Yamaha FZ16. Esta 150 pode ser a nova city brasileira.

38
1286

Depois de apresentar novidades nas categorias superiores, a Yamaha do Brasil deve reformular sua linha mais popular muito em breve. Cá entre nós, está mais do que na hora de termos uma nova YBR

Lançada no ano 2000, a YBR 125 foi a moto que inaugurou uma nova era na Yamaha do Brasil. Primeira utilitária de baixa cilindrada com motor de 4 tempos, foi com ela que a marca dos diapasões deu início a uma completa reformulação na sua linha de produtos… mas o tempo passou. Hoje, 11 anos depois, apesar das qualidades que esta valente 125 provou ter, ela já está ultrapassada em diversos aspectos e está cada vez menos competitiva frente a sua principal rival, a Honda CG em suas inúmeras versões.

Demorou, mas parece que, finalmente, a Yamaha decidiu que é hora de novamente investir pesado nesse segmento até 150 cm³ — que representa mais de 80% das motos comercializadas no Brasil. A moto conhecida no exterior como FZ16 deve, em um futuro próximo, ser mais uma representante da marca na categoria.

Seguindo a lógica, a marca deve manter a atual YBR 125 como o modelo de entrada — nos moldes do que a Fan representa na linha Honda — e ter a FZ como uma opção para quem busca uma urbana de baixa cilindrada mas com design e equipamentos diferenciados, nicho que hoje é explorado pela Dafra com sua Apache RTR 150 e, com menos ênfase, pela Honda Titan EX. Não sabemos se a marca manterá o nome FZ16, que é uma alusão bastante otimista a 160 cm³ — são 153 cm³ reais — ou se ela será a YBR 160 (Yamaha Brasil).

Lançada em 2008 exclusivamente para o mercado indiano, hoje, a FZ16 já é vendida em vários países, inclusive nos nossos vizinhos Colômbia e Argentina. Nos países “hermanos”, a FZ é, em média, 45% mais cara que uma YBR 125 ED, mas ainda fica longe do preço cobrado por uma 250 já que ela custa 52,5% a menos que a Fazer 250 (YBR 250 lá fora). Em outras palavras, ela é o ponto intermediário entre a 125 utilitária e a 250 street… mas no Brasil, essa conta não bate. Com a atual YBR Factor 125 ED custando cerca de R$ 6 800 e a Fazer 250 pouco menos de R$ 11 000, ou a marca reduz significativamente o preço da Factor, ou a FZ16 ficará com um preço muito próximo ao da Fazer, já que custaria em torno de R$ 9 800.

A FZ16 está equipada com um motor de projeto moderno, mas sem nenhuma tecnologia revolucionária. Trata-se de monocilíndrico de 153 cm³, refrigerado a ar, 2 válvulas e comando simples no cabeçote (SOHC). Ainda alimentado por carburador, ele gera 14 cv a 7 500 rpm e um torque de 1,39 kgfm a 6 000 rpm. Uma alteração certa na FZ16 “made in Brasil” seria a substituição do arcaico carburador por um sistema de injeção eletrônica que aceitasse a utilização de gasolina e etanol em qualquer proporção.

O bonito escape da FZ16 foi desenvolvido buscando a máxima eficiência de exaustão com a melhor concentração de massa possível. Dividido internamente em duas camadas, o efeito do calor sobre a tubulação é bastante minimizado. O diâmetro externo dos tubos (35 mm)  e a ponteira cônica, de excelente acabamento, dão uma sensação de volume e otimizam o som da moto, mais grave que o que estamos acostumados a ouvir vindo de um motor 150.

Para não elevar muito o custo da motocicleta, apesar do funcionamento eficiente o sistema de suspensão é bastante simples. O garfo dianteiro da FZ16 traz bengalas convencionais de 41 mm de diâmetro e 130 mm de curso. Atrás, encontramos uma suspensão traseira Monocross com 120 mm de curso da roda. O único ajuste possível é na pré-carga da mola traseira.

Para parar os 135 kg da moto (a seco), a FZ16 está equipada com um disco de freio simples na dianteira — de 267 mm —e tambor na traseira. Se a generosa medida do disco dianteiro e as bem acabadas rodas de liga-leve de 17” insinuam esportividade, definitivamente, o tambor na traseira destoa do conjunto de linhas modernas. Os pneus são 100/80-17” na frente e 140/60-17” atrás.

O tanque de combustível é de aço (comporta 12 litros), contudo, graças a uma cobertura externa de plástico, a equipe de design da marca teve mais liberdade para buscar um excelente resultado visual. O desenho do farol com lente cristal proporciona uma vista frontal bem agressiva e que acompanha as linhas gerais da FZ16. A lâmpada de 35W/35W poderia ser substituída por uma 55W/60W


O painel de instrumentos desta FZ é completamente digital. O velocímetro, o conta-giros, os hodômetros total e parcial e o medidor de combustível estão em uma tela de LCD de bom tamanho e no campo de visão do piloto. Vale lembrar que, apesar da luz espia alaranjada sugerir o contrário, este modelo, por enquanto não possui injeção eletrônica. Além da FZ16 N existe também a FZ16 ST, versão semi-carenada que está a venda em alguns mercados e custa cerca de 25% a mais que a naked.

.

38 COMENTÁRIOS

  1. Não vejo à hora desta maquina chegar tenho uma fan 150 cc é uma moto que da muitos problemas quebro o amortecedor com sessenta e um mil, com trinta mil deu pau no rele do pisca, tive que trocar coletor do carburador com quarenta e dois mil, e agora com sessenta e quatro mil já esta mandando fumaça no escape, chega logo Yamaha 150.

  2. A YAMAHA PARECE QUE E IGUAL O VASCO NO BRASIL SO QUER SER VICE ESTOU ESPERANDO MUITO ESSA BELEZURA EM 2014 ANO EM QUE SOU OBRIGADO A TROCAR DE MOTO E ME DESFAZER DA MINHA TITAN 150 BOMBA DA RONDA O QUE JA GASTEI NESSA PORCARIA QUE TENHO E UM LIXO QUALIDADE NENUMA SO PREÇO

  3. Depois que a Honda lançou a linha CG 2014,com certeza a Yamaha irá trazer a FZ16. Se a Yamaha não reagir daqui a uns dias teremos só motos Honda no Brasil.

  4. Eu estive conversando com um mecanico da yamaha no sabado dia 05/05 quando fui trocar o oleo da minha moto, e perguntei sobre a ybr 150cc e ele me respondeu que ate´o mes de outubro estava programado o lancamento dela no brasil, entao eu perguntei se ele tinha fotos dela mais ele me disse que a yamaha nao disponilizou fotos e disse que estar na internete, eu acho provavel que seja essa FZ16 que estar por vim. Tomara , eu tenho uma fazer 11/12 e vou trocala pela a nova 150cc se vier e claro.

  5. Oi pessoal, minha primeira moto foi uma YBR 2008, rodei com ela 80.000 km e só notei uma leve folga na direção, apesar de ser uma moto de pouca velocidade final, nunca deixou a desejar em nada o conforto, hoje tenho uma TITAN EX, moto boa, mas cá pra nós, chego no final de semana com uma dor terrível na coluna, não entendo porque essa moto é tão dura de suspensão, tomara que a FZ 160 venha logo, a moto ficou lindona e com a qualidade Yamaha com certeza ela vai bombar aqui nas terras tupiniquins. Se pudesse ja deixaria a minha reservada.

  6. Olha sou cliente e fan da yamaha, mas a demora para trazer novidades nos deixa chateado, tenho uma factor 2009 preparada e essa nova com essa motorisação é show de bola, espero que realmente venha para o nosso país.

  7. A honda não liga pra nada ela só quer saber de vender.primeiro vacilo,tirou motor OHC 150,segundo tirou motor a volvula da fan,colocou um de corrente de comando que voce roda 30mil km e já esta batendo, com 60mil km vai pra retifica, com garantia só de 1 ano, só fás porcaria.Eu tive uma fan 2009 detestei é dura vibra não anda e fás 30km por litro nas rodovias com 3mil km pedil regulagem de volvula,passei no cobre nunca mais nem de graça.Comprei uma factor coloco 30reais de gasolina rodo 400km,já rodei 12mil só pedil lona de freio estou muito satisfeito.rodei 120mil km na YBR 2005 só revisão nem válvula regulei, pesso à yamaha que se nos mandar a fz16 150 ficaremos muto satisfeitos obrigado.

  8. a ronda não presta tanto quanto de velocidade quanto de durabilidade.
    ja a yamaha o motor não envelhece e tem o otimo desempenho. mas o que acontece e que o mundo vive de propaganda por isso que a ronda ta ai motos com pouco atrativo e alto preço.

  9. Chega de promessas yamaha,lança logo essa moto e tenha mais confiança
    em vocês próprio,deixem de baixa auto-estima em relação a honda.
    Vocês tem qualidade e tecnologia de sobra,falta mais confiança e arrojo,coisa que a honda tem de sobra!!!

  10. TENHO AINFORMAR QUE SOU CLIENTE FIEL DA YAMAHA,NÃO ADQUIRO E MUITO MENOS RECOMENDO OUTRA MARCA.Gostaria de saber se será lançado no Brasil a XTZ 150 cc com injeção pois,hoje eu tenho uma XTZXe ano 2012 e aguardo a chegada da 150cc.
    Aguardo resposta.
    Respeitosamente,
    Márcio Gomes

  11. Essa história é velha. A yamaha só investe em motos acima de 660 cc, produtos exclusivos pra ricos. Pra o pessoal da classe baixa é os mesmos que já tem aí no mercado.

  12. Sou motociclista desde 1988 e já tive várias motos, todas da Honda. Desde aquela época vejo a Yamaha investir em um mercado diferenciado do ramo de duas rodas, talvez para não bater de frente contra a Honda, numa queda de braço que a Yamaha nunca teve condições de vencer. Concordo com a opinião de muitos acima, pois já passou da hora da Yamaha realmente investir no Brasil. Suas motos são muito boas e em muitos aspectos superam as da Honda, mas falta um pouco mais de agressividade, de compromisso com o mercado nacional. Nunca tive uma moto da Yamaha, mas estou vendo que a Honda tem vacilado muito em seus últimos lançamentos (CB300, XRE 300, Titan com carenagem horrível) e uma moto que me chamou muito a atenção foi a Fazer 250, que pretendo adquirir num futuro próximo (ou não, já que em minha cidade está sendo vendida a R$ 12.600,00 e só tem a roxa). Sugiro que todos enviemos mensagens para o site da yamaha (yamaha.com.br) pedindo a comercialização da FZ16 e, de quebra, que seja trocada tampa do tanque da Fazer 250, pelo modelo de abastecimento rápido, adotado na Tenere 250. Quem sabe se todos gritarmos, eles acabam ouvindo…

  13. Antonio, tenho uma cg 150 sport ano 2007 e ainta não achei uma moto 150 igual a essa, a honda que nos tapiar com uma 150 com rodas de liga leve, seria bom que essa yamaha viesse logo para o Brasil, eu seria uma dos compradores com o valor em torno de R$ 9.000,00 valeria a pena.

  14. Em uma coisa todos estao certos, a yamaha esta deixando de vender muita moto, mas muita moto mesmo. Uma moto que ja é vendida nos paises do mercosul e que todos saibam ELA É FABRICADA NO BRASIL, pois todas as motos vendidas no mercosul de baixa cilindrada sao fabricadas no brasil e exportadas para esses paises. Sei que alguem da yamaha vai ler o que escrevi aqui, e se estao lendo pensem no que estao esperando pra vender essa moto no brasil………

  15. A Yamaha brasileira é uma vergonha.

    Vá ao site da Yamaha na Argentina…. Xt 660 Motard, V-max, TDM 900, XJ6, FZ8 N e S, FZ1 N e S, Tenere 660….

    Não sei nada da economia Argentina, mas penso que aqui no BR vendemos mais motos…. Então porque lá tem a linha completa e aqui só refugo??????

    Estou na minha 3ª Yamaha…. Gosto da marca, mas fico altamente decepcionado.

  16. Sou proprietário de uma motocicleta Yamaha, pelo que acompanho do mercado brasileiro de duas rodas, acho bem dificil que a “Y” daqui tenha arrojo suficiente para oferecer motocicletas bonitas assim (FZ16). Não sei qual é o problema dos caras, acho que não gostam de vender motos, preferem permanecer como a enterna segundona ou querem descer para o terceiro lugar em vendas. Até mesmo a Yamaha da Bolivia, Colombia, etc, tem opções mais atraentes que as brasileiras. Talvez a baixa exigencia do consumidor brasileiro, aliado a ‘cultura’ do honda é honda e a falta de criatividade dos executivos da Yamaha Brasil, seja um dos principais problemas pra gente conseguir um salto qualitativo.

    Parece que a Yamaha manda pra cá os executivos menos arrojados, vai entender…

    Enjoy!

  17. desde que foi lançada na índia se fala que vai ter uma versão BR da FZ16. sério, gente, vocês não se cansam de fazer essa matéria? isso é pura especulação, por mais que desejamos que não seja.

    • Lucas, só demos essa notícia porque em recente coletiva de imprensa da marca, quando questionados sobre a vinda da FZ16 ao Brasil, diretores da marca deram a entender que existe sim essa possibilidade. Se você notar, nós não afirmamos nada, apenas informamos aos nossos leitores que o lançamento desse modelo aqui é algo muito provável, especialmente se considerarmos que a YBR carece urgentemente de uma reformulação estética e mecânica.

      • sim, mas esse discurso de “não temos nada pra anunciar, mas não descartamos nada” vem desde sempre. isso é papo padrão de RP, tática mais acertada pra manter interesse na marca sem ser cobrado depois por falsas promessas. e sim, eu percebi o tom da matéria como estritamente especulativa, nada de boataria. a matéria está acertada mesmo, eu é que já cansei desse papo da FZ16 =P

        bom, quem sabe esse buzz da mídia especializada não atente essa necessidade de mercado pros executivos da yamaha… o mercado brasileiro precisa de umas opções não-peladas de motos de baixa cilindrada, mesmo. Do jeito que está agora, só temos a Apache atendendo essa demanda, e está se provando um sucesso mesmo vindo de uma marca com passado comprometedor e uma rede que não atende bem centros menos populosos.

  18. Estou apaixonado por esta moto. Se for lançada no brasil, acredito que será muito bem aceita pelos brasileiros, isto é, se o custo não for tão auto. Séra um novo e bom tempo para a Yamaha, que poderá utrapassar a concorrente “titan EX da Honda”. Gostaria de saber se realmente será lançada no Brasil e qual o valor caso isso venha a acontecer?

  19. A FZ16 É MUITO LINDA, SE A YAMAHA REALMENTE LANÇAR ESSA MOTO AQUI NO BRASIL, TERIA BAIXAR O PREÇO E LUCRAR NA QUANTIDADE DE VENDAS, POIS COM O PREÇO EM TORNO DE R$ 10.000, OU SE ELES MODIFICAREM A MOTO PARA DIMINUIR O CUSTO NÃO VAI VENDER, ESTOU AGUARDANDO PARA COMPRAR UMA, MAS SE CUSTAR ATÉ R$ 8.000, NÃO SEI SE VALERIA A PELA PAGAR MAIS QUE ISSO NELA, ESSA MESMA MOTO NA COLOMBIA SAIRIA POR R$ 5.400, JA EMPLACADA, NÃO SEI QUANDO AO CUSTO COM A IMPORTAÇÃO, DE QUALQUER FORMA SE A YAMAHA REALMENTE QUER DEIXAR DE SER A SEGUNDA COLOCADA EM VENDAS ELES DEVEM TRAZER ESSA MOTO COM UM PREÇO JUSTO, ALÉM MODIFICAR O SISTEMA REALMENTE ARCAICO DE CARBURADOR PARA INJEÇÃO ELETRONICA ENTÃO É ISSO.

  20. Uma moto feita para nos brasileiros,que vamos trabalhar de moto por ser mais agil e economica.Mais faltava uma coisa entre nos ,esse desaine de dar inveja a qualquer propietario de motos ,assim temos uma moto para o trabalho e passeio aos finais de semana ezibida com orgulho.
    QUE VENHA O QUANTO ANTES |||

    • Concordo plenamente, em se tratando de Yamaha Brasil, eles vão elaborar um motor 150cc e coloca-lo na Factor com leds e freio a disco na traseira. Aí teremos que aguentar painel arcáico e olhe lá se ainda não vem carburada…

  21. Moto muito bonita, boa tecnologia, mas o valor será superior a Honda? Geralmente são, pelo menos aqui na região, e isso limita e muito as vendas. O bom seria que a Yamaha lançe uma 500 de 2 cilindros (leia-se CB 500)lacuna esta que só tem a GS 500 Eu seria um futuro comprador, claro que não ao preço de uma 600. Voltando ao assunto 125, acho que estão no caminho certo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


7 × um =