BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

Testes, Video Teste

Com a qualidade e status típicos de uma BMW, a naked F 800 R chega ao mercado com preço de… adivinhou,  Honda Hornet. E agora, com qual ficar?

 

F800 x Hornet BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

Por Gabriel Berardi Fotos Felipe Cunha e Marcos Brasil/Motore Produtora

Depois da  G 650 GS montada em Manaus ter aproximado a até então “inacessível” marca alemã dos consumidores dispostos a gastar até R$ 30 000 em uma trail, a BMW começou a vender neste mês o segundo modelo beneficiado por sua parceria com a Dafra.

Desta vez, a escolhida foi a naked média  F 800 R, que teve seu preço reduzido de R$ 51 900 para 36 900! Uma notícia muito comemorada pelos fãs das motos “nuas”.

Mas será que, mesmo com um preço muito mais competitivo e equivalente ao de suas principais rivais, a moto alemã tem credenciais suficientes para ameaçar a líder? É o que vamos analisar a partir de agora, começando pelo design.

Dizem que gosto não se discute, se lamenta. Contudo, independentemente de você optar pela Hornet ou da F 800, garantimos que ninguém vai se envergonhar de andar com você. Eu sei que é algo subjetivo, mas como estamos entre amigos, mesmo assim eu vou dar minha opinião sobre o design das motos:

duas 610 BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

Pessoalmente, acho a Hornet linda do tanque pra frente, mas não me acostumo com a traseira. Tenho a sensação de que falta uma peça entre o banco e a rabeta. A lanterna traseira, com cara de triste e ladeada com dois enormes piscas também não me convenceu até hoje. Vale lembrar que, ainda que a marca não confirme, uma nova Hornet deve pintar por aí em breve.

Já na BMW é o contrário, não acho a frente tão atraente (na verdade, acho feia), contudo, gosto muito do visual da lateral e traseira. Se bem que uma lanterna mais moderna (poderia ser com LED) e um escape mais discreto (em tamanho, não em som!) cairiam bem nessa manauara com passaporte alemão.

De qualquer maneira, até por não serem vistas com tanta frequência, são motos que chamam muita atenção nas ruas, portanto, prepare-se para responder uma enxurrada de perguntas a cada parada para abastecer (o tanque da Honda tem 3 litros a mais de capacidade) e muitos olhares em tua direção a cada semáforo vermelho que você parar.

farol1 BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

Dois estilos bem diferentes. A parte mais polêmica na BMW é a dianteira...

traseira lanterna BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

...enquanto o que não agrada tanto na Hornet é a traseira. Os piscas da Honda destoam do conjunto

Quando olhamos os detalhes de cada moto com mais atenção, notamos que o ótimo conceito da marca alemã em acabamento não é à toa. Ainda que possa ser considerada uma das motos de entrada da BMW (e, consequentemente, uma das mais simples), a F 800 R apresenta arremates caprichados — e o fato da moto passar a ser montada em Manaus não mudou isso em absoluto. Se colocarmos uma F 800 alemã e uma “brasileira” lado a lado, não há como saber qual é qual.

A Hornet está longe de ser uma moto mal acabada, contudo, deixa a desejar em alguns detalhes quando comparada à rival. O guidão muito simples e a falta de cuidado no acabamento do tanque (com parafusos de fixação aparentes) são um exemplo disso. Contudo, repito, nada que desqualifique a tetracilíndrica da Honda.

Pelos equipamentos que cada uma das motos oferece, começamos a ter uma boa ideia do público alvo que elas objetivam. Com tomada 12 V para acessórios, computador de bordo e um ajuste muito mais prático para a suspensão traseira (que, de tão funcional, deveria ser item de série em todas as motos), a “F” nitidamente privilegia os itens de conveniência e conforto.

reg e suspensão traseira1 BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

O exclusivo ajuste da suspensão traseira da BMW é um diferencial muito útil no dia a dia

Diferentemente da concorrente, a Hornet não traz nenhum acessório que vá tornar seu convívio com ela mais agradável no dia a dia, entretanto, oferece ao seu proprietário algumas soluções técnicas mais eficientes, como a suspensão dianteira invertida e o exclusivo C-ABS.

Apesar de não faltar informação e da excelente iluminação alaranjada (que ajusta sua intensidade automaticamente), a leitura do painel da BMW não é boa. Tudo certo com o visor digital à direita, mas o velocímetro — ainda analógico — tem números muito pequenos e uma agulha muito curta para indicar velocidades abaixo de 80 km/h. No conta-giros, o que mais atrapalha a leitura é o fundo confuso, que mistura branco, cinza, preto e vermelho em um espaço também pequeno.

Com velocímetro digital e um conta-giros de bom tamanho, em matéria de visualização o painel da Hornet é muito superior ao da F 800. Na Honda, além do computador de bordo, sentimos falta apenas de um útil indicador de marchas.

No fim das contas, mesmo que na viagem da Alemanha até Manaus a BMW tenha perdido as manoplas aquecidas, quando olhamos o que cada uma oferece pelo preço cobrado, temos a sensação de que a outrora inviável F 800 R inverteu o jogo e, agora, parece que a Hornet ficou cara, especialmente se considerarmos a quantidade de motos que a Honda produz e que a BMW é apenas montada em Manaus, não produzida.

painel opção 1 BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

O painel da F 800 é mais completo, mas o da Hornet ganha na facilidade de leitura

Como boas naked de temperamento esportivo, ao mesmo tempo em que conforto não é a prioridade nº 1 destas motos, ele também não é deixado totalmente de lado.

Em ambas, a posição de pilotagem não permite deixar as costas tão retas como em uma touring ou trail, entretanto, elas estão muito longe das desconfortáveis e claustrofóbicas esportivas. Nenhuma delas nos obriga a encostar o umbigo no tanque ou usar cueca acolchoada, pelo contrário, mesmo depois de várias centenas de quilômetros rodados, em nenhum momento sentimos os punhos, braços ou pernas sobrecarregados.

Ambas contam com bons assentos em dois níveis para o piloto e garupa, mas parece que nosso traseiro tem mais autonomia de viagem quando está apoiado na espuma BMW. Maior e mais anatômico, quem andar na tua garupa também vai preferir o banco da alemã. As pedaleiras traseiras e as alças de apoio estão bem posicionadas nas duas motos.

O fator que não deixa classificar estas duas naked como “muito confortáveis” são as suspensões, que com uma calibragem razoavelmente dura e sem muito curso, não conseguem absorver boa parte das imperfeições de nosso bizarro asfalto e, assim, acabam transferindo alguns solavancos para os ocupantes da moto.

Só com piloto, a Hornet mostrou-se mais macia que a rival, mas com duas pessoas, a 800 saiu-se melhor. No fim das contas, podemos dizer que as duas são bastante similares em matéria de conforto, mas a BMW mostrou-se um pouco melhor para pessoas altas e, principalmente, para quem anda frequentemente com um passageiro.

banco e bocal BMW BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

Mais largo e anatômico, o assento da BMW ganha em conforto. O tanque fica ali embaixo, mas comporta apenas 16 litros. Com 19 litros e menor consumo, a Hornet tem mais autonomia

Voltando a falar de equipamentos, lembrei que a BMW ainda traz de série um item que a japonesa não tem: o amortecedor de direção.

O problema é que, no caso da F 800 R, a presença desse acessório é mais um “remédio” do que propriamente um diferencial para melhorar seu comportamento. Tanto é que, mesmo com esse recurso — raro de encontrar em motos dessa categoria —, a naked alemã fica atrás da Honda quando colocamos na balança o comportamento e estabilidade.

As duas motos permitem levar a diversão em uma estrada sinuosa muito além dos limites legais com absoluta segurança e competência, no entanto, enquanto a Hornet deita mais rápido que cachorro adestrado e mostra uma neutralidade e leveza ímpar em sequencias de curvas, a BMW exige um pouco mais de mão-de-obra do piloto.

Com a Honda, basta definir a trajetória que ela faz o resto, sempre estável, sólida e sem movimentos indesejáveis. Já com a BMW é diferente, ela é mais “teimosa” e não obedece tão rapidamente nossas ordens. Em asfalto liso e plano, esse comportamento é quase imperceptível, mas basta pegar estradas com irregularidades e ondulações para que a frente da alemã comece a reclamar. Na mesma situação, a Hornet, como se andasse sobre trilhos, segue incólume e transmite muito mais confiança ao felizardo que estiver ao seu guidão.

Não tem jeito, quem anda com a F 800 pela primeira vez estranha suas reações no início, contudo, como disse algumas linhas atrás, apesar desse comportamento não ser muito agradável, ele não afeta em absolutamente nada a segurança e controle da motocicleta. Exige apenas um período de adaptação maior que o da Hornet, que, como legítima portadora do DNA Honda, deixa-nos tão à vontade que parece que foi nossa a vida inteira.

exclusividades BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

Exclusividades de cada uma. Amortecedor de direção na BMW e bengalas invertidas na Honda

Interessante dizer que a distância entre eixos é quase 10 cm menor na Hornet, o que contribui ainda mais para a agilidade da moto nas mudanças rápidas de direção. Por falar em curvas, vale destacar que ambos os pneus são muito bons e toleram com certa folga os quase 100 cv de cada uma, mas, entre os dois, gostamos mais do Metzeler Sportec M5 da BMW (Bridgestone BT 012 na Hornet), especialmente pela aderência superior com pista molhada.

Na hora de puxar a rédea dessa cavalaria tão bem disposta, não se preocupe. As duas motos estão muito bem dotadas quando o assunto são freios. Com dois discos de grande diâmetro na frente, o poder de frenagem que temos à nossa disposição no manete direito é excelente. Com ótimo tato e fáceis de dosar, mesmo em frenagens mais fortes o comportamento de ambas é sempre previsível. As duas são boas, mas a resposta mais imediata da Hornet me agradou mais.

Exclusividade da Honda é o sistema C-ABS (“C” de Combined), que aciona um dos três pistões da pinça dianteira sempre que o piloto pisar no pedal do freio traseiro. Particularmente, não gosto que o freio dianteiro atue sem que eu queira, mas reconheço sua grande utilidade em uma país em que as moto-escolas ensinam a NÃO usar o freio dianteiro….o cúmulo do absurdo.

Apesar de cumprir bem a sua função, o ABS da F 800 não consegue a mesma eficiência e resposta do irrepreensível sistema anti-travamento usado pela Honda.

Muitas vezes sentimos que ele entra em ação precocemente na BMW (o mesmo acontece em toda a linha “F” e “R” da marca), contudo, ainda assim, concordo com o meu amigo Laner Azevedo — jornalista de primeira e maníaco por motocicletas —, que certa vez escreveu que depois da roda, a melhor invenção do homem foi o ABS. Assino embaixo.

Roda e freio diant. BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

Ótimos freios nas duas, mas com tato melhor e um ABS mais moderno na Hornet

Se antes de andar nas motos, você decidir a sua compra apenas olhando as fichas técnicas, você vai ter a ilusão de que a diferença de motorização entre elas é muito maior do que efetivamente é na prática, ou pior, que a Hornet é “mais forte” que a F 800 R.

De um lado, você encontrará um motor de quatro cilindros, com 600 cm³ (versão amansada daquele utilizado pela CBR 600 RR 2007), com pouco mais de 100 cv e que mostra o que tem de melhor quando andamos entre 10 000 e 12 000 rotações, sua faixa ideal de utilização. Uma típica sport-naked japonesa.

Do outro, encontramos uma bicilíndrica europeia (teoricamente) mais comportada. A cilindrada é maior, são exatos 798 cm³, mas a potência declarada cai para 87 cv e a faixa vermelha do conta-giros já começa em 8 500 rpm. Aliás, para quem não sabe, o motor da F 800 R (que também é utilizado nas trail F 650/800 GS) é fabricado pela Rotax, na Alemanha, onde é conhecido como “Type 804”.

Sim, concordo que os números da Hornet são mais atraentes à primeira vista, mas saiba que, na prática, diferença entre elas é menor do que as fichas técnicas podem nos levar a crer. Veja só os números reais que obtivemos no dinamômetro (no virabrequim):

motor 2 ou 4 cil.1 BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

Qual você prefere, o versátil e delicioso bicilíndrico da BMW ou o esportivo e alucinante "tetra" da Honda?

BMW F 800 R – 90,3 cv a 8 925 rpm (85,1 na roda) e 8,5 kgfm a 6 225 rpm.

Honda Hornet – 99,6 cv a 12 450 rpm (93,2 na roda) e 6,2 kgfm a 10 200 rpm

Como bom motociclista, você sabe que a forma como toda essa potência e torque se apresentam é muito mais importante que a frieza dos números divulgados nos sites das marcas ou aqueles alcançados no dinamômetro… Ufa!, finalmente chegamos ao ponto que queria abordar desde o começo deste comparativo.

Na minha opinião, são as características e o comportamento destes dois motores tão diferentes o fator que deve ter mais peso na decisão de compra. Simplesmente porque, até agora, a diferença entre uma e outra é muito pequena…mas quando falamos de motor, a coisa muda de figura.

As duas são muito rápidas e o desempenho puro (acelerações e velocidade máxima) é semelhante; o que muda radicalmente é a forma como todo esse desempenho chega até nós e, claro, as sensações que nós temos.

Tão competente na cidade quanto na estrada, o bicilíndrico da BMW não esconde o jogo e mostra suas melhores cartas logo de cara. Em trechos urbanos, já a partir de 2 000 rpm (!), basta girar um pouco o acelerador para que, quase instantaneamente, o delicioso ronco do escape fique ainda mais encorpado e nosso corpo seja jogado para a frente. Uma resposta forte, mas não violenta, que garante retomadas imediatas e, consequentemente, muita agilidade no dia a dia.

Se sobre torque na cidade, também não falta potência fora dela — especialmente quando mantemos o conta-giros entre 5 000 e 8 000 rpm —, tanto que, para surpresa de muitos, a F 800 R  mostrou que fala alto e anda junto com a Hornet na estrada.

bmw 6001 BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

Em viagens, graças ao câmbio de relações longas, pode-se explorar bem a elasticidade e o fabuloso poder de retomada deste motor 800, praticamente esquecendo o câmbio na sexta marcha. A vibração, sentida principalmente na estrada, é sensivelmente maior na BMW. Nesse sentido, os propulsores quatro em linha seguem imbatíveis.

Além da maior vibração, o efeito colateral desse comportamento mais explosivo do Rotax é sentido quando somos obrigados a trafegar em primeira marcha a baixa velocidade. Em situações assim, para evitar reações bruscas, é necessário trabalhar bem com a embreagem e o acelerador no momento de andar entre carros parados, em um corredor mais estreito, por exemplo.

Nessas condições, além de ter comandos mais suaves e um acelerador mais fácil de dosar, a Hornet vai melhor que a F 800 por ser consideravelmente mais estreita que a rival (exatamente 14 cm), uma diferença significativa para quem pretende encarar congestionamentos diariamente.

Ao priorizar a esportividade em altos giros, a naked da Honda deixa um pouco a desejar na cidade simplesmente porque lhe falta agilidade, principalmente quando comparada à espetacular dinâmica da F 800. Como o motor “tetra” só acorda acima de 6 000 rpm, no dia a dia temos a sensação de que ela é mais pesada, o que não é verdade já as duas pesam, a seco, os mesmos 177 kg. Para ter uma ideia da diferença, enquanto a 4 000 rpm a BMW já disponibiliza mais de 6,0 kgfm de força, a Hornet só chega a esse valor quando atinge 10 200 rotações! E como na cidade quem manda é a curva de torque…

Contudo, basta colocar a até então pacata Hornet em uma estrada, de preferência com muitas curvas, para que ela se revele. É o momento da transformação do Clark Kent em Super-Homem.

hornet 6002 BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

Esta naked da Honda é feita sob medida para quem sente prazer em ver uma boa mecânica trabalhando, gosta de usar o câmbio para manter o ponteiro do conta-giros lá em cima e, com uma perfeita sincronia entre mãos e pé a cada troca de marcha, ouvir (e sentir!) o escape gritando a melodia insuperável de um bom motor quatro cilindros. Em outras palavras, uma moto para quem gosta de vestir a máquina e, literalmente, pilotar. Pense que, a 8 900 rpm, rotação em que o motor Rotax corta, a Hornet ainda está começando a dar aquela orgástica “estilingada”, que começa em 9 000 e vai até 13 000 giros.

Conclusão:

Elas são motos de propostas bem diferentes, mas não adianta ser um teórico xiita e negar o óbvio: no Brasil, elas são concorrentes diretas sim!

Olhando friamente, a Hornet é, tecnicamente, mais moto: vem como um motorzão de quatro cilindros, um chassi mais moderno e suspensões mais eficientes.  Já a F 800 R é mais confortável, bem equipada e aposta na versatilidade, comportando-se muito melhor na cidade e andando tão bem quanto a Hornet na estrada. Claro, isso sem falar no status que ela traz ao proprietário.

Se além do que cada uma entrega como motocicleta (desempenho, sensações ao pilotar, versatilidade, etc), questões como assistência técnica, custo de manutenção e seguro também são importantes para você, vamos às contas.

A Hornet ganha tanto na gigantesca rede de assistência Honda e suas mais de 700 concessionárias — contra apenas 15 da BMW — quanto no custo da cesta de peças pesquisada: R$ 2 712,31 para a F 800 R e R$ 1 716,00 para a CB,  ainda que peças de substituição frequente, como filtro de ar e óleo, sejam mais baratas para a 800 R.

Só que, quando o preço do seguro entra na jogada… meu amigo, a moto de origem alemã nocauteia a rival japonesa e, em muitos casos, decide de uma vez a disputa a seu favor.

De acordo com a corretora pesquisada, enquanto o seguro total de uma F 800 R custa, em média R$ 1 300, o da Hornet, no mesmo perfil, não sai por menos de R$ 11 000. Um verdadeiro disparate, mas algo que não pode ser desprezado, especialmente por quem roda pelas grandes metrópoles brasileiras.

E aí, qual seria a tua escolha entre estas duas apaixonantes motocicletas?

Gabriel Berardi utilizou capacete Arai (RX7), calça (Panic), jaqueta (Mojave) e bota (Targa Florio) da SBK.

Agradecimento: Pedrinho Despachante e Seguros. (11) 3683-0120

BMW f800 x Hornet BMW F 800 R x Honda CB 600F Hornet

47 comments

  1. Simplesmente sensacional!!! Entrei no site de vocês pelo twitter e achei um tesão. Parabéns pelo site e pelo bom humor e clareza dos vídeos! Virei fã de vocês

    Responder
  2. uahuahhau muito legal o video.
    A matéria ficou show. Eu ficaria com a BMW, pelo fator ‘razão’. Ter uma motocicleta de média e alta cilindrada no Brasil e não pagar seguro é algo muitíssimo arriscado. E como foi retratado no video, os valores cobrados pelas seguradoras no seguro da Hornet é algo inviável. Gosto muito das minhas calças para ter que me desfazer delas.

    Dica: Seria muito bom vocês disponibilizarem imagens com uma resolução que pudessem ser usada como papel de parede, visto que todas as fotos de matérias realizadas por vocês são de uma qualidade muito boa.

    Responder
  3. Caramba muito bom o video, serio mesmo muito bem feito e os making of haha muito comico, a reportagem em si ta bem detalhada, a equipe esta de parabéns e o materia escrita otima, juro que seu eu tivesse grana levava a BM haha abraço a tds

    Responder
  4. Este “Site” com suas matérias e vídeos…é sob medida para os apaixonados por M O T O.

    Responder
  5. Haha! Excelente o vídeo!

    Responder
  6. Excelente a maneira de apresentação das motos e de um comparativo !!! 10 mesmo !!!

    Responder
  7. Excelente matéria e ótimo comparativo, parabéns!

    Gostei muito da maneira que vocês desenvolveram a comparação item a item, e não discorrendo e elogiando uma e só depois passarem as impressões da outra.
    E é muito bom ler vocês se posicionando: “aqui a alemã é melhor; já ali a japonesa é melhor”, e principalmente, mostrarem o que poderia ser melhor em cada uma delas – que os fabricantes leiam!

    E sensacional o vídeo, muito bem-humorado – que certamente vai de encontro ao público motociclista, leve, porém objetivo e MUITO bem executado! E quem não gosta de “making of”?! ;-)

    Sempre por aqui, cada vez mais assíduo!

    Responder
  8. FIcaria com a BWM com certeza!

    Responder
  9. O melhor comparativo de motos que já li. Parabéns !!!!
    O item VIBRAÇÃO foi o que eu mais me interessei. Entre as duas, com certeza optaria pela BM, por causa do preço do seguro e pelo pós-venda BMW, imbatível.
    Leoclima.

    Responder
  10. Para mim não tem comparação, hornet sem dúvida!

    Responder
  11. SHOOOOOW!

    Responder
  12. Cada dia melhor…shooow!!!

    Responder
  13. kkkk
    video legal d+
    tras as informacoes das motos e bem humorado.
    mto parabens a todos…

    Responder
  14. meu!! sensacional.. nunk vi uma materia tao completa … nunca postei… mas vez fiz questao …. tao mais q de parabens.. site ja esta favorito.. continuem com mais mateiras … VLW

    Responder
  15. O comparativo ficou show,
    Para o teatrinho dou nota 5,
    Já as pernas do Pablo Berardi serão algo que me trará pesadelos por anos…

    Responder
  16. Cara, parabéns! Além do conteúdo ótimo, a idéia do “making of” ficou 10… Excelente mesmo! Cada dia melhor!

    Abrax,

    Roberto

    Responder
  17. Po, legal pra caramba, bom humor com informação.

    Responder
  18. opa, vocês podem me tirar uma dúvida? se o tanque da F800R fica abaixo do banco, o que está debaixo dessa casca onde normalmente ficaria o tanque de gasolina? filtro da ar, ECU, bateria?

    Responder
    • Olá, de Abreu. Sob o “tanque” fica a caixa do filtro de ar da BMW, além de outros componentes elétricos.
      Abraços,

      Responder
  19. Pessoal, parabéns! Excelente matéria.

    Responder
  20. Boa técnica com humor é tudo que o brasileiro gosta.

    Acertaram na receita. Parabens

    Luciano Cunha

    Responder
  21. Olá malucos!

    Bom ver que vocês estão se renovando e se reinventando na maneira de falar sobre motocicletas,sempre com muita qualidade,o vídeo comparativo ficou muito bom,eu vou de BMW com certeza,mas isso é questão de gosto,né!?!

    A parte do preço do seguro é a melhor,dei muita risada!

    Grande abraço e sucesso para vocês!

    Responder
  22. Estou comprando uma F800R e essa matéria tira todas as minhas dúvida. Sensacional!!! Parabéns…

    Responder
  23. Incrível a comparação fizeram um trabalho de verdade ao comparar as duas, poderiam ter discorrido mais sobre alguns detalhes, todavia comparado com a maioria das comparações que encontramos em sites esse foi o menos amador de todos

    Responder
  24. Tá doido que eu não trocaria uma hornet por uma jeringonça dessa, além de feia nem 4 cilindros é, só marketing, HONDA é HONDA !! BMW não sabe fazer moto!

    Responder
    • Mente retrograda, vc não sabe o que esta perdendo. Eu já tive 18 motos, entre hondas, kawa, suzuki, Harley, yamaha. Esta é minha primeira BMW e olha cara, gostei e vou continuar na marca “na marca” entendeu, pois acho que a BMW entende muito de Motos e também de Carros, capricho e acabamento inigualáveis não encontrados nas japonesas, japonesas boas motos! mais perdem de longe em refinamento e acabamento para as BMW.

      Responder
  25. Pingback: Piréx – Diário de Bordo » Blog Archive » BMW F 800 R, mais uma alemã manauara

  26. Adorei a matéria, difícil achar reportagens com imparcialidades e verídicas, sem dúvidas quem conhece de moto sabe do que estou falando…..não que seja um conhecedor, más as reportagens tem que ser completas e bem estruturadas como essa, máteria de verdade!!! parabéns a equipe de reportagem e ao site!, já gravei em meus FAVORITOS….ABS

    Responder
  27. É galera o fator seguro pesa muito então sendo assim ficaria com a BMW. abraços.

    Responder
  28. Parabéns pelo comparativo, informação com humor ficou muito bom, nunca andei em uma BMW, mas tirei uma Hornet zera em 2010, e posso garantir que a moto é excelente, concordo com a reportagem o seguro é pesado da Hornet, mais uma vez parabéns pelo site.

    Responder
  29. Estava muito dificil para decidir qual moto comprar,comprei varias revistas,li varias matérias etc…
    Queria obter informações completas como sensação ao pilotar,seguro,cesta de peças e outros.Essas informações adquiri nessa materia muito bem trabalhada e transaparente até para quem não entende de moto.Enfim,graças a essa materia tomei a decisão que acho mais inteligente,BMW,por um unico motivo,quero moto para curtir,brincar e relaxar,não para sair preocupado fugindo de ameaças e ladrões.Se não fosse isso ia de Hornet.
    Parabéns pela matéria,conhecimento e profissionalismo.

    Responder
  30. Ótimo comparativo e também sinergia entre os dois pilotos…
    Matéria bem profissional e imparcial. Parabéns!!!

    Responder
  31. Acabo de comprar a alemã, após ler tudo sobre ela, sobretudo os comparativos (hornet, ducati 796, bandit 650, kawa 750, entre outras) Não teve prá ninguém, os pilotos profissionais gostaram mais da F 800 R. Sobretudo porque é boa de tudo, curva, cidade, conforto, estilo… Mas o que impressiona mesmo é o capricho da fabricação, tudo de primeira, só componentes de ponta. Estou saindo de uma CB 1300-ABS, canhão, obra prima da Honda. Mas depois de ter tido muita pesada (mais de 200 kilos)inclusive big trails, me convenci de que o verdadeiro prazer de dirigir está nas motos leves, àgeis e com ciclístca acertada, sem abrir mão do conforto e do torque, claro. A Ninja 250 é outra coisa de louco, apesar de preguiçosa na saída. As esposrtivas, que beiram a perfeição, pecam pelo conforto, fazer o quê? Abraços aos amigos leitores.

    Responder
  32. Maravilhosa a comparação!!!! Eu sempre fui apaixonado por moto, mas por ser ortopedista, tenho muito medo, porém ao ver a BMW 800F me apaixonei e após esse vídeo e essa comparação animei e vou compra uma 800F para dar as minhas voltinhas no final de semana. Um grande abraço e meus parabéns pela matéria.

    Responder
    • Tem medo de moto,e vai comprar uma F 800 GS? Tá de brincadeira mano?Vc vai se matar meu camarada.rsrsrsrs

      Responder
  33. Sou apaixonado pela hornet !! Estive vendo a bmw e estou com muita duvida !! Sei que o seguro era mas cara mas será que e tudo isso mesmo , e simples mente assustador esta diferença .

    Responder
  34. Pessoal comprei uma F800R a pouco tempo. Já tive 600RR, 1000RR, 7Galo, CBX750 (7galo). Claro que cada uma tem seu encantamento e seu propósito, mas a BMW é muito boa, de verdade. Vibra muito é fato, mas é super legal, conforto e tocada forte junto. A hornet é jóia, mas o seguro, não da… Comprem BMW que é diversao e status garantido. Abs

    Responder
  35. O mavioso som de um quatro cilindros é incomparavel, se qual melodia inigualável terá qualquer outra combinação de n° de cilindros, a hornet podem ver, em qualquer comparativo de motos, é base para todos, o que prova ser ela a melhor… Honda asas da liberdade!!! honda é honda!!!

    Responder
    • Os motoboy concorda!

      Responder
      • é nóis nas cejola mano!! Hóineti nas vêia!!

        Responder
  36. Caro jornalista ,parabéns pela materia,vc foi bastante profundo na analise tecnica e se mostra um ótimo profissional.Mas o que vc não sabe é o que é ter uma f800,a minha quebrou 8 x o motor vibra e esquenta,mais que martelete,todo piloto bom de avião não usa.Ultra leve por causa deste motor rotax a roda traseira travou a 100km por hora consegui segurar com o freio dianteiro.Talvez pelo defeito do ABS.O sistema de embreagem quebrou em plena av Bandeirantes ,e eu sai empurrando até a eurobike.Quando cheguei la ,uma moça bonita mas mau educada me disse que eu não tinha hora marcada.Eu disse a moto quebrou como vou marcar hora.e lá ficou 1 mes saiu de guincho para moto power em Santo André,que refez a moto. O sac da bmw que eu propus trocar de moto não me deu atenção.Enfim perdi $10.000,00 reais e vendi para não correr riscos em cima desta tal f800,agora o que é pior é que os executivos da bmw não assumem a responsabilidade do erro ,mas graças ao código do consumidor irei ser ressarcido.Naul

    Responder
  37. Na ed. de outubro 2012 da revista duas rodas, a F800R de apenas “87cv” venceu 4 dos 6 testes realizados, incluindo melhor volta e melhor frenagem, matando a pau modelos como HORNET com 102cv e Z750 com 107cv, me adimira a hornet que o povo elogia tanto ter vencido apenas no teste de 0 a 100 km/h. Enfim, quem compra BMW tem uma concepção real dos fatos, tem cultura, gosta de uma boa leitura, se matem atualizado, ao invés de ficar falando baboseiras sem fundamentos.

    Responder
  38. Parabéns pela qulidade da matéria.
    A hornet é uma moto fantástica, sem falar no ronco que deixa a bmw parecendo uma cg. rsrs
    Porém não só pelos valores, mas, também pelo designer, a alemã é superior em minha opinião (este farol é sacanagem).
    E pra quem fala “honda é honda!” (apesar de ter uma) acho que bmw dispensa apresentações.
    Abraços.

    Responder
  39. Leveza, prazer, economia, diversão são qualidades que se busca em uma moto.
    Vocês conseguiram isso numa MATÉRIA sobre motos. Parabéns!
    Honda é Honda – tenho uma – mas a BMW não deixa dúvidas: Custo benefício MUITO superior.

    Responder
  40. Vejam o seguinte:

    1- A kwa 750 no comparativo 4 rodas 2010 ganhou da Hornet somente por causa do preço, Vno mais a hornet levou vantagem, e já pensa em trazer uma 800, mirem que a hornet é uma 600(kwa como 750 não deu conta)
    2- xj6 e fazer 600 a xj6 quadro tubular em aço, bengala comum (hornet qdro alumínio susp invertida). A fazer 600 não segurou e já pensa trazer uma 800cm³ para concorrer(hornet continua como 600cm³, e dando couro)
    3- GSX 750 quadradona e pesadona, é a “dona” das motos(hornet couro na “dona”)
    4- BMW 800f bicilindrica, tirou os acessórios da fabricante alemã ao vir para o BR (hornet a mesma, só um face lift, e couro na bmw). No comparativo a BMW ficou ao lado da N6E(bicilindrica) em penultimo lugar.
    … lógico, assim fica fácil… não precisa mudar nada para ser melhor, e contiua como uma 600cm³!!! HONDA È HONDA!!!!
    5- Emmanuel numca se esqueça disso: Honda é HRNET, HORNET é Honda!!! A melhor.
    6- Não só motoboys concordam mas os comparativos também, vejam está em suas conciências também… afinal o que vem logo na mente quando vcs querem comprar uma moto de 600cm³!?!? comparcom uma HORNET!!!
    LEMBREM-se: [HONDA É HORNET, HORNET É HONDA!!!{sacou o trocadilho]

    Responder
  41. Correções(:
    *linha:)

    1- … Hornet somente por causa do preço, no mais a hornet…

    !!! HONDA È HONDA!!!!

    6- Não só motoboys concordam mas os comparativos também. Vejam está em suas conciências também… afinal o que vem logo na mente quando vcs querem comprar uma moto de 600cm³!?!? comparar com uma HORNET!!!
    7- Lembrem-se:) [HONDA É HORNET, HORNET É HONDA], Leandro e Pedmart…sem baboseiras Emmanoel só a constatação..:)

    Responder
  42. NÃO COMPRE UMA BMW muito menos se for na Caltabiano. Péssima empresa, engana o consumidor, não tem pós venda e tenta te induzir a erro. BMW é igual barco, duas alegrias, quando vc compra e quando você vende. Ufa…acabei de vender a minha e NUNCA MAIS compro outra ! !

    Responder

Comentário Best Riders


9 × = oitenta um