BMW S 1000 RR: um fruto da evolução na versão 2015

0
704

BMW S 1000 RR  2015: potência e leveza para os track-days em autódromos e facilidade de uso em ruas normais foram os pontos cobertos pela BMW ao lançar a nova geração da superesportiva S 1000RR 2015. Certamente uma máquina poderosa, que já tem deixado seu registro marcante desde seu surgimento.

BMW_S1000RR_15

Adaptado: Agência Infomoto/ Texto Carlos Bazela
Fotos Divulgação/Best Riders

S1000RR

BMW S 1000 RR: um fruto da evolução na versão 2015

No design da versão 2015, percebemos que a moto mudou consideravelmente. Nada tão radical que comprometesse sua identidade, mas vemos que a superbike passou por sua primeira grande transformação visual desde seu surgimento em 2009, começando pelos faróis assimétricos. O  traço marcante da S 1000RR foi mantido, mas ganhou novo desenho, tendo uma das lentes mais oval e a outra mais alongada.

As linhas da carenagem ganharam vincos e combinam melhor com as “guelras de tubarão” do lado direito, mantidas da geração anterior. Já na rabeta, destaque para uma lanterna mais larga e para o novo escape, feito com desenho poligonal e com acabamento mais refinado em relação ao da antiga S 1000RR. A peça é ainda mais leve e pesa 3 kg a menos do que o cano arredondado que equipava a superesportiva anteriormente.

entradas_tubarao
As entradas de ar que parecem “guelras de tubarão também foram mantidas no modelo 2015”

Se as alterações estéticas foram modestas demais para causar impacto, a BMW assegura que, por baixo da carenagem, a conversa é outra. Começa pelo motor. O quatro cilindros em linha de 999 cm³ agora é capaz de chegar a 199 cv de potência máxima a 13.500 rpm, um ganho de seis cavalos se comparado à antiga geração. Agora o modelo oferece uma boa relação peso-potência, já que a moto agora pesa menos: 204 kg em ordem de marcha. O torque também aumentou levemente e atinge os 11,5 kgf.m a 10.500 giros. Todavia, segundo a fabricante alemã, outra novidade é o fato do propulsor oferecer mais força na faixa das 5.000 rpm para deixá-la mais amigável e fazer com que o piloto se sinta no controle mesmo sem levar a moto ao limite o tempo todo.

Conforme a BMW, o aumento da potência e do torque é devido ao novo desenho das cabeças dos cilindros e às novas válvulas de admissão e escape. Colaboram também o refinamento do acelerador eletrônico (ride-by-wire) e uma nova caixa de ar, maior, alimentada pela grande abertura frontal entre os faróis.

s_1000rr_potencia

O pacote Premium, no qual a moto é vendida no Brasil, ainda traz uma novidade bem-vinda para o câmbio de seis velocidades. O sistema eletronicamente assistido (quickshift) agora também oferece a possibilidade de reduzir as marchas sem precisar acionar o manete da embreagem. Antes, isso estava disponível apenas para subir as marchas.

cambio
O câmbio assistido quickshift permite agora “descer” as marchas sem apertar a embreagem

A S 1000RR 2015 ainda conta com novo quadro em alumínio. Mais leve, a estrutura com geometria redesenhada mescla rigidez e flexibilidade para oferecer, segundo a BMW, mais estabilidade. Tudo isso fez com que a moto “emagrecesse” quatro quilos. Outra novidade é a adição da versão atualizada da suspensão semi-ativa DDC (Dynamic Damping Control). Antes exclusivo da S 1000 RR HP4 – descontinuada nessa nova geração – o sistema ajusta automaticamente os amortecedores de acordo com as condições do piso.

s1000rr_importada
Apresentada na última edição do Salão de Colônia, a S 1000RR chega o País importada

Os freios dianteiros consistem em dois discos flutuantes de 320 mm de diâmetro, mordidos por pinças radiais de quatro pistões. Já na traseira, o responsável pela frenagem é um disco de 220 mm de diâmetro com pinça de pistão único. Ambas as rodas são auxiliadas pelo sistema Race ABS, que pode ser desligado e, dependendo do modo de pilotagem escolhido fica menos intrusivo em prol da esportividade.

Eletrônica, aliás, é o que não falta na nova S 1000RR. Além de contar com manoplas aquecidas, controle de tração (DTC) ajustável em sete níveis, o Race ABS e a suspensão DDC, o modelo estreia a função “piloto automático”. Assim como nos carros, o dispositivo impede que a moto ultrapasse uma velocidade pré-estabelecida, evitando conduções inseguras e multas por velocidade excessiva. O “cardápio” ainda inclui três modos de pilotagem de série e outros dois disponíveis como opcionais no pacote Pro, que prometem deixar a moto ainda mais agressiva nas pistas e mais dócil fora delas.

race_abs
A S 1000RR 2015 conta agora com o sistema Race ABS, que pode ser desligado em prol da esportividade

É certo que a moto é uma paixão da equipe Best Riders. Em todas as suas versões e modelos, somos cativados pela expressão dessa poderosa superbike e temos um pouco da sua revolucionária conosco. Na verdade,  o que temos mesmo é bem mais que fotos, temos mesmo é as motos, que você poderá conferir clicando na imagem abaixo:

s1000_loja

>>Visite a nossa loja de motos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


+ 8 = dezessete