Ceará é um dos estados mais perigosos para se pilotar

0
77

Fizemos uma pesquisa nos sites do Detran (Departamento de Trânsito) de todos os Estados brasileiros para descobrir qual região tem o trânsito mais agressivo e com isso identificar o local com maior número de mortes de motociclistas. Em alguns casos, conseguimos dados atualizados, em outros as informações mais recentes datam de 2005 e em outros nem disponibilizam estas estatísticas.

No topo do violento ranking ficou o Ceará. O estado somou 761 mortes de motociclistas em 2011. Mas o que mais impressiona é a evolução do número de óbitos, sempre crescente na última década. No ano de 2002, o trânsito cearense contabilizou 258 mortes. Isto representa um aumento de 195% nos últimos nove anos. Mas esse índice ainda é inferior ao crescimento da frota de duas rodas no mesmo período. Em 2002, o Estado contava com 240 mil motos. Esse número aumentou 291% em 2011, quando passou para 937.947 unidades. Isto significa, uma moto para cada nove habitantes. Este total garante ao Ceará o título de Estado nordestino com o maior número de motos e a 5ª maior frota do país (ficando atrás somente de São Paulo,  Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná).

A medalha da prata de estado mais perigoso ficou o com Rio Grande do Sul. O site do Detran do-RS não disponibiliza o dado do último ano, mas sim um apanhado entre 2007 a 2011. Neste período foram registradas 9.708 mortes provenientes de acidentes de trânsito. Do total, 2.309 foram de motociclistas. Isto significa 24% de todas as fatalidades, ou seja, uma em cada quatro pessoas que perderam a vida pilotavam motos. Se fizermos uma média desse número, chegaremos a algo próximo a 577 mortes por ano, o que garante o segundo lugar ao estado gaúcho.

Bem desatualizado segue o terceiro lugar. O último dado disponibilizado pelo Detran de Mato Grosso do Sul é de 2005. No ano, foram registradas 181 vítimas fatais. Destas, 74 foram de motociclistas. Ou seja, 41% de todas as mortes contabilizadas.

Minas Gerais não disponibiliza as informações do Estado, mas somente da Capital. Em 2005, Belo Horizonte somou 6.854 acidentes envolvendo motos, que resultaram em 51 mortes.

No pequeno Estado de Sergipe, com população de 2.036.277 conforme a última contagem do censo, as mortes no trânsito lhe renderam o quinto lugar. O ano de 2011 registrou 109 acidentes fatais, sendo que 37 envolveram motociclistas.

Mais um Estado da região nordeste segue na lista. Rio Grande do Norte totalizou, em 2008, 66 mortes nas estradas. Contudo, não informa o percentual deste número que envolveu pilotos de motos. O site do Detran-RN oferece uma informação interessante para os moradores de Natal. É possível visualizar em mapas da cidade o ponto exato onde cada um dos acidentes foi registrado. Infelizmente esta ferramenta também não discrimina o tipo de veículo envolvido.

Por fim, Vitória, capital do Espírito Santo, apresentou dados totais de acidentes de trânsito em 2009. O ano registrou 3.287 casos. Deste total, 1.203 envolveram motocicletas, ou seja, 36,6%. O órgão estatal não revela o número de óbitos.

Os Detrans de Estados mais populosos como São Paulo e Rio de Janeiro não disponibilizam em seus sites os números das mortes no trânsito. Por isso não constam na pesquisa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


cinco − = 0