Com produtos de qualidade, Dafra quer roubar mercado das tradicionais marcas japonesas

19
1543

Neste Salão 2011 a Dafra mais uma vez conta com um dos estandes de maior destaque. Sinal que a marca continua investindo forte no mercado brasileiro e que sua meteórica ascenção no mercado — vale lembrar que a hoje terceira maior marca de motos do Brasil iniciou suas atividades somento em 2008 — não vai parar tão cedo.

Além do início da produção dos modelos MV Agusta Brutale e F4 em sua planta de Manaus, motocicletas que chegam para disputar o segmento premium de alta cilindrada, a Dafra apresentou outras interessantes novidades para os segmentos de entrada.

Dafra Riva 150 – Para brigar no segmento city de até 150 cm³, o maior e mais concorrido de nosso mercado, a marca brasileira apresentou o modelo Riva 150, mais um produto desenvolvido em parceria com a Haojue, fabricante chinesa que também o scooter Smart.

Completa de fábrica, para substituir a veterana Speed 150 (que ainda será comercializada na versão Cargo) a nova city da Dafra chega completa de fábrica. Rodas de liga leve aro 18”, freio dianteiro a disco, partida elétrica e, segundo a marca, apresentando o pacote de peças de reposição mais econômico do segmento, o que não pudemos confirmar já que sequer o preço da moto foi confirmado pela marca. O visual moderno e o acabamento bem cuidado da Riva prometem dar um novo fôlego à marca na categoria.

O painel de instrumentos está integrado à carenagem frontal e agrada pela visibilidade e quantidade de informação. Segundo a Dafra, o chassi de fabricação nacional, tem como atributo principal a resistência a torções, mantendo boa ciclística com agilidade e estabilidade em manobras urbanas. A Riva 150 conta com motor de 149,4 cm3, OHC, monocilíndrico e arrefecido a ar. Apresenta potência de 12,1 cv a 8.250 rpm e torque máximo de 1,1 kgfm a 6.600 rpm.

 

De acordo com o material divulgado para imprensa durante o Salão, a Dafra trabalhou em conjunto com a Haojue e testou a Riva 150 em diferentes locais no Brasil por mais de 200 mil quilômetros e em mais de mil horas em dinamômetro de chassi no Laboratório de Testes e Emissões na fábrica de Manaus (AM).  A Riva 150 estará à disposição na rede de concessionárias a partir de dezembro deste ano, nas cores pérola, vermelha e preta.

Dafra Roadwin 250 – Inaugurando uma nova parceria com a coreana Daelim Motor, a Dafra apresentou a Roadwin 250, um modelo de pequeno porte e visual esportivo para brigar no nicho atualmente disputado por Kawasaki Ninja 250R, Kasinski Comet GTR 250 e, a partir de 2012, Honda CBR 250R.

Além da vistosa carenagem e de um conjunto frontal bastante agressivo com duplo farol (lembra muito algumas motos da Aprilia), esta 250 ressalta seu aspecto esportivo com um painel digital completo e traseira com lanterna de LED (exclusividade da versão brasileira).

A Dafra informou que um dos pontos mais trabalhados pela engenharia foi a ergonomia, tudo para conseguir uma posição de pilotagem que, ainda que esportiva, possibilite pilotar a motocicleta em grandes percursos urbanos ou rodoviário sem sobrecarregar o piloto.

O motor é um monocilíndrico, DOHC, de 247 cm3 com quatro válvulas e sistema de injeção eletrônica. Com arrefecimento líquido, alcança potência máxima de 24 cv a 9.000 rpm, torque máximo de 1,9 kgfm a 7.000 rpm e é capaz, segundo a marca, de levar a motocicleta à velocidade máxima real de 130km/h. Além disso, para obter melhor desempenho e maior durabilidade do motor, o sistema de resfriamento é líquido com radiador.

 

A Roadwin 250R é equipada com duplo disco de freio na dianteira e a disco simples na traseira, rodas de liga-leve aro 17” e pneus Pirelli SportDemon nas medidas 110/70-17 na dianteira e 130/70-17 na traseira.Sem preço divulgado, ela chega no primeiro trimestre de 2012 nas cores vermelha e branca.

Dafra Next 250 – A última novidade apresentada pela marca é o produto que, na opinião de muitos jornalistas com que conversamos, é talvez o mais interessante. Mais um fruto da parceria entre a marca brasileira e a taiwanesa SYM (o primeiro foi o scooter Citycom 300i), a Next 250 é uma street moderna e com qualidade suficiente para desafiar as concorrentes mais tradicionais como Honda CB 300R, Kasinski Comet 250 e Yamaha Fazer 250 .

Tão moderna na mecânica quanto no visual, a Next está equipada com um motor de 249,4 cm3, monocilíndrico com injeção eletrônica e arrefecimento líquido. Prometendo uma curva de torque plana e com muita disposição já em baixa rotação, o propulsor alcança 24 cv de potência o que é suficiente para levar a motocicleta a 131 km/h segundo as informações do fabricante.

Combinando itens analógicos e digitais o painel oferece uma rápida leitura dos dados e, seguindo um padrão inaugurado pelo Citycom, o acabamento geral da motocicleta é muito bom. A ergonomia foi adaptada para o motociclista brasileiro pela Dafra, o que resultou em uma posição de pilotagem natural e confortável.

Na hora de parar os 155 kg da Next encontramos disco de freio na dianteira e traseira, sendo que, no sistema dianteiro a moto está equipada com mangueira do freio de malha de aço e regulagem no manete.  A Next 250 estará à disposição na rede de concessionárias DAFRA a partir de março, nas cores pérola, preta e vermelha.

 

Linha 2012 – Além desses importantes lançamentos, a Dafra apresentou ao público a linha 2012 dos modelos que o público já conhece.

As street Apache RTR 150 e Kansas 150, os scooters Smart 125 e Citycom 300i, as pequenas cubs Zig e Super — ambas em versões de 100 e 50 cm³ — e a moto especialmente destinada ao trabalho, a Speed Cargo.

Outro novo produto da Dafra é a DB0, bicicleta elétrica dobrável de última geração, concebida pelo famoso designer norte-americano Robert Brady. Com chassi de alumínio dobrável e com apenas 24,5 kg, é muito prática de se transportar, principalmente com o auxilio de uma alça que se forma no momento em que é dobrada, deixando todo o peso sobre a roda dianteira. Assim, pode ser transportada no metrô, no ônibus ou no porta-malas de um carro.

19 COMENTÁRIOS

  1. tenho uma speed 2009, viajo sempre com ela de sp a pirassununga , vou ao trabalho com ela todos os dias,em abril fiz uma viagem até a divisa dos estados de algoas com sergipe,naõ tive nenhum problema rodei 5252klm ,ida ,volta e por la ,geralmente quem fala mal nunca teve , e provalvemente quem teve e reclama é porque nao soube usar , hoje ela esta com quase 28.000 km e se nenhum problema
    espero poder adquir a next 250 , se nao der a minha ta otima ,acredito q nao se pode viver na mao de marcas famosas pagando caro por motos q se acham q só elas mtem qualidade,se certas pessoas gostam só de arroz e feijaõ,problema delas

  2. Que porcaria essa Dafra Roadwin carenada, que têm coragem de dizer ser uma competição direta com Ninjinha e Comet. Não tem nem comparação uma carroça de 24cv e velocidade real de 130km/h monocilíndrica com duas bi-cilíndricas com mais de 30cv e velocidade de 180km/h. Só pode ser piada…
    Tenho uma Apache e, essa sim, foi um mega lançamento da Dafra.
    A melhor pedida mesmo é a Next 250, tomara que ela entregue tudo que o consumidor deseja, e que a Riva 150 não desaponte tanto como a Speed 150 desapontou.

  3. realmente espero que esta next 250 da dafra faça sucesso pois nos estamos escravos da honda precisamos de novos produtos no mercado brasileiro so
    assim pra honda se tocar (estamos sem opçao)

    • Não seja escravo de uma CB300 que em qualquer esquina pode ser roubada, entrega pouca potência e não possui freio a disco traseiro.
      O esquema é Comet 250 GT!

  4. O que as pessoas não entendem é que há muita diferença entre fabricante de motos e montadora de motos. A dafra chegou ao Brasil como sendo uma montadora, e sim ela faz isso muito bem, tanto que a Apache e a Citycom está ai para mostrar o que fizeram de bom, já a BMW GS 650 e a MV Augusta sendo montada e não fabricada no Brasil mostra que temos mercado e que aos poucos o consumidor brasileiro está melhorando e acordando aos poucos!
    [ ]’s

  5. Tenho uma Apache e nao tenho problema nenhum, so alegria…

    Mtos amigos possuem titan mix, fan 150 esi, Factor.. qdo andam na minha, ja falam do conforto do banco e da suspensao traseira e a boa visualização do painel digital…

    Enquanto o Brasileiro nao for exigente, vai pagar 8 conto numa moto com painel analogico todo desregulado… comedia e ver cgzeiro falando q da 140kmh… no Painel analogico acho q ate correndo se consegue marcar 100 😀

    VELOCIDADE REAL e BEM DIFERENTE>

    • Disse tudo, também tenho uma Apache fez 1 ano, e realmente só alegrias. Até hj sou parado em farol e posto de gasolina perguntando sobre a moto. Nunca deu problemas, velocidade máxima 142km/h, e nunca fiquei atrás de uma CG.

  6. Tenho uma dafra speed 150 cc nao e uma moto top de linha , mas estou satisfeito com ela , ela so peca por alguns pontos negativos, tipo nao passa de 100 km /h , peças de reposiçao caras demais , ex: manete R$ 15,00 somente original , honda R$ 5,00 , nao e tao economica , mas acredito que a Dafra estara melhorando e muito com seus novos modelos, e quero sim uma moto melhor e se a nova 250 da dafra for boa claro que comprarei uma sim pois a spped tem um preço bem melhor que a honda .

  7. Muitas pessoas falam muito mal da speed e da kansas mas outras falam muito bem da apache, tomara que essa diferença de qualidade entre motos da mesma marca tenha sido um aprendizado para fabricar motos com boa qualidade, competitivas e facilidade em preço tando em reposição de peças quanto revenda.

  8. Eu não tenho nada a reclamar da marca. Muito pelo contrario. Minha primeira moto foi uma speed comprada em 2008 está ótima até hoje, com 60 mil km e motor original. Depois comprei uma apache que hoje está com 1 ano e 2 meses e parece nova. Sem sequer um único problema. Com certeza comprarei essa nova de 250cc pois tenho certeza que será coisa boa. Parabéns a dafra.

  9. é verdade.. a cb 300 ta tento varios problemas a twister tmbm ja teve varios problemas, e a yamaha teve uns problemas na fazer!.. até q sao bonitas as motos da dafra e é verdade vem crescendo bastante essa marca.

  10. Essa Next 250, se tiver bom preço de aquisição e manutenção, aliados a uma boa qualidade geral da moto, promete incomodar mesmo as tradicionais marcas. Afinal ela já tem até refrigeração líquida. Será que aos poucos está chegando a hora dos fabricantes começarem a trazer produtos decentes e parar de nos enviar “museus mecânicos/eletrônicos com carinhas bonitinhas”????

  11. Eu já vi duzias de baterias de testes, tanto com a dafra, como yamaha, como honda, a dafra vem inovando muito, baixo custo, e produtos de qualidade. e do jeito que vem evoluindo, vai abalar mesmo os sistemas estrangeiros!

  12. Vocês sao muito engraçados, fui olhar os comentários da honda cb300r edição especial, meteram o pau na moto, nao vi 1 elogio, venho aqui, a mesma coisa, vocês não tem dinheiro pra comprar, e fica falando em todo lugar: “comprei essa moto e me ferrei, bla bla bla” conversa fiada!
    vocês reclamam demais,
    saco!

  13. Tenho uma Apache desde Dezembro de 2010, posso garantir que é uma moto ótima, já tive Honda,Yamaha e Suzuki e não da para comparar, se os novos lançamentos tiverem a mesma qualidade da Apache, as que dominam o mercado(Honda,Yamaha e Suzuki) terão dificuldade em conter o crescimento da Dafra.

  14. Que bom saber que a Dafra é uma marca brasileira e está crescendo no mercado. O Brasil precisa de grandes marcas para se destacar no mundo.Tomara que no futuro a Dafra não caia na tentação de ser vendida a algum grupo estrangeiro, como vem acontecendo infelizmente, com outras empresas importantes do Brasil.

  15. Nao tem moto melhor que a Honda…Pois comprei uma moto Speed 150, foi o pior investimento, moto ruim, mao de obra cara, pecas caras e o valor de venda apos o financiamento e pior de que uma jog.
    yamaha tambem deixa a desejar, as pecas de reposicao sao carissimas, ao ponto de um adesivo da XT 225 custar mais de R$ 200,00.
    Ja tive quatro hondas, nada melhor do que uma moto que voce confie.

    • E desde quando moto/carro é INVESTIMENTO??????

      E tenho vários amigos e conhecidos que tem moto 125/150 de outras marcas que tiveram problema! Mas isso é fácil de diagnosticar: o cara pega uma 150 achando que é uma 1000cc!
      Daí passa dando pau todo o tempo! Não tem junta e peça que se aguente!

  16. Com produtos de qualidade, Dafra quer roubar mercado das tradicionais marcas japonesas.

    É muito bonita esta moto 250 da Drafa mas é dificil acreditar em “Com produtos de qualidade”. Ja sofri muito com esta marca.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


5 × nove =