Como funciona o Immobilizer

3
6712

Sabe aquela luz vermelha que fica piscando no painel da moto quando a desligamos? Aquela luz é um aviso de que o sistema de segurança — o famoso o imobilizador — se encontra ativo.

Mas, afinal, o que é (e como funciona) esse sistema de segurança que as montadoras optaram por colocar de série em algumas motos, já faz algum tempo, para tentar evitar o furto. É sobre isso que vou falar nesta coluna.

O “immobilizer” das motocicletas e um excelente sistema bloqueador de partida, já que ele evita que a motocicleta seja ligada com qualquer chave de contato ou com um jumper na ignição. Os sistemas desenvolvidos hoje em dia bloqueiam não só o sistema de injeção e ignição, mas também o sistema de partida do veículo.

O princípio de funcionamento do imobilizador é o seguinte: “Esta” motocicleta é feita para funcionar com “esta” chave e pronto. Pode colocar a chave que for, que se não for a original da moto, ela permanecerá bloqueada. Um alarme é bem diferente deste sistema. O alarme só nos avisa que a moto está sendo roubada e, tempo depois, corta a ignição ou injeção. Já o sistema imobilizador faz tudo isso e ainda impede o funcionamento do motor de partida, ou seja, o ladrão não consegue andar nem 100 metros com ela.

O melhor é que não precisamos nos preocupar em esconder nenhum controle ou carregar nada, basta andar com a chave da moto e, mesmo se a moto fosse roubada e transportada em algum outro veículo,  não há como fazê-la funcionar sem a chave original.

O imobilizador está presente em carros e outros veículos há décadas, contudo, nas motos, faz pouco tempo, mais especificamente com o surgimento das motos injetadas. Hoje em dia é muito comum ver motos com este bloqueador, a Honda tem o HISS, a Kawasaki tem o Immobilizer, e assim por diante.

As primeiras motos dotadas com este sistema chegaram ao Brasil por volta do ano 2000, mas a primeira equipada com imobilizador que eu tive contato foi uma Ducati 999 ano 2003. Usarei essa moto de exemplo para tentar explicar como funciona o sistema. A Ducati foi umas das marcas de moto pioneiras a oferecer o imobilizador, o problema é que o sistema adotado pelos italianos é um dos mais complicados, aliás, o mais complicado que vi até hoje…rsrs

Digo complicado porque, de tão eficiente que é, mesmo alguém treinado e trabalhando em um bom centro técnico pode ter grande dificuldade em resolver o problema.

Quando você compra uma Ducati como esta, ela traz junto com o manual de usuário um cartão com um código — o Code Card — que você vai guardar como se fosse um cheque de um milhão! Também fazem parte do pacote três chaves, uma vermelha e duas pretas.

A chave vermelha você vai guardar junto com o cartão e somente irá utilizá-la se for realmente necessário, pois é ela quem vai codificar as chaves pretas com ajuda do Code Card para desbloquear a moto. Com essa vermelha é possível liberar até 4 chaves pretas.

Até aqui vamos bem, certo?

O sistema imobilizador da Ducati se divide em quatro setores: transmissor, receptor, decodificador e liberador. O transmissor é um microcircuito de alimentação com uma memória ROM (memória somente de leitura) colocado dentro da chave de ignição. O receptor é a antena que alimenta o transmissor através do campo magnético criado ao redor da chave quando ligamos o painel.

O decodificador do sinal está dentro do painel. Ele tem a função de analisar o código da chave e transmitir um novo código para a centralina da moto.

Finalmente temos o liberador, localizado na centralina da moto. Sua função é comparar seu código com o transmitido pelo painel para então liberar a partida caso os códigos sejam iguais.

Tá legal, mas como tudo isso funciona? Quando ligamos a chave de contato, o painel acende e ativa a antena. Esta, por sua vez, emite um campo eletromagnético capaz de alimentar o chip dentro da chave. O chip emite um código que será captado pela antena e, logo em seguida, será transmitido para o decodificador (painel).

O painel compara o código recebido com um segundo código que ele possui e, se o resultado for positivo, será enviado um novo código para a centralina que fará uma nova comparação, agora com o seu código. E se tudo estiver certo, será liberada a partida. Tudo isso em menos de um segundo.

Assim como tem o lado bom , também tem o lado ruim… é um sistema muito delicado.

Em algumas ocasiões, uma simples lavagem acaba dificultando a leitura da antena, e, portanto, bloqueando a moto. Uma dica importante se isto acontecer é aplicar ar comprimido entre o miolo da chave e a “capinha” plástica deste já que é ali que fica a antena.

Se a aplicação de ar não resolver, pegue o manual do usuário (e também, no caso da Ducati, o cartão e a chave vermelha) e siga o procedimento de desbloqueio. Se isso também não resolver, não tem jeito, procure auxílio de profissionais.

Abraço, espero ter ajudado e até a próxima.

3 COMENTÁRIOS

  1. Amigo a TRUIMPH TIGER EXPLORER 1200 13/13 possui este sistema DE travamento do motor ? Meu amigo quer comprar uma moto deste modelo.. a mesma sofreu um acidente vindo quebrar o farol a chave dentro do miolo.. ele quer comprar mas fica com receio da chave ser codificada… o Sr. sabe algo há respeito ? Grato! Olhamos a chave ela é normal… e não tem nenhum aviso ou adesivo no também.. sobre está questão de bloqueio ?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


× oito = 64