Cinco atitudes que fazem você perder a garantia da sua moto nova

0
2284

Além de não realizar as revisões no prazo determinado, outras ações permitem ao fabricante cancelar a garantia; conheça

Um dos principais atrativos ao comprar uma moto “zero quilômetro” é a garantia oferecida pelo fabricante. Graças a ela o consumidor está coberto em caso de problemas de fabricação ou peças defeituosas. Honda e Yamaha oferecem três anos de garantia, sem limite de quilometragem e, em alguns modelos como a XTZ 250 Lander ABS, a garantia chega a quatro anos.

Além da extensão da garantia, a quilometragem limite para realizar as revisões na concessionária também varia de modelo para modelo. A melhor fonte para se informar nesse caso é o Manual do Proprietário.

O Manual também informa as condições da garantia e os casos em que ela pode ser cancelada. Muita gente não sabe que, se a moto participar de competições, transportar peso excessivo ou mesmo receber determinados acessórios, a garantia pode não valer mais. Veja alguns exemplos de atitudes que podem fazer você perder a garantia da sua moto nova.

1 – Revisões no prazo

A revisão por quilometragem percorrida pode ser 10% a mais ou a menos, ou seja: a revisão de 1.000 km pode ser feita aos 900 ou aos 1.100 km. Já a revisão de 6.000 km pode ser feita dos 5.400 km até os 6.600. Acima disso, a tolerância é de 600 km para todas as revisões. Além dos limites de quilometragem, o fabricante estipula prazo para as revisões. Muita gente faz a primeira revisão (de 1.000 km) e, como usa pouco sua moto, se esquece de fazer a revisão de 6.000 km no período estipulado.

As tolerâncias são curtas e as concessionárias não têm a obrigação de avisar ao cliente que o prazo de revisão está chegando ao fim. Ou seja, fique atento, se perder o prazo perdeu a garantia. Alterar o hodômetro também é motivo para perder a garantia da sua moto.

2 – Disputar competições

Participar de competições ou demonstrações também cancela automaticamente a garantia da moto. Se o concessionário perceber, por meio de desgastes de componentes, que houve uma pilotagem excessivamente agressiva ou a prática de manobras do tipo wheeling ou RL, por exemplo, a garantia também pode ser cancelada. Transportar carga além do limite da moto ou puxar reboque também são motivos que cancelam a garantia.

3 – Fique longe da água

Atravessar enchentes, alagamentos ou transitar pela praia podem causar problemas e deixam marcas na moto. Se a concessionária notar que a moto está com defeito por conta desse tipo de situação ou foi atacada pela maresia, por exposição à água salgada, a garantia também pode ser cancelada. O mesmo procedimento é adotado caso a moto seja lavada com jato de alta pressão ou com o uso de produtos químicos abrasivos.

4 – Rede credenciada

Todos os serviços mecânicos devem ser feitos na concessionária, por isso alguns parafusos são marcados para conferência posterior. Se as marcas estiverem violadas o fabricante cancela a garantia. Outro detalhe, se retirar a peça defeituosa e levar na concessionária a garantia também não terá mais validade. Em caso de defeito ou problema na moto nova, ela deve ser levada à concessionária. Não tente “fuçar” na sua moto, pelo menos enquanto ela for zero e estiver na garantia.

5 – Acessórios

Instalar acessórios como faróis de milha, lâmpada de LED e alarmes podem levar a perda de garantia da moto. No Manual da Yamaha, por exemplo, o fabricante alerta que até mesmo acessórios instalados na própria concessionária podem cancelar a garantia. Por falar em itens elétricos, a Honda informa que a bateria tem um ano de garantia, já a Yamaha oferece 90 dias para o mesmo componente.

TEXTO: Cicero Lima / INFOMOTO
FOTOS: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


3 + = quatro