CEF e PanAmericano vão oferecer linha de crédito para motos

0
407
Motos

Motos
Foto: Reprodução/ANTARA/Noveradika

Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco PanAmericano irão realizar uma parceria para oferecer uma linha de crédito específica para compradores de motocicletas, chamada  ‘Melhor de Moto Nova'. A informação foi dada pelo diretor executivo da ABRACICLO (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), José Eduardo Gonçalves. De acordo com a instituição, esta medida pode motivar outras instituições financeiras a também oferecerem planos de financiamento, que atendam às atuais necessidades dos consumidores, e contribuir para a retomada dos negócios com motocicletas.

Recentemente o Banco Central (BC) aprovar uma medida chamada Circular 3.609, que reduziu a alíquota do compulsório sobre depósitos à vista e a prazo e permitiu aos bancos reduzirem deste compulsório o saldo das operações para financiamento e arrendamento mercantil de motocicletas. Em outras palavras, o BC “barateou” o financiamento deste tipo de veículos para o sistema financeiro, tornando o produto tão vantajoso como o financiamento de carros.

De acordo com um levantamento realizado pela instituição, o segmento nas vendas de motocicletas permanece em queda, comparado com o mesmo período do ano passado.  Para a entidade, uma mas maiores causas desta queda é a dificuldade de crédito por meio das instituições financeiras, de acordo Gonçalves, somente 17% dos créditos são aprovados na compra de motocicletas.

“Se forem oferecidas novas linhas de crédito, as classes C, D e E, que necessitam de parcelamento para aquisição de um veículo e correspondem a cerca de 85% das vendas, novamente terão acesso a uma motocicleta. Medidas como redução da tarifa de abertura de crédito, financiamento de até 100% do veículo, ou seja, sem entrada ou esta com baixo valor, e prazos mais longos para pagamento podem atrair novos consumidores e auxiliar na recuperação do mercado de motocicletas”, comentou Gonçalves.

A entidade afirma que há uma retração dos negócios no varejo. Segundo dados da associação, de janeiro a setembro deste ano, foram licenciadas 1.242.891 motocicletas, que representa uma queda de 13,3% em relação ao período de 2011, quando foram emplacados 1.434.322 veículos. Ao comparar as vendas de setembro de 2012 com o mesmo mês do ano passado, a redução foi de 33,9%, com 115.269 unidades contra 174.487. Em relação a agosto, quando foram emplacadas 140.620 motocicletas, houve recuo de 18%.

A queda nas vendas do atacado afetam principalmente o varejo, que, segundo a entidade, de janeiro a setembro foram produzidas 1.352.753 unidades, contra 1.644.099 unidades de igual período de 2011, registrando uma queda de 17,7%. Na comparação entre setembro deste ano e o mesmo mês de 2011, a retração foi de 30,2%, com 130.942 motocicletas ante 187.475. A produção mensal foi 26,5% inferior à de agosto, com 178.084 unidades.

As vendas no atacado, no acumulado do ano, ficaram 18,5% abaixo das registradas em igual período de 2011, com 1.283.929 motocicletas contra 1.576.114. Entre setembro de 2012 e o mesmo mês do ano passado, a redução foi de 27,4%, totalizando 129.011 unidades ante 177.668 unidades. Se comparado a agosto, quando foram comercializadas 170.868 motocicletas, o volume de vendas de setembro foi 24,5% menor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


nove × = 36