Análise: Triumph Trophy SE 2013

Notícias, Últimas

TriumphTrophy SE 4 Análise: Triumph Trophy SE 2013Fotos: Divulgação

Esta não é apenas uma ótima motocicleta sport-touring, embora, sim, ela seja excelente. Há mais do que isso por trás. A Triumph Trophy SE 2013 se destaca como o mais recente exemplo de fortaleza da Triumph, uma exibição de coragem e ousadia em engenharia e marketing. Após o lançamento do ano passado da Tiger 800, e a estreia mais recente do modelo Explorer, é claro que a fábrica de motocicletas de Hinckley (Leicestershire, Reino Unido) tinha sua visão voltada para Munique, em geral, mais especificamente para as BMW F800GS e R1200GS. Esta é a caça do grande jogo, e isso requer um bom olho e uma mão firme.

Assim, a Trophy chega, propositadamente visando a BMW R1200RT, embora por causa da dedicação da empresa ao motor de três cilindros e alguns outros fatores, a Trophy é mais precisamente destinada a uma lacuna na linha da BMW entre a RT e a K1600GT/GTL. A Triumph é maior, mais pesada e mais poderosa que a BMW R1200RT, mas está um pouco abaixo da K16 em todas as categorias. E, embora o preço da Triumph nos EUA esteja mais perto da K16, o seu nível de características padrão supera de longe a R1200RT. A configuração padrão da Trophy é bastante generosa, pois inclui rádio integrado, ABS, controle de tração, e TES (Suspensão Eletrônica Triumph).
TriumphTrophy SE 3 Análise: Triumph Trophy SE 2013
Naturalmente, o problema do design começou da seguinte maneira: como bater a BMW em seu próprio jogo?
E neste caso a Triumph tem contado com a força e suavidade do contrapeso dos três cilindros, bem como maneiras de chassis extraordinariamente boas. Para o efeito, a Trophy recebe um quadro de liga de alumínio inteiramente novo para fornecer uma plataforma sólida. A distância entre eixos é de 1.542mm, 58 a mais que a BMW. A maior distância entre eixos contribui para a estabilidade, com certeza, mas também permite ao modelo da Triumph acomodar melhor o piloto e seu passageiro.

O sistema TES permite o ajuste do amortecimento de recuperação na dianteira e na traseira com base em três modos: Sport, Normal e Conforto. Quando o motor está funcionando, mas o veículo está parado, você também pode ajustar pré-carga da mola traseira de uma das três configurações.
TriumphTrophy SE 1 Análise: Triumph Trophy SE 2013
No início, a pilotagem se parece muito leve, mas depois de alguns minutos o esforço torna-se familiar e, em tempo, inspira confiança de maneira deliciosa.
Na Trophy, a resposta da direção é linear direita, com muito menor do acúmulo de força perto das bordas do pneu Pirelli Angel ST sport-touring. Você não terá um feeedback do nível Daytona 675 (Veja a edição limitada da Daytona 675 no Reino Unido), mas para uma moto grande a Trophy impressiona. Como um auxílio para suas tendências de “hooligans”, a Trophy está perfeitamente equipada com freios Nissin.

Alcançar o equilíbrio certo de desempenho de entretenimento e com respostas suaves na estrada é sempre difícil, fica especialmente mais complicado em uma moto na qual o objetivo é ser divertida e capaz de consumir centenas de quilômetros em um sopro. A Trimph, na Trophy SE 2013, absolutamente acertou em cheio. Sozinho, montado com uma pequena quantidade de material nos alforjes, a configuração TES preferida é a Normal, apesar de que quando selecionamos a opção Conforto claramente é liberado o curso da suspensão para lidar com a maioria dos choques de estrada comuns. As diferenças são perceptíveis, mas não extremas.

TriumphTrophy SE 2 Análise: Triumph Trophy SE 2013
Para uma máquina de longo alcance, a proteção do piloto é tão importante quanto o sucesso do passeio. A Trophy pontua muito bem neste quesito. O chassi, extremamente capaz , confortável e baseado no modelo Explorer, parece perfeitamente em casa. A Triumph fez pequenas alterações na transição da Explorer para a Trophy, incluindo nova calibração para o sistema de injeção de ride-by-wire (RBW) e uma sexta marcha mais alta que traz a velocidade do motor em 4.200 rpm a 118 km/h. Claro, RBW promete reduzir as emissões e consumo de combustível, bem como permitindo o controle de tração (padrão na Trophy, opcional na R-RT) e a chance de uma curva de torque larga. A Triumph divulga um torque máximo de 12,24 kgf.m em 6.450 rpm e potência máxima é de 134 cv a 8.900 rpm. É esse alto torque que domina a personalidade do motor.

TriumphTrophy SE 5 Análise: Triumph Trophy SE 2013

Ficha Técnica
Motor: 1.215 cc, refrigeração líquida, 12 válvulas, DOHC, 3 cilindros em linha
Potência: 134 cv às 8.900 rpm
Torque: 12,24 kgf.m em 6.450 rpm
Embreagem: multidisco banhado a óleo
Câmbio: seis velocidades
Transmissão final: eixo cardã
Quadro: dupla trave em alumínio
Pneu (dianteiro – traseiro): 120/70-17’’ e 190/55-17’’
Suspensão frontal: garfo telescópico invertido WP com 127 mm de curso, ajuste eletrônico
Suspensão traseira: monoamortecedor WP com reservatório de óleo externo com 120 mm de curso. Na SE a regulação é eletrônica
Freios dianteiros: dois discos de 320 mm, pinças radiais Nissin de quatro pistões. ABS combinado
Freios traseiros: um disco de 282 mm, com pinça convencional de dois pistões Nissin
Altura do assento: 800 a 820 mm (ajustável)
Distância entre eixos: 1.542 mm
Tanque de combustível: 26 litros
Peso (ordem de marcha): 301 kg
Preço: US$19,000.00 (aproximadamente R$40 mil na conversão monetária)

Fonte: Marc Cook/Motorcyclist Online

3 comments

  1. não minha praia esse tipo de moto, mas achei mais bonita que a bmw.

    Responder
  2. Motocicleta incrivel sem duvida.

    Amigos do best riders esse Torque de 88,5 kgf.m esta correto,isso é torque de motor V10 ou V12.

    Responder
    • Obrigado, Jonata!
      São 88,5 lb.-ft (Libra-força pé). Na verdade são 12,24 kgf.m.
      Muito obrigado por nos chamar atenção para a conversão da unidade.

      Um abraço!

      Responder

Comentário Best Riders


seis − 1 =