundo o Contran, quem possuir um veículo com esse tipo de farol instalado mediante autorização prévia do Departamento de Trânsito — como era permitido até agora — e com a devida alteração no documento do veículo, poderá circular sem problemas.

Em caso de necessidade, tanto os veículos previamente autorizados quanto aqueles que já possuem faróis de gás xenônio como item original de fábrica,  poderão substituir o equipamento por outro similar.

De acordo com o orgão, a proibição a esse tipo de farol é uma questão de segurança já que a potência da luz é muito alta e pode ofuscar a visão dos motoristas que trafegam em sentido contrário.

2 COMENTÁRIOS

  1. Fiscalizar e multar quem anda com farol desregulado ninguem quer né? Incentivar a produção nacionalizada da tecnologia e o barateamento do produto original e eficiente, e a disponibilização do equipamento como opcional nos veiculos mais básicos ninguém quer, né?
    A Familia de Palio G3 que ofusca com lâmpadas normais todo mundo e ninguém fala nada. Tem gente que só circula de farol alto e ofusca do mesmo jeito, mas ninguém multa, ninguém fiscaliza.
    O Xenon como foi banalizado pela falsificação e deixado de lado pelo governo como equipamento de segurança, e ainda o povo vaiu pagar o pato levando multa e perdendo dinheiro investivo no equipamento(conheço gente que até importou faróis e kit de excelentíssima qualidade, e aí como fica?)
    Mais uma resolução que visa o lucro fantasiada de preocupação com segurança. Infelismente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


9 − = cinco