BMW entra com tudo no segmento de scooters

3
1372

Fotos: Divulgação

Depois de pesados investimentos no projeto e desenvolvimento, a BMW Motorrad esperou a realização do mais importante evento mundial do segmento de duas rodas — o Salão de Milão — para apresentar seus dois novos maxiscooters; o C 600 Sport (mais esportivo) e o C 650 GT, que se destaca pela aptidão touring.

Varias vezes flagrados nas mãos dos pilotos de teste alemães, finalmente podemos vislumbrar em Milão o design dos dois modelos sem camuflagens. Apesar de compartilharem a mesma plataforma, os dois modelos mostram características de estilo e ergonomia bem diferentes.

BMW C600 Sport prioriza a agilidade em deslocamentos urbanos e a praticidade no dia a dia

O modelo C 600 Sport é mais compacto, estreito e, consequentemente, proporciona maior agilidade para trafegar pela cidade. O conjunto óptico dianteiro fica a cargo de dois faróis trapezoidais enquanto os indicadores de direção (setas) estão integrados à carenagem. Na traseira também encontramos um conjunto discreto. A lanterna de LED é herdada das trail da linha F 650/800 GS e as alças de apoio do passageiro são menores que na irmã GT. Na versão Sport, o assento do piloto fica a 810 mm do chão e o garupa deve apoiar os pés em pedaleiras retráteis, como nas motocicletas.

Já a versão 650 GT é nitidamente mais luxuosa e imponente que a Sport. Com características típicas de motocicletas touring, o assento é maior, mais largo. Os dois faróis da Sport dão lugar a um só na GT (opcionalmente, ambos os modelos podem receber iluminação por LED também na dianteira) e os indicadores de direção (de LED) estão incorporados aos retrovisores, que por sua vez são maiores e mais estilizados.

Apesar da diferença no porte, os dois modelos possuem a mesma motorização e ciclística

A traseira do modelo mais requintado é mais larga e a lanterna é maior, dividida em dois grupos de iluminação. Apesar de, visualmente, a diferença de tamanho entre os dois modelos ser considerável, o peso ficou próximo: 248 kg para o C 600 e 258 kg para o 650 GT.

Como a carenagem é maior, a proteção aerodinâmica também é favorecida no modelo GT. O amplo para-brisa é regulável nos dois modelos, mas só na touring isso pode ser feito eletricamente. Também é comum aos dois modelos o bonito painel, que mescla um velocímetro analógico com uma grande tela de LCD.

Por ser mais largo, o assento da GT fica a 780 mm do solo para facilitar que o piloto alcance os pés no chão. As pedaleiras do passageiro da versão Sport dão lugar a largas plataformas incorporadas à carenagem no modelo top de linha. O espaço debaixo do assento chega a 60 litros na versão de luxo, mas só o 600 Sport conta com o sistema FlexCase, uma espécie de “fole” que pode ser expandido para aumentar o espaço sob o banco com o scooter parado.

Vistos por trás, o C600 Sport lembra muito uma motocicleta

Como não poderia deixar de acontecer, a dupla de scooters alemães poderá ser equipada com uma lista enorme de equipamentos e acessórios: aquecimento para assento e manoplas, DRC (controle de pressão dos pneus), GPS, escape Akrapovic, encosto para o banco do garupa e para-brisa fumê são só algumas das possibilidades.

Tecnicamente os dois modelos compartilham motorização e ciclística. O motor é um inédito bicilíndrico em linha (pesa apenas 81 kg), de exatos 647 cm³ e arrefecimento líquido. A taxa de compressão é de 11,6:1, Gera 60 cv a 7 500 rpm e torque máximo de 6,7 kgfm a 6 000 rotações. Na busca de um centro de gravidade o mais baixo possível e do mínimo de vibrações, os engenheiros alemães resolveram montar a bancada em um ângulo de 70° para a frente.

O motor é alimentado por um sistema de injeção eletrônica com duplo corpo de borboleta (38 mm) e a distribuição tem duplo comando (DOHC) e 4 válvulas por cilindro. O ângulo das válvulas de admissão (de 31,5 mm) é de 12 graus, enquanto que o escape (de 27,1 mm) é de 14 graus. O câmbio é CVT e a corrente de transmissão é banhada a óleo para maior durabilidade do sistema.

Mais requintado, equipado e confortável, o C650 GT é um scooter para turismo em boas rodovias

O chassi é um dupla viga de alumínio fixado por parafusos, o que segundo a fábrica é a melhor receita para proporcionar facilidade de manuseio, precisão de direção e estabilidade com elevada rigidez. A suspensão dianteira conta com bengalas invertidas de 40 mm enquanto a traseira fica a cargo de um monoamortecedor montado assimetricamente na lateral.

A balança de alumínio é monobraço e as rodas são de 15”, montadas com pneu 120/70 na dianteira e 160/60 atrás. Apesar de adotarem a mesma configuração, a calibragem das suspensões na 650 GT é mais suave, privilegiando o conforto.

Quando o assunto são os freios, encontramos dois discos de 270 mm na frente (pinça de dois pistões) e um único do mesmo tamanho atrás, também “mordido” por pinça de pistão duplo. O freio de estacionamento é automaticamente acionado quando abrimos o descando lateral. O ABS Bosch 9M (pesa apenas 700g) de última geração é de série nos dois modelos, que chegam às concessionárias europeias em 2012.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


3 × = três